"O Macartismo está de volta: Membros de Partidos Comunistas são proibidos de imigrar aos EUA"



O Senador Joseph McCarthy morreu em 1957, mas o espectro anticomunista continua vivo na política estadunidense. Membros de partidos comunistas, de qualquer país estrangeiro, são impedidos de imigrar para os Estados Unidos desde a Lei de Imigração e Nacionalidade de 1952.

Num alerta de anúncio da política emitido, o Serviço de Cidadania e Imigração dos Estados Unidos (USCIS) atualizou a orientação que afirma que membros de partidos comunistas são proibidos de imigrar para o país.

O documento diz:

“A regra de inadmissibilidade para filiação ou afiliação ao Partido Comunista ou qualquer outro partido totalitário faz parte de um conjunto amplo de leis aprovado pelo Congresso para abordar ameaças à segurança e proteção dos Estados Unidos. Em geral, a menos que de outra forma isentado, qualquer imigrante que é ou já foi filiado ou afiliado ao Partido Comunista ou qualquer outro partido totalitário (ou subdivisão ou afiliado), doméstico ou estrangeiro, não é admitido nos Estados Unidos.”

A orientação do USCIS abre algumas exceções, como “filiação involuntária” (!), quando alguém se tornou membro de um partido comunista “com menos de 16 anos de idade, por razões legais, ou com a intenção de obter um emprego, alimento ou outras necessidades básicas para sobrevivência e se foi necessária a filiação ou afiliação para tais propósitos”. Ademais, exceções específicas podem ser aplicadas para ex-membros de partidos comunistas cuja “filiação ou afiliação acabou ao menos 2 a 5 anos antes da data do pedido de visto”.

Diversos analistas e membros da mídia chinesa argumentam que a atualização da política adiciona uma nova dimensão para a rivalidade contínua entre EUA e China, com a intenção da nova política sendo a de impedir membros do Partido Comunista da China de obterem residência permanente ou cidadania nos EUA.

Entretanto, a orientação do USCIS mostra o medo profundo da elite política estadunidense da possibilidade de radicalização das massas da classe trabalhadora no país. A crise do sistema capitalista, a pobreza, o desemprego, a violência racista, e a brutalidade policial criaram uma situação sufocante em amplas partes da população, em sua maioria trabalhadores, fazendeiros pobres, afro-americanos de baixa renda e outras minorias étnicas.

De qualquer forma, a atualização da política citada acima parece ser o prefácio da intensificação da opressão política contra comunistas nos EUA, que enfrentam cada vez mais restrições e obstáculos em sua atividade política.


Do In Defense of Communism

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube