top of page
  • Foto do escritorNOVACULTURA.info

"Enquanto existir o imperialismo, a posse de armas nucleares será uma opção inevitável"


Desfile militar na República Popular Democrática da Coreia

A Ministra das Relações Exteriores da República Popular Democrática da Coreia, Choe Son Hui, emitiu a declaração em 30 de setembro:


Em 29 de Setembro, os Estados Unidos e seus fantoches convocaram as negociações à porta fechada do Conselho de Segurança da ONU, onde difamaram as atividades constitucionais invioláveis ​​e as medidas para reforçar a capacidade de autodefesa nacional da RPDC.


Rejeito categoricamente a conduta ilegal dos EUA e de outras forças hostis que questionaram o exercício justo da soberania do nosso Estado como “provocação” e “ameaça”, chamando-a de um desafio frontal à soberania da RPDC e de uma intervenção aberta nos assuntos de um Estado soberano.


É um padrão de duplicidade de critérios que o Conselho de Segurança da ONU questione apenas o exercício do direito soberano do nosso Estado, fechando os olhos às incessantes provocações militares dos EUA e dos seus acólitos que tomaram como política de Estado o “fim do poder” do RPDC, que perturbam a paz e a estabilidade da região da Península Coreana.


A conduta anormal do Conselho de Segurança da ONU, que critica as atividades constitucionais, o uso legítimo do espaço e o desenvolvimento normal das relações externas do Estado soberano, mostra que, na sua essência, a insistência das forças hostis na “execução da resolução” da ONU significa a renúncia completa ao poder estatal da RPDC.


O estabelecimento ao mais alto nível da posição jurídica da RPDC como país responsável pelas armas nucleares é um resultado inevitável do processo histórico para fortalecer a capacidade de defesa nacional e elevar a posição da RPDC.


Legalizar a posição do país que possui armas nucleares não é apenas uma tarefa para alterar os artigos do código supremo do Estado, mas também é importante para garantir a prosperidade eterna da RPDC e preparar a poderosa arma legal de defesa da soberania nuclear.


A posição e o papel das armas nucleares na garantia da segurança do nosso Estado refletem corretamente a ameaça hostil vinda do exterior e a mudança na estrutura mecânica geopolítica do mundo no presente e no futuro.


É uma realidade que ninguém pode negar que as incessantes ameaças nucleares contra a RPDC, impostas pelos EUA e pelas suas forças de apoio durante mais de meio século, constituem um fator decisivo e premissas que fizeram com que o país socialista possuísse armas nucleares e se fortalecesse suas forças armadas nucleares.


Durante várias décadas antes da posse destas armas pela RPDC, os EUA nuclearizaram a região da Península Coreana e intensificaram a ameaça nuclear contra a RPDC, razão pela qual o país socialista foi forçado a ter armas nucleares. Esta é uma história indelével e incorrigível.


Para confrontar os EUA e os seus satélites que fizeram da utilização de armas nucleares contra a RPDC a sua política, a RPDC dá mais importância ao papel destas armas na segurança do Estado e consolida a sua posição jurídica e institucional, que é um direito independente e inquestionável de um Estado soberano.


Enquanto existir uma entidade imperialista como os EUA, a posse de armas nucleares será a opção inevitável do nosso Estado.


Se os EUA e outras forças hostis tentarem negar ou remover a posição constitucional do nosso Estado, forçando-nos a desnuclearização, consideraremos isso como a mais flagrante violação da soberania e da constituição, que nos impõe a renúncia à Constituição e ao regime.


Aproveito esta oportunidade para deixar um alerta ao Conselho de Segurança da ONU, que, longe da imparcialidade e da igualdade, aplica sem hesitação o padrão de dois pesos e duas medidas, obedecendo cegamente aos Estados Unidos.


Iremos enfrentar com a reação mais forte e esmagadora todas as tentativas de forças hostis contra os direitos soberanos da RPDC e defenderemos a posição do país com armas nucleares, que é o maior interesse da segurança nacional, de atos hostis vindos do exterior.


Da KCNA (Korean Central News Agency)


  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Telegram
  • Whatsapp
PROMOÇÃO-MENSAL-mai24.png
capa29 miniatura.jpg