"É inevitável a ruína do capitalismo"


"Os propagandistas venais da burguesia predicam a 'eternidade' da sociedade capitalista descrevendo-a como a 'rica e de bem estar' que tem uma economia altamente desenvolvida e excedentes bens materiais. Este sofisma serve para encobrir a imagem verdadeira da sociedade capitalista antipopular e corrupta." Assim refuta o diário Rodong Sinmun em um artigo individual difundido esta terça feira, e prossegue: "O capitalismo não é uma sociedade rica e tampouco boa para viver. Seus bens materiais abundantes não contribuem em nada a vida material saudável das pessoas, pelo contrário, as deformam no espiritual e físico. Outro índice é o empobrecimento da vida espiritual e cultural. O degenerado modo de vida da burguesia difundido na sociedade capitalista adormece a mentalidade saudável das pessoas. Desatam pânico e inquietude a lei da selva, as depravações e imoralidades, a fraude, o crime de violência e outros males sociais de toda índole. A corrupção do capitalismo se manifesta claramente na vida política do homem. A classe capitalista recorre às artimanhas para seduzir e subornar as massas com o objetivo de manter sua posição privilegiada por um parte e por outra consolida o aparato de governança reacionária sufocando as demandas independentes e a liberdade política dos trabalhadores. Isto aprofunda a desagregação social, sendo o fator do arruinamento inevitável do capitalismo. O capitalismo não é uma sociedade civilizada e eterna tal como descrevem os políticos do Ocidente e seus porta-vozes. É que são incuráveis seus males sociais."

Da KCNA (Korean Central News Agency)

Traduzido pelo blog A Voz do Povo de 1945

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube