PT e revisionistas do PCdoB votam “sim” ao ajuste fiscal


Na noite da quarta-feira, dia 6 de maio, em votação realizada na Câmara dos deputados, foi aprovado o texto base da medida provisória 665/14, que visa implementar medidas antipopulares que irão alterar as regras de concessão de seguro desemprego, do abono salarial, etc. Segundo o PT e os revisionistas do PCdoB, a aprovação dessa nefasta medida é necessária para dar ao governo uma “vitória política”. Em uma impressionante e delirante tentativa de defender o indefensável, os dirigentes e quadros desses partidos utilizam das mais variadas formas de malabarismo retórico, para assim justificar suas posições de capituladores e inimigos das massas populares. Em um momento onde as forças mais reacionárias das classes dominantes empreendem uma ofensiva contra o movimento popular em seu conjunto, o dever mínimo dessas organizações era a de barrar todas as tentativas de ataques aos direitos dos trabalhadores, mesmo se tais ataques são aplicados pelo governo que dizem apoiar. Como essas forças não se guiam por uma orientação ideológica correta, e representam interesses de classes sociais titubeantes, era previsível que tomassem tal posição. Pensam estar combatendo a direita e os seus grupos, quando na verdade, apenas jogam água no moinho da reação. Cabe aos trabalhadores conscientes, as organizações verdadeiramente de esquerda e marxistas-leninistas, denunciar a posição dessas forças políticas reformistas e revisionistas, que apenas fazem o jogo da reação em nome da realização de uma chamada “grande política”. Se julgam grandes mestres da “arte da política”, quando na verdade não passam de meros lacaios da reação.


por Gabriel Martinez

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube