top of page
  • Foto do escritorNOVACULTURA.info

"Os maníacos da guerra pagarão o preço por sua loucura"



Já advertimos os EUA e a Coreia do Sul que, com sua agressividade militar e imprudência contra a República Popular Democrática da Coreia, nunca sairão impunes, mas causarão sérios perigos.


No entanto, a conduta hostil e desesperada dos belicistas chega ao extremo.


Os EUA e a Coreia do Sul já haviam realizado o exercício militar conjunto Freedom Shield mais duradouro da história por 11 dias desde o dia 13 do mês passado, simulando uma guerra total contra o país socialista e suas loucuras de guerra atingem um clímax depois de terem realizado o exercício de aterrissagem conjunta “Sangryong”.


Durante 5 dias a partir de 20 de março, data de início deste treinamento, a força aérea sul-coreana e o 51º Grupo de Caças da 7ª Força Aérea dos EUA realizaram o exercício de tiro aéreo no espaço do Mar Ocidental da Coréia. e bombardeio ar-terra com o objetivo de melhorar a capacidade de ataque de precisão dos “alvos principais” da RPDC e durante 4 dias a partir do dia 26 as forças armadas sul-coreanas realizaram o treinamento tático combinado para a “ocupação da cidade” de a RPDC.


A fase provocativa “ação decisiva” também passou pelo treinamento Sangryong, onde participou o navio de assalto anfíbio Makin Island das forças navais dos EUA, carregado com dezenas de caças F-35B Stealth e dezenas de navios, caças para diferentes missões, tanques, veículos blindados de ataque para o desembarque, as tropas de expedição dos primeiros fuzileiros navais dos EUA que em tempo de emergência na Península Coreana serão despachadas primeiro do território dos EUA, o grupo de ataque do porta-aviões nuclear americano Nimitz, a unidade especial de batalha de um país satélite e o exército de fantoches sul-coreano.


No exercício do estágio de “ação decisiva” referido como “operação de pouso principal”, as forças armadas combinadas dos EUA e da Coreia do Sul treinaram pouso aéreo e marítimo, ataque e conquista de alvos sob “grande apoio de fogo” a partir do ponto de pouso.


Uma vez iniciada a manobra, as unidades especiais de combate dos EUA, marionetes sul-coreanas e do país satélite “transportaram-se” nos aviões de transporte “C-130”, enquanto na costa as unidades de ataque marítimo pousaram e “avançaram” com veículos e navios de desembarque para a região simulada do território da RPDC.


O exercício de estágio de “ação decisiva”, no qual, sob a ajuda de aviões e navios de guerra fantoches dos EUA e da Coreia do Sul, os fuzileiros navais combinados desembarcaram na região relevante e, ao atingir a área-alvo, apreenderam o trampolim costeiro e terminaram a missão, foi o exercício de caráter agressivo cujo objetivo é precisamente ocupar o território da RPDC através do ataque preventivo.


Em 30 de março, dois bombardeiros estratégicos nucleares B-52H da Força Aérea dos EUA reapareceram nos céus da Península Coreana ameaçando a RPDC, enquanto o líder golpista e outros belicistas se gabavam do absurdo de que “nós também temos vários meios” e “podemos atacar em qualquer esfera”.


De 30 de março a 1º de abril, caças-bombardeiros furtivos que decolaram do navio de assalto anfíbio Makin Island, da Marinha dos Estados Unidos, realizaram um exercício de ataque contra alvos terrestres.


No contexto deste treinamento, os EUA planejam realizar o exercício marítimo conjunto no Mar Oriental da Coreia na próxima semana com a participação das forças navais dos EUA, Japão e Coreia do Sul, incluindo o porta-aviões nuclear americano Nimitz, que ancorou em 28 de março na base operacional de Pusan.


Os fantoches dos EUA e da Coreia do Sul aquecem a cabeça com treino militar para aplicar em combate real a “captura de Pyongyang” e a “operação de decapitação” que antes praticavam à porta fechada, fato que mostra a sua terrível hostilidade à RPDC.


Assim, a natureza agressiva dos provocadores e a verdade de que os exercícios conjuntos com a Coreia do Sul são uma manobra militar intencional decorrente de uma intenção astuta e uma escolha destinada a destruir a paz e a estabilidade da Península Coreana e do resto da região, embora os idiotas dos Departamentos de Defesa e Estado dos EUA embelezam os exercícios como “defensivos” e “rotineiros”, falando em ocasiões papagaias que “são rotinas defensivas e que duraram muito tempo”


Os EUA e os fantoches sul-coreanos estão dizendo abertamente que em junho realizarão os maiores “exercícios combinados de extermínio de fogo conjunto” da história, mobilizando as forças terrestres, navais e aéreas combinadas e todas as armas ultramodernas.


Isso relembra o exército e o povo coreano do mês de junho de 1950, quando foram forçados a sofrer a calamidade da guerra e redobrar ainda mais a vigilância.


Os EUA e seus acólitos nunca devem esquecer o fato de que seu rival está realmente disposto com a capacidade de ataque nuclear e a coragem do povo e militares coreanos que não falam palavras vazias.


Como eles cometeram abertamente a provocação militar contra nosso país, faremos a opção correspondente a tal respeito.


É muito evidente para que servirão nossas armas nucleares, se a dissuasão da guerra não for eficaz com aqueles que agem loucamente sem medo dessa arma.


Eles devem meditar bem se quiserem evitar um trágico acidente inesperado e ter em mente que pagarão o preço proporcional à imprudência.


Da KCNA

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Telegram
  • Whatsapp
PROMOÇÃO-MENSAL-jun24.png
capa29 miniatura.jpg