top of page
  • Foto do escritorNOVACULTURA.info

"Juventude amante da paz una-se contra os bombardeios aéreos na Palestina, Índia, Myanmar e Filipinas"


Os imperialistas e os seus fantoches fascistas em todo o mundo lançaram bombardeamentos aéreos indiscriminados sobre comunidades, hospitais, escolas, igrejas e outras infra-estruturas civis. Apesar de ser um crime de guerra que visa principalmente civis, os bombardeamentos aéreos, os drones e as metralhadoras estão a ser cada vez mais utilizados como principal instrumento de terror por governos assassinos liderados por Netanyahu em Israel, Modi na Índia e Marcos Jr nas Filipinas.

 

Na Palestina ocupada, a destruição e o custo humano causados ​​pelos bombardeamentos aéreos ganharam destaque na cena internacional. Desde 7 de outubro, as Forças de Ocupação Israelenses (IDF) lançaram uma campanha ininterrupta de bombardeamentos aéreos sobre Gaza e a Cisjordânia. O número de mortos já ultrapassou 30 mil, incluindo 10 mil crianças. Quase 1.800 crianças ainda estão desaparecidas sob os escombros de edifícios destruídos.

 

Na Índia, uma campanha de bombardeamento aéreo em Bastar foi lançada em abril de 2023 visando as regiões fronteiriças de Chattisgarh e Telengana pela quarta vez em três anos consecutivos. O ataque aéreo de drones foi realizado nas aldeias de Madkanguda, Mettuguda, Bottethong, Sakleer, Madinaguda, Kannemerka, Pottemangam, Bottalanka, Rasappalli, Errapadu nas áreas de Kishtaram e Pamed do estado de Chhattisgarh e matou uma mulher indígena chamada Pottam Gangi.

 

Nas Filipinas, uma campanha de bombardeamentos aéreos atingiu as comunidades rurais de Negros, Cagayan, Batangas, Kalinga e outras províncias desde 2021. O novo regime de Marcos Jr. herdou o gosto do seu antecessor, Rodrigo Duterte, pelos bombardeamentos aéreos. Em seu primeiro ano como presidente, Marcos Jr. já contabilizou mais de 7 mil vítimas de bombardeios aéreos. Os bombardeamentos aéreos em Cagayan e Kalinga, em particular, são vistos como uma medida para preparar o caminho para a construção de bases americanas no norte de Luzon.

 

Em Myanmar, a junta governante desencadeou pelo menos 643 ataques aéreos e ataques de drones desde o golpe de 2021, matando 772 pessoas no local. Isto, juntamente com os 871 bombardeamentos, levou à morte de milhares de não-combatentes, afetando especialmente agricultores, povos indígenas e produtores rurais de alimentos. Estes bombardeamentos afetaram Karenni, Sagaing, Chin e outros estados do país. No estado de Karenni, onde mais de 84% da população está atualmente deslocada internamente, o povo Karen, que há muito luta pelos seus direitos à terra, tem suportado o peso destas atividades violentas.

 

Vemos que, sob o pretexto de erradicar a resistência armada, estes governos fascistas cometem crimes de guerra desenfreadamente, a fim de espalhar o terror entre a população civil. Estes ataques não causam apenas a destruição imediata de vidas, mas também danos a longo prazo nos sistemas de irrigação e nas terras agrícolas das comunidades visadas, que são na sua maioria agricultores.

 

Os jovens são particularmente afetados pelos bombardeamentos e pela militarização, dada a destruição das comunidades que herdarão e causando traumas prejudiciais que os acompanharão durante grande parte das suas vidas. E, no entanto, a juventude sempre esteve na vanguarda das lutas pela justiça, desde as lutas antiguerra em apoio ao povo do Vietnã, Afeganistão, Iraque, entre outros. A juventude também liderou o mundo em todos os movimentos de justiça social, desde campanhas de justiça aos trabalhadores agrícolas, movimentos revolucionários estudantis e operários e lutas antirracistas em todos os cantos do globo.

 

Nós, as organizações e indivíduos amantes da paz abaixo assinados em todo o mundo, comprometemo-nos com a luta contra os bombardeamentos aéreos indiscriminados. Os governos devem parar imediatamente estas campanhas, realizar investigações urgentes, completas e imparciais e fornecer apoio e reabilitação às vítimas. Condenamos também os Estados Unidos imperialistas por patrocinarem estes ataques a civis através de ajuda militar e por fornecerem armas a estes governos antipopulares.

 

Assinantes:

 

Liga Internacional da Luta dos Povos (ILPS)

Comissão da Liga Juvenil

Liga de Estudantes Filipinos (Filipinas)

Frente Revolucionária de Estudantes (Índia)

Associação de Estudantes Democráticos (Kerala, Índia)

Movimento Juvenil Palestino

Federação de Estudantes União de toda a Birmânia

Organização de Estudantes de Mianmar

Rede de Jovens dos Povos Indígenas da Ásia

Juventude pela Soberania Alimentar

Rede Nacional de Defensores da Reforma Agrária (Filipinas)

Rede de Jovens Indígenas Filipinos Siklab

Gempar Papua (Papua Ocidental)

Sulong UBC (Canadá)

Anakbayan EUA

 

ASSINE A DECLARAÇÃO DE UNIDADE AQUI: bit.ly/StopAerialBombings

 

 

 

Fogo do Inferno patrocinado pelo Estado

 

Pelo menos 2.905 bombardeamentos patrocinados pelo Estado contra comunidades indígenas e rurais só nos últimos três anos.

 

Veja o mapa interativo aqui – https://datawrapper.dwcdn.net/fYNmA/1/

 

Israel bombardeou palestinos 2.476 vezes em 3 anos

 

Os ocupantes sionistas apoiados pelos EUA bombardearam e mataram mais de 15 mil palestinos nos últimos três anos, 9 em cada 10 dos quais apenas nos últimos dois meses.

 

Veja o mapa interativo aqui –  https://www.datawrapper.de/_/7qR7n/

 

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Telegram
  • Whatsapp
PROMOÇÃO-MENSAL-jun24.png
capa29 miniatura.jpg