"Vitórias da luta armada na ilha de Negros, nas Filipinas"


O comando operacional regional do Novo Exército Popular (NEP) em Negros [1] lançou um total de 17 ações armadas desde o final de janeiro deste ano, tendo rendido 10 rifles de alto calibre, 15 armas leves, munições diversas e outros materiais militares. Essas ações foram levadas a cabo através dos cinco fronts guerrilheiros existentes na ilha.


Ka Juanito Magbanua, porta-voz do comando operacional regional Apolinario Gatmaitan do NEP, afirmou que a ação mais significante foi a emboscada do último dia 21 de janeiro, em Barangay Magsaysay, cidade Guihulngan, que finalmente justiçou uma série de policiais um paramilitar inimigo.


“Essa ofensiva tática estava atrasada há muito tempo, tendo em vista o anseio das massas em punir as unidades fascistas da polícia filipina em Guihulgan, que, por anos, tem cometido execuções extrajudiciais contra civis; além de proteger notórias traficantes e grupos do crime organizado, agindo como pistoleiros contratados dos mesmos”, afirmou.


Durante os últimos seis meses, o NEP também levou a cabo medidas punitivas contra quatorze grileiros, elementos criminosos e membros da inteligência do 303ª Brigada, responsáveis, apenas neste ano, protagonizaram uma série de violações humanitárias e ações contra os camponeses. Estes justiçamentos comprometem a capacidade do Exército e Polícia filipina para causar maiores danos à vida, aos direitos e atividades de subsistência dos moradores de dentro e fora das áreas guerrilheiras na ilha.


O inimigo também sofreu maior dano nas três atividades defensivas executadas este ano, tendo perdido dois de seus homens em 22 de junho, em barangay Cambayobo, cidade de Calatrava; e a 79ª divisão perdeu mais quatro dos seus em 30 de junho, em barangay Binobohan, cidade Guihulngan.


Em todas essas ações ofensivas e defensivas, o NEP teve apenas um de seus combatentes levemente ferido.


Ka Juanito Magbanua disse que “isso demonstra que o NEP está aumento sua capacidade de levar a cabo a lutar armada, que se integra na revolução agrária e a construção de bases de apoio; todavia, devemos constante nos aprimorar, uma vez que o regime de Duterte-EUA se desvestiu de todas fantasias progressistas para intensificar sua guerra brutal e reacionária contra o movimento revolucionário armado”.


A esse respeito, o Comando Operacional Regional também conduziu dois treinos político-militares nos últimos seis meses, visando aprimorar as habilidades de combate, políticas e a disciplina entre os comandantes e combatentes revolucionários do NEP. O primeiro foi um curso de treinamento político-militar introdutório de 40 dias, que teve 27 formados. E o segundo foi um curso da mesma ordem, de 50 dias, que teve 67 formados. Ao menos 80% dos participantes tinha idade entre 18 e 30 anos, e apenas 15% deles eram de origem pequeno-burguesa.

'

Ka Juanito Magbanua diz que esses treinamentos fornecem um ânimo adicional para os comandantes e combatentes vermelhos para melhor aplicarem o programa de 3 anos do Partido, que visa, entre outras coisas, construir mais e maiores grupos de formação do NEP, em todos os níveis; intensificar as ofensivas táticas para capturar mais armas e outros equipamentos militares, sobretudo do exército e da polícia; e lançar uma extensa e intensiva guerra de guerrilhas, apoiadas em uma ainda mais ampla e profunda base de massas.


Os treinamentos foram realizados inicialmente em 2008, quando Negros se tornou um alvos nacionais prioritários para as campanhas contrarrevolucionárias do governo. O Exército Popular na ilha teve de lidar com os conflitos político-militares, diante das operações de busca e execução sustentadas pelo inimigo até 2013, ao mesmo tempo em que priorizava o trabalho de reconstrução das bases revolucionárias das massas naquela época.


Como a quarta maior ilha do país e a segunda maior em Visayas, é necessário que o movimento revolucionário armado de Negros continue superando suas debilidades e retificando seus erros para continuar frustrando as ações de execução do regime Duterte-EUA e para contribuir para que a etapa da defensiva estratégica da guerra popular, a nível nacional, se desenvolva até o próximo estágio.


Juanito Magbanua, Porta-voz do Comando Operacional Regional Apolinario Gatmaitan do Novo Exército Popular da Ilha de Negros.

Notas

[1] Negros é uma ilha pertencente ao arquipélago de Visayas, ao norte de Mindanao, nas Filipinas, sendo a segunda maior ilha do arquipélago.

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube