top of page
  • Foto do escritorNOVACULTURA.info

"Não à guerra contra o Irã! Paz na Ásia!"

Bandeira com o logo da ILPS

Condenamos firmemente o recente ataque genocida de mísseis de Israel contra o Irã, o Iraque e a Síria. O regime sionista apoiado pelos EUA está determinado a espalhar a sua barbárie na região e deve ser continuamente combatido pelos povos do mundo.

 

Israel declarou de fato que os ataques retaliatórios do Irã “terão resposta” e ameaçou que “o Irã não ficará impune”. Em 19 de Abril, o estado pária de Israel lançou um ataque às cidades de Isfahan e Tabriz, no Irã. Simultaneamente, as suas bombas atingiram o sul da Síria e Bagdá, no Iraque, tendo como alvo uma reunião de alto nível do Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica do Irão (IRGC). Isto demonstra que Israel atacará qualquer país com um descarado desrespeito pela soberania e com o objetivo de aumentar as tensões na Ásia Ocidental.

 

Estes ataques, conhecidos e balizados pelos Estados Unidos, pretendiam supostamente transmitir ao Irã que Israel possuía a capacidade de atacar dentro das suas fronteiras.

 

Através dos EUA, o G7, um clube das potências imperialistas mundiais, tomou descaradamente o lado de Israel e prometeu ajudar o Estado sionista a “defender-se”. Isto apesar dos esforços frenéticos do G7 para pressionar Israel contra retaliações, um movimento que visa travar uma guerra regional em que os EUA e as potências do G7 poderiam manter a iniciativa. O imperialismo norte-americano, desesperado e sobrecarregado como está em todo o mundo, não pode permitir-se múltiplos conflitos regionais ao mesmo tempo. A postura hipócrita do imperialismo norte-americano também é flagrante, pois nunca responsabilizou o estado de apartheid de Israel pelo seu ataque ao consulado do Irã em Damasco, na Síria, em 1 de abril deste ano.

 

Os EUA provaram repetidamente que o Estado belicista de Israel tem a proteção total das potências ocidentais. Como se fossem deuses onipotentes, a Grã-Bretanha, a França e principalmente os EUA interceptassem 99% das armas iranianas que não chegavam ao espaço aéreo israelense, expondo a sua sofisticada coordenação militar e, por sua vez, o seu apoio militar total ao domínio sionista. Provando ainda mais a sua hegemonia, os EUA e a União Europeia anunciaram que novas sanções seriam impostas ao Irã.

 

O Irã retaliou em 13 de abril em resposta à violação das normas diplomáticas e dos tratados internacionais por parte de Israel, bombardeando um consulado iraniano na Síria, resultando na morte de diplomatas, generais e civis. Não só a resposta do Irã é justificada, mas os movimentos de libertação vêem-na como uma represália legítima pela guerra genocida apoiada pelos EUA que está a ser travada por Israel em Gaza desde outubro, e que custou a vida a mais de 34 mil palestinos, incluindo mais de 14 mil crianças.

 

O Irã não é o agressor aqui. A história de provocações e ataques de Israel contra o Irã sublinha a necessidade de condenação. Desde assassinatos de cientistas iranianos até operações secretas conjuntas com a máquina de guerra dos EUA, a agressão de Israel tem sido implacável.

 

As guerras de agressão de Israel têm como alvo os povos da Palestina, do Irã, do Líbano, do Iêmen, da Síria e do Iraque como resposta à sua resistência contra o imperialismo e a ocupação. O povo da região árabe está a afirmar corajosamente a sua soberania, independência e autodeterminação face a estes ataques, desafiando o domínio do imperialismo norte-americano e do seu aliado sionista.

 

Prometemos responsabilizar o imperialismo dos EUA, o genocida Israel e todas as classes predatórias pelos seus crimes contra a humanidade. Eles devem enfrentar a justiça. Reafirmamos a nossa solidariedade inabalável para com os palestinianos e os povos da região na sua resistência contínua.

 

Mais do que nunca, temos de estar vigilantes enquanto as máquinas de morte do imperialismo se dirigem para o Irã e para toda a região. Temos de construir uma maior solidariedade internacional para alcançar uma paz justa, seja na Palestina Ocupada, no Irão ou em toda a Ásia Ocidental. A ILPS está firmemente ao lado do povo na luta pela libertação, pela soberania e pelo desafio a todas as formas de opressão.

 

Não à guerra contra o Irã!

Abaixo Israel genocida!

Abaixo o Imperialismo dos EUA!

 

21 de abril de 2024

 

Len Cooper

Presidente do ILPS

 

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Telegram
  • Whatsapp
PROMOÇÃO-MENSAL-mai24.png
capa29 miniatura.jpg