top of page
  • Foto do escritorNOVACULTURA.info

"Apoiar a luta do povo senegalês pela democracia e pela independência nacional"


O Comitê da Liga Internacional de Luta Popular para África e Ásia Ocidental (ILPS África-WA) felicita o povo senegalês pela sua vitória contra as manobras do regime de Sall para cancelar as eleições presidenciais e permanecer no poder.

 

Em 3 de fevereiro de 2024, o Presidente Sall do Senegal cancelou as eleições presidenciais marcadas para 25 de fevereiro de 2024. Este golpe constitucional foi apoiado pela Coligação do Presidente Bennoo Bokk Yaakar e pelo Partido Democrático Senegalês. Dois dias após o cancelamento, estes dois partidos conseguiram aprovar na Assembleia Nacional uma lei adiando as eleições presidenciais para 15 de dezembro de 2024.

 

O cancelamento das eleições é a mais recente de uma série de tentativas desesperadas do regime no poder para se manter no poder. É uma continuação dos violentos acontecimentos de março de 2021 e junho de 2023, quando o regime lançou ondas de repressão que mataram mais de 50 manifestantes, feriram centenas, torturaram e detiveram mais de 1500 pessoas, incluindo o Presidente e o Secretário-Geral do principal partido da oposição. O Pastef representa a soberania nacional, o pan-africanismo e a solidariedade internacional contra o imperialismo.

 

Hoje, porém, o povo senegalês, em absoluto, opõe-se ao golpe constitucional. Uma ampla gama de forças políticas e de oposição, movimentos de cidadãos, sindicatos, organizações religiosas, organizações independentes, personalidades e acadêmicos dizem “Não” ao cancelamento das eleições. As suas mobilizações em massa foram enfrentadas com uma repressão feroz por parte das autoridades, deixando quatro jovens manifestantes mortos e muitos mais feridos e presos.

 

Os africanos de todo o continente apoiam a luta do povo senegalês contra o golpe de Estado constitucional. A comunidade internacional, incluindo a União Africana, a CEDEAO, os EUA, a ONU, a França e a União Europeia, apelaram ao regime dominante para o cancelamento.

 

As forças da oposição obtiveram uma vitória temporária quando o Conselho Constitucional do Senegal declarou, em 15 de fevereiro de 2024, ilegal o adiamento das eleições. O Conselho recordou que o mandato do Presidente termina em 2 de abril de 2024 e solicitou ao regime que realizasse eleições presidenciais antes desta data.

 

Embora o Presidente tenha prometido cumprir a decisão do Conselho Constitucional e curvar-se à vontade popular para a realização de eleições antes do final do seu mandato, exortamos as forças da democracia no Senegal a permanecerem unidas e vigilantes às manobras políticas do regime. Eterna vigilância é o preço da liberdade.

 

Viva a luta do povo senegalês pela democracia e pela independência nacional!

 

DECLARAÇÃO DO COMITÊ PROVISÓRIO DA ILPS PARA A ÁFRICA E ÁSIA OCIDENTAL SOBRE A SITUAÇÃO NO SENEGAL

 

0 comentário
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Telegram
  • Whatsapp
PROMOÇÃO-MENSAL-jun24.png
capa29 miniatura.jpg