"Ho Chi Minh e os trotskistas" (Segunda Carta)


Meus queridos camaradas,


Antes d’eu responder e comentar com vocês a respeito das atividades dos Trotskistas na China, permitam-me apresentá-los meia dúzia de seus líderes, conhecidos traidores, que escreveram em favor da Quarta Internacional. Tran Doc Tu (Chen Duxiu), Banh Thuat Chi, La Han, Diep Thanh, Truong Mo Dao, Hoang Cong Luoc.


Cronologicamente, aqui estão os atos que cometeram:


Setembro de 1931, à época: a ofensiva e invasão Japonesa a Manchúria. A Segurança Japonesa fez contato com os três primeiros nomes supracitados. Os dois partidos assinaram um acordo: o grupo Trotskista concordou em não veicular nenhuma propaganda contra a invasão Japonesa. A Segurança Japonesa, por sua vez, comprometeu-se em conceder aos trotskistas a soma de três mil dólares por mês, como também outros valores complementares necessários, conforme fossem os “resultados do serviço de rendição”.


Feito o acordo, Chen Duxiu (Tran Doc Tu) e os seus cúmplices, imediatamente começaram a trabalhar. Com o dinheiro japonês, publicaram revistas e panfletos com sátiras, propagando ideias como “Na ocupação da Manchúria, os Japoneses quiseram rapidamente resolver o conflito e suspendê-lo; não tinham como objetivo dominar a China”.


Quando tais ideias acabavam de ser propagandeadas nas colunas de sua publicação, Xangai era atacada pelas tropas Japonesas - Janeiro de 1932.


Neste momento, o que os Trotskistas dizem? Eles reconhecem que erraram? Admitem a colaboração com os ocupantes? Absolutamente, não! Enquanto os soldados do 19ª exército derramavam sangue defendendo a pátria, os Trotskistas, em atos e palavras, continuavam cometendo crime atrás de crime. De um lado, escreviam: ‘A Guerra por Xangai não compete ao povo! Não é caso de uma Guerra Nacional Revolucionária. É uma Guerra Imperialista’. Do outro lado, espalhavam falsos rumores, divulgavam lemas e frases derrotistas, cediam segredos de defesa, etc. Mas isso não é tudo! Trotskistas como Hoa Van Khoi e Cung Van Thu, em articulação secreta com a polícia e oficiais Japoneses, infiltraram-se nas Greves dos trabalhadores de Xangai e utilizaram-se de todos os artifícios para sabotar os movimentos, até o ponto em que eles conseguiram prender o ativista mais talentoso da greve.


Em 1933, o Generalíssimo Phung Ngoc Tuong e o General Cat Hong Xuong, membros do Partido Comunista, organizaram uma força de resistência antijaponesa em Kal Gan. À época, o Partido Comunista Chinês atuava secretamente; a articulação entre o Centro e o Norte mostrava-se complicada. Aproveitando-se de tal situação, o trotskista Truong Mo Dao se autointitula “Representante do Partido Comunista” e tenta transformar a Guerra Antijaponesa em uma Guerra Civil com o lema: ‘Marche com os japoneses, lute contra Chiang Kai Shek’. No final, ele foi desmascarado e expulso pelo General Cat. Pouco tempo depois, no decurso de sua última viagem a Tientsin, Truong Mo Dao foi assassinado pelos seus seguidores.


Na minha próxima carta, eu devo lhes contar as atividades dos Trotskistas da China enquanto traidores da Pátria.


Saudações fraternas!


Maio de 1939

Escrito por Ho Chi Minh

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube