top of page
  • Foto do escritorNOVACULTURA.info

"Filipinas se tornará peão dos EUA na estratégia de guerra contra a China"



O Partido Comunista das Filipinas se une ao povo filipino na condenação do regime de Marcos por conluio com os Estados Unidos em seu plano de construir mais quatro bases militares no país como parte de seus preparativos de guerra contra a China.


Ontem, o Malacañang anunciou que “aprovou” o “pedido” dos Estados Unidos para ter acesso aos seguintes locais:


– Base Naval Camilo Osias em Sta. Cidade de Ana, Cagayan

– Aeroporto de Lal-lo na cidade de Lal-lo, Cagayan

– Camp Melchor dela Cruz em Gamu, Isabela

– Ilha de Balabac, ilha mais ao sul da província de Palawan


Sob o Acordo de Cooperação de Defesa Aprimorada (EDCA), os acampamentos militares da Forças Armadas filipinas podem servir como “locais acordados” onde os EUA podem construir suas próprias instalações militares. O Aeroporto Internacional de Lal-lo nem sequer é um acampamento militar filipino. Há apenas um posto avançado naval em Balabac, que certamente será ocupado pela Marinha dos EUA e transformado em uma gigantesca fortaleza naval estrangeira, se os planos dos EUA forem adiante.


Sob o EDCA, os EUA desfrutarão de direitos extraterritoriais dentro dessas instalações, nas quais as autoridades filipinas não terão autoridade para entrar ou inspecionar. Os EUA também podem usar livremente o espaço aéreo filipino e as ondas de rádio sob o pretexto de ir e vir dessas bases e instalações. Os militares dos EUA podem armazenar armas nucleares nessas instalações, violando a constituição de 1987, sem que o povo filipino saiba.


Além desses locais da EDCA, os EUA também devem usar as instalações de construção e reparo de navios na antiga Base Naval de Subic, que agora está sendo operada pela Cerberus Company, uma empresa financeira americana proprietária do grupo privado DynCorp.


Ao concordar que os militares dos EUA construam mais bases e instalações nesses locais, o regime de Marcos está permitindo que os Estados Unidos usem as Filipinas como um peão em sua estratégia de guerra contra a China. A Estratégia de Segurança Indo-Pacífica do governo dos EUA visa cercar a China para sufocar o crescimento de seu poder econômico e militar.


Marcos está enganando os filipinos quando afirmou ontem que essas bases e instalações militares dos EUA serão “usadas para operações humanitárias e de socorro”. O chamado programa de resposta a desastres das forças armadas dos EUA é, de fato, uma grande tela para obscurecer o impulso agressivo dos EUA para estender e projetar seu poderio militar. Para ver através das mentiras da alegação de que tais instalações trarão empregos para as comunidades, basta olhar como as bases militares dos EUA em qualquer parte do mundo têm promovido a prostituição e outras atividades antissociais.


Com toda a probabilidade, os EUA construirão instalações para lançar mísseis de longo alcance em um ou mais desses locais do EDCA. Desde 2021, o Comando Indo-Pacífico dos EUA planeja construir uma rede de sistemas de lançamento de mísseis terrestres ao longo do que chama de “Primeira Cadeia de Ilhas”, que inclui Japão, Coreia do Sul, Filipinas e outras ilhas mais próximas da China.


Os preparativos do teatro de guerra dos EUA estão centrados em alimentar a “independência” de Taiwan, a fim de provocar a China a “possuir a arma de partida” e, assim, justificar seus planos de “vir em defesa de Taiwan”. Nesse caso, o aeroporto internacional de Lal-lo provavelmente servirá como plataforma de lançamento e área de serviço de retaguarda para caças a jato dos EUA que serão usados ​​pelos EUA em sua guerra contra a China.


A construção planejada dessas bases militares dos EUA aumentará ainda mais a possibilidade de as Filipinas, assim como o Japão, a Coreia do Sul e outros países, serem puxados para o vórtice da guerra provocada pelos EUA, da mesma forma que os EUA têm usado a Ucrânia como peão contra a Rússia. Essas instalações colocarão em risco a vida dos filipinos, principalmente nas províncias de Cagayan, Isabela e Palawan, pois certamente servirão como ímãs que atrairão a ação ou contra-ação chinesa.


Em meio às maquinações imperialistas dos EUA e ameaças de guerra, a liberdade e a vida do povo filipino estão em jogo. É urgente que o povo filipino se levante, lute por uma soberania genuína e denuncie a subserviência do regime de Marcos.


É dever patriótico dos filipinos se opor ao plano de construir mais bases e instalações militares dos EUA no país, exigir o desmantelamento de todas as outras instalações militares dos EUA, exigir a revogação de todos os tratados militares desiguais com os EUA e exigir independência e neutralidade na política externa.


Por Marco Valbuena, Diretor de Informação do Partido Comunista das Filipinas


0 comentário
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Telegram
  • Whatsapp
PROMOÇÃO-MENSAL-jun24.png
capa29 miniatura.jpg