top of page
  • Foto do escritorNOVACULTURA.info

"Centro de Estudos da Ideia Juche visita a República Popular Democrática da Coreia"


O Centro de Estudos da Ideia Juche - Brasil (CEIJ-BR) visitou a República Popular Democrática da Coreia entre os dias 11 e 18 de abril de 2024 à convite da Associação Coreana dos Cientistas Sociais para participar do Seminário Internacional da Ideia Juche e do Curso da Ideia Juche em Pyongyang, capital da república.

Representaram o CEIJ-BR os camaradas Gabriel Martinez e Eduardo Vasco, que se juntaram a delegações de diversos países na primeira visita de estrangeiros do mundo todo à RPDC desde o fechamento do país devido à eclosão da COVID-19, no início de 2020.


A delegação do CEIJ-BR, como ocorre desde a primeira visita do Centro à RPDC, em 2011, foi recebida calorosamente pelos camaradas coreanos, que disponibilizaram um guia e intérprete para facilitar a nossa estadia em Pyongyang, o camarada Ju Myong Won.


Ficamos hospedados no Hotel Koryo, próximo à estação de trem de Pyongyang, junto com as outras delegações internacionais. Pela primeira vez, para a surpresa de todos, havia acesso à Internet via wi-fi, dentro do hotel. Isso demonstra a vontade do governo da RPDC em desenvolver as comunicações dos visitantes, apesar das fortes dificuldades impostas pelo bloqueio imperialista, que impede a nação de estabelecer relações normais com o resto do mundo.


Durante a visita, as delegações participaram de diversas atividades organizadas pela Associação dos Cientistas Sociais, como a ida ao Museu de Belas Artes, ao Palácio das Crianças de Mangyongdae, à Fazenda Combinada de Estufas de Kandong, ao Zoológico de Pyongyang, à Torre da Ideia Juche, ao Circo Nacional e a outros museus e salas de espetáculo.


Dentre esses pontos visitados, cabe destaque especial à fazenda de estufas. Localizada na zona rural da capital, ela é a mais nova instalação do tipo no país, tendo sido inaugurada na véspera de nossa visita. Com 100 hectares, ela é um conjunto de oito fazendas de diversos tipos e dotada da mais moderna tecnologia, que permite o cultivo de hortaliças ao longo de todo o ano dentro das estufas, que reproduzem todas as condições naturais para o seu crescimento, fazendo com que mesmo no inverno as verduras e legumes possam crescer. Em um país com enormes dificuldades para o desenvolvimento natural da agricultura devido às suas características geográficas, esse método é essencial para garantir a alimentação da população.


Por ocasião do Dia do Sol, aniversário de nascimento do Presidente Kim Il Sung, fundador do Estado socialista coreano, as delegações visitaram a Colina Mansu, onde se encontra o Grande Monumento da Colina Mansu. Esse monumento é composto pelo Museu da Revolução Coreana e pelos monumentos dedicados aos grandes líderes, Presidente Kim Il Sung e Camarada Kim Jong Il. Como de costume, foram depositadas flores aos pés das estátuas dos líderes. A delegação do CEIJ-BR, juntamente com a delegação do Centro de Estudos da Política Songun - Brasil, representou todas as delegações internacionais nessa importante manifestação de solidariedade e apoio à RPDC.


Além da programação oficial, pudemos realizar uma programação própria, informal, com nosso intérprete e outros camaradas. Passeamos pelas ruas de Pyongyang de dia e de noite e pudemos notar o incrível desenvolvimento da capital, mesmo após sair dos difíceis anos da pandemia. Novos edifícios residenciais foram construídos, como os do bairro Songsin, e, como é regra na Coreia Popular, seus apartamentos estão sendo entregues gratuitamente à população. Passamos por uma parte do bairro cujos prédios haviam sido inaugurados há poucos dias pelo Estimado Camarada Kim Jong Un e ainda era possível ver colunas de soldados-operários com pás e capacetes pelas ruas – na RPDC, os militares são parte ativa da sociedade e da classe operária e trabalham frequentemente nas obras de construção por todo o país.


Ao contrário do que é disseminado pelos órgãos de propaganda do imperialismo, a Coreia Popular é um país controlado pelo povo, pela classe trabalhadora. Sendo assim, já não têm mais as preocupações que ainda hoje atormentam os povos do mundo todo, como a falta de moradia, o analfabetismo, as doenças facilmente tratáveis, o desemprego, a repressão policial, a prostituição, o tráfico de drogas, etc.

Graças à eliminação desses males, a RPDC pode hoje utilizar os seus esforços para construir um país léguas à frente das demais nações do chamado Terceiro Mundo e, em muitos aspectos, até mesmo das nações mais ricas e desenvolvidas do planeta. Nota-se claramente esse processo de desenvolvimento a plenos pulmões em Pyongyang, com uma frota modernizada de carros – incluindo de marcas nacionais – e obras em construção por toda a parte.


Em um mundo cada vez mais polarizado entre nações imperialistas e as nações oprimidas pelo imperialismo, diante da crise do sistema capitalista, com tendências de enfrentamento aos países imperialistas na África, Ásia e América Latina, a República Popular Democrática da Coreia apresenta às nações que buscam se libertar o caminho a ser seguido: a vitória sobre o imperialismo, a independência nacional e a construção de uma sociedade nova que desenvolva plenamente as forças produtivas e erradique a era de atraso e opressão capitalistas, ou seja, a sociedade socialista e comunista.


CENTRO DE ESTUDOS DA IDEIA JUCHE - BRASIL

27 de abril de 2024

0 comentário
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Telegram
  • Whatsapp
PROMOÇÃO-MENSAL-mai24.png
capa29 miniatura.jpg