1/10

Lenin: "Conversa com a Delegação da República Popular da Mongólia"



Primeira pergunta da delegação Mongol: “Camarada Lenin, o que você pensa do estabelecimento de um Partido Revolucionário Popular em nosso país e o que é o mais importante para nós?”


O camarada Lenin delineou para nossa delegação a situação internacional de nosso país e apontou que, devido à posição geográfica da R.P.M. (República Popular da Mongólia), os poderes imperialistas, em caso de guerra, tentariam conquistar nosso país e o usaria como base para operações militares contra outro país. Portanto, Lenin diz que o único caminho correto para qualquer trabalhador em nosso país é o de lutar pela independência do Estado e de sua economia, em aliança com os trabalhadores e camponeses da Rússia Soviética. Essa luta não poderia ser travada isoladamente, portanto o estabelecimento de um partido de Arats Mongol foi uma garantia de sucesso em sua luta.


A segunda pergunta da delegação Mongol: “A luta de libertação nacional será vitoriosa?”


A resposta do Camarada Lenin:


“Eu mesmo estive no movimento revolucionário por trinta anos e eu sei, por experiência, o quão difícil é para qualquer povo se libertar de seus escravizadores externos e internos. Apesar da Mongólia ser um país criador de gado e o maior volume de sua população ser de pastores nômades, ela conquistou um grande progresso em sua revolução e, o mais importante de tudo, fez bem nesse sucesso criando um Partido Revolucionário Popular próprio, no qual o objetivo é o de se tornar um partido de massa sem influência de elementos externos”.


A terceira pergunta da delegação Mongol: “O Partido Revolucionário Popular não deveria ser transformado em um Partido Comunista?”


A resposta de Camarada Lenin:


“Eu não recomendaria, pois um partido não pode ser ‘transformado’ em outro”. O Camarada Lenin explicou a essência de um Partido Comunista como um partido do proletariado, e disse: “Os revolucionários terão de dispor de um bom trabalho no desenvolvimento de atividades econômicas, culturais e estatais antes que os elementos pastorais se tornem uma massa proletária, o que pode ajudar a ‘transformar’ o Partido Revolucionário Popular em um Partido Comunista. Uma mera mudança de sinais é danoso e perigoso”.


O Camarada Lenin elaborou a ideia de que era possível e necessário para a R.P.M. seguir um caminho de desenvolvimento não-capitalista, a principal condição da qual houve um trabalho duro por parte do Partido Revolucionário Popular e do Governo, então esse trabalho e a influência crescente do Partido e das autoridades resultariam no crescimento de cooperativas, na introdução de novas formas de atividade econômica e cultura nacional e agruparia os Arats, sob o Partido e o Governo, nos interesses do desenvolvimento econômico e cultural do país. Seria apenas das ilhotas de um novo caminho de vida econômica criado pelos esforços do Partido e do Governo que o novo sistema econômico não-capitalista dos Arats Mongóis tomaria forma.



NOTA

A delegação da República Popular da Mongólia chegou em Moscou no dia 2 de Novembro de 1921. Seus membros eram: Danzan, chefe da delegação, Ministro de Finanças e Presidente do Comitê Central do Partido Revolucionário Popular Mongol; Sukhbaatar, Comandante em chefe do Exército Popular Revolucionário e Ministro de Guerra; B. Tserendorzh, Vice-Ministro das Relações Estrangeiras; Djon-Van-Shirnin-Dandin, representante dos círculos religiosos, membro não-oficial da delegação; Batukhan, conselheiro e intérprete chefe. O objetivo das negociações era de concluir um acordo entre o Governo da R.S.F.S.R. (República Socialista Federativa Soviética da Rússia) e o Governo Popular da Mongólia. O esboço do acordo foi considerado e aprovado pelo Conselho Restrito dos Comissários do Povo, no dia 3 de Novembro de 1921. Em 5 de Novembro de 1921, um acordo foi assinado pelos representantes da R.S.F.S.R. e a R.P.M., no qual ambas as partes concordaram em não permitir grupos hostis de cada parte se manterem ou serem formados em seus territórios, e fizeram arranjos para a nomeação de representantes diplomáticos e consulares, a fixação de fronteiras dos estados e arranjos da alfândega. O Governo Soviético cedeu ao Governo da R.P.M. instalações telegráficas na Mongólia pertencentes à R.S.F.S.R. A conversa de Lenin com a delegação ocorreu no Kremlin. Um relato da conversa foi publicado primeiro nas minutas do 9º Congresso do Partido Revolucionário Popular Mongol, que ocorreu do dia 28 de Setembro a 5 de Outubro de 1934. A publicação foi reproduzida das reminiscências de B. Shumyatsky e B. Tserendorzh. O último escreveu em seus recordações: “Lenin falou por um longo tempo com os membros da delegação. Ele nos deu um ouvido atento para nossas histórias, mostrou um interesse vívido nos mais variados aspectos da vida da Mongólia Popular e deu alguns conselhos úteis. Em particular, ele dirigiu nossa atenção para a necessidade de aumentar o nível da educação e cultura entre o povo Mongol, enquanto, ao mesmo tempo, enfatizar a necessidade para o desenvolvimento da economia do país ao máximo com o objetivo de atender a todos os requisitos do povo”.

32 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
JORNAL-BANNER.png
WHATSAPP-CANAL.png
TELEGRAM-CANAL.png