1/10

"A persistente validade e vitalidade do marxismo"


Eu presumo que a melhor forma de nós celebrarmos o 200º aniversário de Karl Marx é estudando sua obra e a importância de seus ensinamentos revolucionários para a história social da humanidade e para a conjuntura atual, considerando a persistência da validade e da vitalidade de seu ensino.

Nós fizemos uma crítica renovada do capitalismo e do capitalismo monopolista; esforçamo-nos para revigorar o movimento revolucionário do proletariado e demais classes populares para dar um fim à monstruosidade que se tornou o capitalismo monopolista e concretizar a fase de transição ao comunismo, o socialismo. Como Marx há muito nos dissera, a questão é transformar o mundo.

Com 26 anos, Marx abraçou totalmente a causa comunista do proletariado em 1844. Esse foi o ano em que ele publicou seus Manuscritos Econômicos Filosóficos, onde ele apontou para o processo desumano do capitalismo, através do qual a classe capitalista aliena do proletariado dos produtos de seu trabalho, e deste modo, acumula capital. Este é o trabalho “morto” não remunerado que é usado para dominar e explorar o trabalho vivo nos ciclos de produção e exploração capitalista posteriores.

Foi também e