"Ofensivas e confrontos nas Filipinas ridicularizam boatos de enfraquecimento do NPA"


Um policial foi morto enquanto outros 11 membros das forças de repressão filipinas foram feridos na sequência de uma operação de demolição bem-sucedida por combatentes vermelhos sob comando de Operações Sub-Regionais do Monte Apo, em 28 de janeiro, por volta das 17h30, em Purok 4, Sitio Kabisig, Brgy. Poblacion em Magpet, North Cotabato. A ofensiva tática, lançada na cidade militarizada de Magpet, visava a membros armados da Provincial Mobile Company a bordo de dois carros de patrulha.

O morto na dita ofensiva tática foi PO1 Christopher Anadon enquanto PO1 Stephenson Parreno, SPO1 Michael Escano, PO2 Marinerl Pastores, PO1, Eliezer Langcuban, PO1 Darrell Ferolino, PO1 Phil Jan Ray Canarejo, PO1 Franz Deo Lechago, PO1 Mark Vincent Capilitan, PO2 Dennis Dorado Wilde Perocho, PO1, Ian Francis Seniel foram feridos em vários graus de gravidade.

Um dia antes disso, em 27 de janeiro, uma unidade da NPA se defendeu de um ataque realizado por membros do 19º IB e seus paramilitares Bagani em Sitio Salingsing, Brgy. Amabel. Um guerrilheiro vermelho, Ronnie “Ka Dindo” Awe, 44, foi martirizado enquanto seu filho, Ka Wing Wing, 20, foi ferido durante o encontro. Ka Wing, que sofreu ferimentos de balas fatais, foi evacuada com segurança, mas o pessoal inimigo, em violação direta dos protocolos internacionais de guerra em relação a hors de combat, o prendeu a caminho do hospital. Ele está atualmente sob custódia militar enquanto está em um hospital na cidade de Davao.

Não há verdade nas alegações espalhadas pela AFP na mídia de que o NPA sofreu mais baixas durante o encontro. Combatentes vermelhos foram capazes de manter a iniciativa de desviar o ataque planejado do inimigo. Como é o procedimento operacional padrão, o 19º IB choveu artilharia pesada por 4 horas no dia seguinte, 28 de janeiro, na área densamente povoada.

Há vários meses, os fascistas do 19º IB e do 39º IB em Cotabato Norte vêm insistindo em reduzir significativamente a capacidade de combate do NPA na província ou fazendo com que o NPA perca o apoio das massas nas áreas. Nenhuma dessas alegações traz qualquer mínimo de verdade, como evidenciado pelas ações militares contínuas que estão sendo lançadas e pela defesa ativa que está sendo realizada pelo NPA. O fato de que a operação de demolição, por exemplo, foi conduzida - sem vítimas civis ou não intencionais - perto da cidade propriamente dita prova absolutamente que o Exército Vermelho não perdeu nem o domínio da guerra de guerrilha nem o apoio de sua base de massa.

A verdade é que o NPA e o movimento revolucionário em Cotabato Norte continuam a assumir uma postura ofensiva ativa em face da intensificação da militarização pelo 19º IB, o 39º IB, o PNP local e seus paramilitares e o desrespeito arbitrário do regime EUA-Duterte pelo bem-estar das massas. O fascismo e a negligência do Estado empurraram igualmente os camponeses, Lumads e outras massas na província para resistir com armas nas mãos, a fim de enfrentar os ataques econômicos e políticos diários do regime.

ISABEL SANTIAGO

Porta-voz

Comando de Operações Sub-Regionais Mt. Apo

NPA-região do Sul de Mindanao

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube