top of page
  • Foto do escritorNOVACULTURA.info

Kim Jong Il: "Sobre compreender corretamente os incentivos políticos, morais e materiais"


Compartilhamos com exclusividade a clássica obra "Sobre Compreender Corretamente os Incentivos Políticos, Morais e Materiais", de autoria de Kim Jong Il. Esta obra, publicada na década de 60, responde a importantes questões teóricas, políticas e ideológicas surgidas durante o processo de construção do socialismo na Coreia. Sua relevância não se limita à experiência específica de construção do socialismo na Coreia, pois aborda questões mais gerais sobre a economia política do socialismo. Kim Jong Il explica de maneira clara e precisa a importância de combinar corretamente a política de concessão de incentivos políticos e morais aos trabalhadores com incentivos materiais, dando primazia aos primeiros. A construção do socialismo na República Popular Democrática da Coreia conseguiu superar os desvios de "esquerda" e direita que surgiram no Movimento Comunista Internacional, observando rigorosamente a dinâmica de desenvolvimento da sociedade socialista e definindo corretamente seu caráter enquanto sociedade transitória, mas marcada por características comunistas em constante desenvolvimento. Atualmente, com o crescente interesse em nosso país pelo estudo das diversas experiências socialistas, a obra de Kim Jong Il nos ajuda a entender a abordagem dos comunistas coreanos e como a RPDC superou os problemas do economicismo e do sectarismo esquerdista, dois tipos de desvios que influenciaram significativamente as experiências socialistas do século passado.

 

CENTRO DE ESTUDOS DA IDEIA JUCHE - BRASIL

 

 

É muito importante que os cientistas sociais eliminem sua atitude equivocada de abordar dogmaticamente a teoria anterior e a experiência estrangeira. A orientação Juche deve ser estabelecida de forma completa.

 

Diz-se que uma nova mudança ocorreu na atitude dos cientistas sociais em relação à teoria anterior. Sua maneira de pensar também se alterou depois que o grande líder, Camarada Kim Il Sung, apresentou uma solução original para os problemas do período de transição do capitalismo para o socialismo e da ditadura do proletariado. Isso é muito positivo. No entanto, o ponto de vista ideológico e a maneira de pensar das pessoas não mudam em poucos dias. O servilismo e o dogmatismo ainda permanecem em grande medida nas mentes dos cientistas sociais. O setor das ciências sociais deve aumentar continuamente seus esforços para pôr fim ao servilismo e ao dogmatismo e estabelecer a orientação Juche. É necessário reexaminar, do ponto de vista Juche e de forma geral, as teorias existentes e a experiência estrangeira que foram consideradas absolutas até agora. Sem uma poderosa luta para estabelecer a orientação Juche, será impossível dar aos cientistas sociais uma compreensão completa das ideias e teorias revolucionárias do líder. Tal compreensão é vital para fazer com que as ciências sociais sirvam adequadamente à revolução e à construção do nosso país.

 

Armar completamente os cientistas sociais com a ideia revolucionária do nosso Partido e estabelecer a orientação Juche nas pesquisas científicas é ainda mais urgente nas atuais circunstâncias, quando o oportunismo “esquerdista” e direitista apareceu no movimento comunista internacional e está causando grande dano à construção socialista. No momento, há muita discussão em todo o mundo sobre o problema do período de transição do capitalismo para o socialismo, o problema dos incentivos políticos, morais e materiais para o trabalho, o problema da taxa e do equilíbrio do desenvolvimento econômico e outros problemas que são de grande importância na construção do socialismo e do comunismo. No curso das discussões sobre este tópico, vários desvios ocorrem. Os cientistas sociais em nosso país também discutem bastante sobre esses problemas. Portanto, hoje gostaria de lhes dizer minha opinião sobre algumas dessas questões que agora são de grande contenda entre os cientistas.

 

Primeiro, gostaria de abordar a correlação entre os incentivos políticos, morais e materiais na sociedade socialista.

 

Os argumentos sobre os incentivos políticos, morais e materiais para o trabalho podem ser basicamente divididos em duas tendências. Uma é a superestimação da importância do incentivo material para o trabalho e a subestimação do papel do incentivo político e moral, e a outra é o desprezo da importância do incentivo material e a ênfase apenas no incentivo político e moral. Ambas as posições são desprovidas de razão e prejudiciais tanto teoricamente quanto do ponto de vista prático.

 

Uma solução correta pode ser encontrada para o problema dos incentivos políticos, morais e materiais apenas quando este, como o problema do período de transição, é tratado com base na Ideia Juche do nosso Partido.

 

A questão de combinar os incentivos políticos, morais e materiais é um novo problema que foi levantado na sociedade socialista após o estabelecimento do sistema socialista. Portanto, para ter uma ideia correta deste problema, é preciso primeiro ter uma compreensão correta da sociedade socialista.

 

Sendo uma sociedade que nasceu em desafio à antiga sociedade exploradora, a sociedade socialista é completamente nova e qualitativamente diferente da sociedade capitalista. A sociedade capitalista é uma sociedade baseada no individualismo; nesta sociedade, a antagonismo e a luta de classes constituem a base das relações sociais. Contrariamente a isso, a sociedade socialista é baseada no coletivismo, e a unidade e cooperação camarada dos trabalhadores formam a base das relações sociais. As características essenciais do socialismo residem no fato de que as massas trabalhadoras são as donas do poder estatal e dos meios de produção. As pessoas se unem em ideologia e vontade e cooperam de forma camarada devido à natureza homogênea de seu status social, juntamente com seu propósito e interesses comuns. Isso também é um fator importante que promove o desenvolvimento da sociedade socialista.

 

Além dessa característica comunista, a sociedade socialista também tem a característica de ser transitória. A natureza transitória da sociedade socialista está ligada ao atraso ideológico, tecnológico e cultural deixado pela sociedade exploradora. Mesmo após o estabelecimento do sistema socialista, os vestígios da antiga ideologia e cultura permanecem; o nível de desenvolvimento das forças produtivas não é tão alto a ponto de realizar métodos comunistas de distribuição e, portanto, várias inconsistências permanecem, como as diferenças de classe entre os trabalhadores e os agricultores e as diferenças nas condições de trabalho dos trabalhadores e no padrão de sua vida material e cultural. Por causa disso, a sociedade socialista se distingue da fase superior do comunismo. Ter tanto o caráter comunista quanto o caráter transitório é a marca da sociedade socialista. Ela é diferente tanto da já desmoronada sociedade capitalista quanto da futura sociedade comunista. Ao considerar a sociedade socialista, é errado ver apenas os traços comunistas e não levar em conta os traços transitórios; também é equivocado ver apenas os aspectos transitórios e não considerar os aspectos comunistas.

 

O caráter comunista e transitório da sociedade socialista se reflete na vida laboral dos trabalhadores. As pessoas têm tanto interesse político e moral quanto interesse material no resultado de seu trabalho. Se o incentivo político e moral para aumentar seu interesse pelo trabalho está relacionado ao caráter comunista da sociedade socialista, o incentivo material para aumentar seu interesse está relacionado ao caráter transitório.

 

A posição de dar destaque apenas ao incentivo material para o trabalho pode ser atribuída ao desprezo pelo caráter comunista da sociedade socialista e ao destaque principal colocado em seu caráter transitório. Aqueles que consideram o incentivo material como mais importante exigem que o sistema de incentivo material seja introduzido em toda a estrutura econômica. Eles afirmam que estimular materialmente os trabalhadores é o método mais eficaz para incentivar seu entusiasmo pela produção aumentada e desenvolver rapidamente a economia. Eles argumentam que, mesmo após o estabelecimento do sistema socialista, os remanescentes da antiga ideologia deixada pela sociedade exploradora permanecem em grande medida nas mentes dos trabalhadores. Eles até sustentam que, na sociedade socialista, alavancas econômicas como lucro, bônus e preço devem ser usadas como os principais meios de gestão econômica para aumentar os retornos. Junto com isso está a noção de que as empresas devem ter liberdade para definir preços como quiserem e produzir aqueles bens que trazem grande lucro. Esta é uma teoria antissocialista e revisionista que visa reverter a economia socialista para uma economia capitalista. Se uma economia socialista for administrada de acordo com tal teoria revisionista, a diferença entre uma economia socialista e uma economia capitalista desaparecerá gradualmente e as economias socialistas degenerarão em economias capitalistas. Em última análise, o egoísmo mercenário ganhará terreno entre as pessoas e, no final, chegará ao ponto de corroer e minar toda a sociedade socialista.

 

Por outro lado, aqueles que insistem apenas no incentivo político e moral enfatizam apenas os traços comunistas da sociedade socialista, ignorando seu caráter transitório. Eles sustentam que, na sociedade socialista, não há necessidade de recompensa material que corresponda ao resultado do trabalho e, portanto, princípios puramente igualitários devem ser aplicados na distribuição. O argumento é que aqui todos os trabalhadores trabalham de livre vontade, exibindo um alto grau de entusiasmo político pela sociedade e pelo coletivo, pelo país e pelo povo. A insistência de que a distribuição igualitária deve ser feita nas condições da sociedade socialista, onde as pessoas ainda não consideram os empreendimentos nacionais ou o trabalho coletivo como seu próprio trabalho e as forças produtivas não estão desenvolvidas a tal ponto que as pessoas trabalham de acordo com sua capacidade e a distribuição pode ser feita de acordo com as necessidades, é em última análise uma teoria “esquerdista” que tenta realizar o comunismo de um só golpe, pulando as etapas de desenvolvimento social. A impossibilidade de introduzir a distribuição puramente igualitária nas condições da sociedade socialista já foi provada durante a experiência da Comuna, que existiu no primeiro período do governo soviético na URSS. Aqueles países que estão construindo o socialismo devem ser capazes de aprender uma lição da experiência da Comuna. Se alguém aplica princípios igualitários na distribuição, fechando os olhos para a realidade da sociedade socialista e para a experiência histórica, e sem considerar o resultado do trabalho, isso desmotivará o entusiasmo das pessoas para aumentar a produção e pode levar a uma aversão ao trabalho ou tentar trabalhar pouco, mas obter uma grande parte dos bens, tudo isso prejudicará o progresso na construção do socialismo.

 

Se levantarmos a questão de qual deve ser enfatizado ao equilibrar os incentivos políticos, morais e materiais, acho que deve ser dito que o incentivo político e moral deve ser destacado e isso deve ser apoiado pelo incentivo material. O caráter comunista e o caráter transitório não ocupam a mesma posição nem desempenham o mesmo papel na sociedade socialista simplesmente porque ambos existem lado a lado. As características essenciais de uma sociedade socialista sempre residem em seu caráter comunista. O processo de construção do socialismo e do comunismo é o processo em que os aspectos comunistas da sociedade socialista aumentam continuamente, enquanto seus aspectos transitórios gradualmente desaparecem. Portanto, com o progresso da construção do socialismo e do comunismo, o papel do incentivo político e moral, refletindo o caráter comunista da sociedade socialista, aumenta ainda mais, enquanto o papel do incentivo material, refletindo seu caráter transitório, diminui gradualmente.

 

Dar ênfase principal ao incentivo político e moral e complementá-lo adequadamente com o incentivo material é absolutamente o caminho correto para promover a construção enérgica do socialismo. Isso encorajará o zelo revolucionário das massas e seu entusiasmo para aumentar a produção. A superioridade essencial do sistema socialista é que as massas trabalhadoras trabalham exibindo entusiasmo voluntário e criativo pelo país e pelo povo, bem como por seu próprio bem-estar; e essa superioridade só pode ser manifestada plenamente sob as condições de aumento do incentivo político e moral. É apenas quando todos os trabalhadores participam conscientemente do trabalho com uma atitude de dono, dando prioridade ao incentivo político e moral, que a produção, a gestão econômica e tudo relacionado a isso vão bem.

 

O aspecto mais importante de estimular politicamente e moralmente os trabalhadoras é aumentar o trabalho político. Só quando os trabalhadores são levados a entender claramente para que trabalham e quão importante é o seu trabalho, realizado por meio de um trabalho político eficiente, elas terão consciência de serem donas e implementarão suas tarefas revolucionárias com um alto senso de responsabilidade, exibindo entusiasmo revolucionário.

 

A experiência da construção do socialismo em nosso país mostra claramente que uma grande força pode ser exibida quando os membros do Partido e outros trabalhadores são despertados política e ideologicamente e quando seu entusiasmo revolucionário é estimulado. Nos dias muito difíceis da reconstrução pós-guerra, nosso povo construiu novas fábricas e comunidades rurais sobre escombros, apertando seus cintos, e os trabalhadores de Kangson trabalharam duro e exibiram fortaleza, produzindo milagrosamente em um único ano 120.000 toneladas de aço laminado a partir de um laminador cujo capacidade nominal era de apenas 60.000 toneladas. Eles fizeram tudo isso não porque queriam alguma remuneração. A chave principal para a grande ascensão de Chollima, que trouxemos no período mais difícil da construção socialista, para a admiração do povo do mundo, reside no fato de que demos plena vazão ao entusiasmo revolucionário das massas, possível apenas através de um trabalho político eficiente. Se os trabalhadores forem levados a trabalhar por fins mercenários em vez de trabalharem de livre vontade, como fazem com o devido trabalho político, as massas não exibirão nem criatividade nem heroísmo em massa.

 

É um grave erro pensar que a produção pode crescer continuamente por meio de métodos como aumento de salários e concessão de bônus. Na sociedade socialista, a tentativa de mover as pessoas por dinheiro é um insulto à classe trabalhadora e a outros que juntos são os donos da sociedade. Nossa classe trabalhadora está atualmente fazendo uma realização significativa na construção do socialismo, exibindo grande criatividade. Eles não estão fazendo isso apenas para ganhar mais dinheiro. Em um momento, em nosso país também, alguns funcionários econômicos que estavam impregnados de revisionismo foram para a Siderúrgica de Hwanghae. Todos os dias, faziam, por meio de “notas promissórias”, a avaliação monetária do resultado do trabalho dos trabalhadores sob o pretexto de usar a lei do valor. Aconteceu que os trabalhadores dessa siderúrgica disseram que trabalhavam não por dinheiro, mas pelo país e pelo povo, e disseram a esses funcionários para voltarem imediatamente com toda a sua lei do valor e a “lei das válvulas”. É um método capitalista fazer as pessoas trabalharem por dinheiro; nunca podemos construir o socialismo e o comunismo por meio de tal método.

 

Devemos equipar totalmente todos os trabalhadores com um espírito coletivista, intensificando o trabalho político. Dessa forma, podemos garantir que eles compreendam claramente que seus próprios interesses individuais estão incluídos nos interesses do coletivo. Eles lutarão com completa devoção pela sociedade e pelo coletivo.

 

É importante educar os trabalhadores no espírito da indústria. Os trabalhadores não adquirirão a atitude comunista em relação ao trabalho por conta própria, apenas porque se tornaram os donos da produção. Devemos aumentar a educação no espírito da indústria para que todos considerem o trabalho como sagrado e honrado. Os trabalhadores precisam passar a considerar seu nobre dever dedicar toda a sua força e sabedoria ao trabalho em nome do país e do povo, pela sociedade e pelo coletivo.

 

Se quisermos aumentar o entusiasmo revolucionário entre os trabalhadores, devemos fazer avaliações políticas e morais adequadas dos resultados do trabalho. Nosso povo trabalhador considera seu maior orgulho contribuir para o Partido e para a revolução com sua sabedoria e trabalho. Eles preferem receber uma avaliação política dos resultados de seu trabalho a obter recompensas materiais. Devemos dar alta avaliação política ao sucesso alcançado peos trabalhadores em seu trabalho e dar grande destaque social aos inovadores, para que todos os trabalhadores realizem grandes feitos na construção do socialismo, exibindo grande entusiasmo e autoconfiança.

 

O incentivo político e moral para o trabalho deve sempre ser reforçado pelo incentivo material. O incentivo material para o trabalho é necessário porque existem desigualdades no trabalho e os vestígios da antiga ideologia permanecem nas mentes das pessoas por muito tempo após o estabelecimento do sistema socialista. O que nos opomos não é o incentivo material em si, mas a promoção do egoísmo que ocorre quando o incentivo material é exaltado acima da realização do trabalho político. O incentivo material na sociedade socialista é fundamentalmente diferente de como ele opera na sociedade capitalista. Na sociedade capitalista, onde a exploração e a opressão prevalecem, o incentivo material ao trabalho serve como um meio de infringir a independência do trabalhador e aumentar sua exploração. No entanto, na sociedade socialista, o incentivo material, por meio da avaliação material da produção, desempenha o papel de encorajar os trabalhadores a trabalhar, exibindo entusiasmo e criatividade com a consciência devida aos donos. Oferecemos melhor tratamento material aos trabalhadores que estão engajados em setores onde o trabalho é difícil e árduo do que àqueles engajados em outros setores.

 

Fazemos isso não apenas para dar incentivo material ao trabalho. Não estimulamos apenas as pessoas materialmente, como na sociedade capitalista; isso é feito porque os trabalhadores envolvidos em setores difíceis e árduos consomem mais energia, tanto física quanto mentalmente, do que aqueles envolvidos em outros setores; portanto, para permitir que eles compensem a energia consumida e façam seu trabalho ainda melhor, fornecemos mais a eles.

 

Se quisermos aplicar adequadamente o incentivo material ao trabalho, devemos implementar plenamente o princípio da distribuição socialista. Distribuir uma grande parte para aqueles que fizeram muito trabalho e uma pequena parte para aqueles que fizeram pouco trabalho, de acordo com a quantidade e a qualidade do trabalho realizado, estimula o entusiasmo das pessoas para aumentar a produção e, ao mesmo tempo, serve como um meio importante de se opor à antiga ideia de aversão ao trabalho. Se, ignorando o princípio da distribuição socialista, métodos igualitários forem aplicados, pagamento igual for dado aos que estão envolvidos em trabalho árduo e aos que estão envolvidos em trabalho fácil, e uma quantidade igual de produtos for distribuída entre os trabalhadores, independentemente de sua carga de trabalho, nível de habilidade ou qualidade da mão-de-obra, as pessoas não trabalharão duro para aumentar a produção e melhorar as habilidades. Nesse caso, as práticas de lutar por uma vida fácil e de não trabalhar no trabalho podem ser promovidas. Portanto, devemos garantir que o princípio da distribuição socialista seja implementado com precisão, por meio da avaliação adequada das normas de trabalho e salários e pelo uso de formas de pagamento adicional, como bônus.

 

Agora gostaria de fazer algumas breves observações sobre a taxa de desenvolvimento econômico e o equilíbrio.

 

Existem economistas em alguns países socialistas que insistem que a velocidade deve ser alterada de acordo com o equilíbrio, alegando que o equilíbrio é mais importante do que a velocidade no desenvolvimento da economia.

 

A velocidade, no entanto, é de importância primária e isso é o que devemos enfatizar no debate sobre velocidade versus equilíbrio no desenvolvimento econômico. Como é óbvio, a velocidade no desenvolvimento econômico pressupõe equilíbrio e a economia só pode se desenvolver a uma taxa alta quando é baseada em um equilíbrio adequado. No entanto, ajustar o equilíbrio na economia socialista não é um fim em si mesmo, mas visa garantir uma alta taxa de desenvolvimento econômico. Sendo o meio para garantir a velocidade do desenvolvimento econômico, o equilíbrio da economia deve ser subordinado à velocidade. Portanto, ao mapear o plano econômico nacional, a velocidade deve ser considerada como o fator central e o equilíbrio deve ser ajustado no princípio de garantir a velocidade. Em outras palavras, a velocidade do desenvolvimento econômico deve ser ajustada para atender aos requisitos da política do Partido e o equilíbrio deve ser ajustado entre os vários ramos da economia nacional e entre todos os fatores de produção, explorando ativamente os potenciais e as possibilidades para garantir a velocidade.

 

Atualmente, algumas pessoas exigem que o plano para a economia nacional seja traçado a uma baixa velocidade, alegando que é impossível esperar uma taxa contínua de crescimento na produção, porque o potencial para o desenvolvimento na produção diminui à medida que a economia se desenvolve e sua escala se torna maior. Esta é uma teoria revisionista que é cega para a superioridade do sistema socialista; é uma tendência de capitulação muito prejudicial para recuar na construção de uma economia socialista.

 

Na sociedade socialista, os potenciais e possibilidades de crescimento na produção aumentam ainda mais com o desenvolvimento da economia, porque a mão-de-obra, as matérias-primas e outras necessidades são utilizadas de forma racional, com a orientação uniforme do estado. A produção, distribuição, acumulação e consumo são realizados de acordo com o plano. Em particular, na sociedade socialista, existe um grande fator político-ideológico para desenvolver as forças produtivas rapidamente. Aqueles que atribuem maior importância ao equilíbrio do que à velocidade veem o principal fator para o desenvolvimento da economia socialista em tais condições materiais como matérias-primas, outras necessidades e ferramentas. Eles estão enganados. Na sociedade socialista, a própria força, e não as condições objetivas, é o fator decisivo que determina a alta taxa de desenvolvimento econômico. A economia socialista se desenvolve continuamente sob a liderança correta do Partido e graças ao alto grau de entusiasmo revolucionário e à criatividade dos trabalhadores que se tornaram donas do estado e da sociedade. Portanto, na gestão da economia, deve-se primeiro considerar as pessoas antes de levar em conta equipamentos ou matérias-primas e outras necessidades. Para garantir o rápido desenvolvimento da economia nacional, deve-se primeiro levar em conta a intensa lealdade ao Partido e ao líder das massas produtoras, bem como seu entusiasmo revolucionário, em vez das condições materiais.

 

Nosso país conseguiu superar o Plano Quinquenal em quatro anos e, desde que esse período de planejamento terminou, a economia continua se desenvolvendo a uma taxa alta. Este fato prova claramente que a economia pode se desenvolver constantemente a uma velocidade alta se o Partido e o estado apresentarem uma política correta e energicamente despertar as massas para a implementação dessa política, ao mesmo tempo que fazem um grande esforço para explorar reservas e potencial, organizando o trabalho econômico de forma eficaz.

 

Enfatizar a importância da velocidade no debate sobre velocidade versus equilíbrio não significa que o equilíbrio possa ser negligenciado ou que seu papel possa ser ignorado. A alta taxa de desenvolvimento econômico é garantida por um equilíbrio ativo, que é estabelecido e mantido de acordo com o plano. O desenvolvimento planejado e equilibrado é uma característica importante e uma superioridade da economia socialista. Algumas pessoas atualmente dizem que na sociedade socialista o estabelecimento do equilíbrio é um fenômeno temporário e, portanto, a economia se desenvolve em ondas. Em outras palavras, sua afirmação é que a economia socialista se desenvolve de tal forma que em um momento ela cresce e em outro momento ela retrocede devido ao equilíbrio temporário e ao desequilíbrio constante. Esta é uma teoria muito equivocada. Se, em uma economia socialista, o estabelecimento do equilíbrio é um fenômeno temporário e a contínua interrupção do equilíbrio é o fenômeno geral, não haveria diferença qualitativa entre a economia socialista e a economia capitalista. Na sociedade capitalista, baseada na propriedade privada dos meios de produção, o equilíbrio é continuamente perturbado e o caos e a anarquia econômica prevalecem, porque os capitalistas competem ferozmente entre si para ganhar mais lucros. No entanto, na sociedade socialista, em que os meios de produção estão sob propriedade pública e o estado administra a economia nacional de maneira uniforme, não pode haver desequilíbrio da economia, como questão de princípio. Se o Partido e o estado compreendem prontamente e com precisão as necessidades da realidade em constante mudança e adotam medidas adequadas, será possível desenvolver a economia a um ritmo acelerado, garantindo sempre o equilíbrio.

 

Em nosso país, a economia nacional continua se desenvolvendo a uma taxa excepcionalmente alta. Isso ocorre porque um equilíbrio correto e ativo, capaz de garantir uma alta taxa, é garantido de acordo com a política de planejamento unificado e detalhado. No entanto, em alguns países socialistas, a economia fica estagnada ou não se desenvolve a um ritmo contínuo, mas sim passa por flutuações. Isso não é de forma alguma uma falha relacionada às características essenciais de uma economia socialista. As teorias equivocadas sobre a velocidade do desenvolvimento econômico versus equilíbrio, que agora são defendidas em outros países, são muito prejudiciais, pois difamam a superioridade do socialismo e criam obstáculos e caos para o desenvolvimento da economia socialista. Elas são, em última análise, nada mais do que sofismas que tentam justificar seus erros e falhas na construção econômica.

 

Os funcionários do campo das ciências sociais devem ser capazes de discriminar corretamente e rejeitar categoricamente as teorias oportunistas que são defendidas no mundo e defender e implementar resolutamente a teoria do nosso Partido sobre a construção econômica.

 

Discurso de Kim Jong Il aos Funcionários do Departamento de Ciência e Educação do Comitê Central do Partido do Trabalho da Coreia em 13 de junho de 1967

 

 

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Telegram
  • Whatsapp
PROMOÇÃO-MENSAL-jun24.png
capa29 miniatura.jpg