1/10

Solidariedade aos professores Nuriye Gulmen e Semih Ozakca em sua greve de fome


Nuriye Gulmen é uma acadêmica turca com uma grande história resistência. Por sua campanha por justiça pelo assassinato de Berkin Elvan [1], foi demitida de seu emprego em 2015, mas, depois de um julgamento, conseguiu-o de volta em 2016. Entretanto foi demitida novamente após a tentativa fracassada de golpe [2], quando Erdogan impôs um estado de exceção e começou a eliminar adversários políticos em todos os níveis do estado.


Para combater esta injustiça ela começou a protestar em Yuksel, uma rua central em Ancara. Ela foi presa diversas vezes, dia após dia, mas nunca desistiu de sua resistência. Um mês após o início do seu protesto, um professor que também fora demitido de seu trabalho por sua oposição ao AKP [3], Semih Ozakca, decidiu se juntar à Nuriye.


Sua luta têm gerado um grande apoio por todos os setores democráticos do país. Porém o governo não se moveu. Então, Nuriye e Semih decidiram começar a greve de fome. Para aguentarem mais tempo resistin