top of page
partido-dos-panteras-negras.png
  • Foto do escritorNOVACULTURA.info

"Justiça para Hind Rajab e as 12 mil crianças palestinas assassinadas por Israel e EUA!"


A Aliança Internacional das Mulheres na Ásia-Pacífico, juntamente com GABRIELA e a comissão de mulheres da Liga Internacional das Lutas dos Povos, condenam veementemente o massacre contínuo de crianças, mulheres e homens palestinos pelas forças dos EUA e de Israel. No sábado, Hind Rajab, de 5 anos, foi encontrada morta quase duas semanas depois de ligar para os pais pedindo ajuda enquanto estava presa em um veículo onde seus parentes foram mortos pelas forças sionistas. Dois paramédicos da Sociedade do Crescente Vermelho palestino enviados para resgatar Rajab também foram assassinados. Os dados das últimas 24 horas revelam que mais de 28.300 palestinos foram assassinados – mais de 12 mil eram crianças. Outros milhões estão deslocados e milhares de feridos, enquanto mulheres e crianças palestinas são injustamente detidas e sujeitas a violência sexual e tortura.

 

Apesar da pressão internacional, a ocupação israelense apoiada pelos EUA não dá sinais de parar. Recentemente, declarou o seu plano de realizar ofensivas terrestres em Rafah, onde mais de metade da população de Gaza está amontoada em tendas improvisadas. Muitos dos quais fugiram das suas casas em busca de refúgio enquanto os EUA e Israel bombardeavam as suas comunidades, apenas para serem novamente alvo de outra operação contra Israel financiada pelos estadunidenses.

 

Nós, mulheres na luta anti-imperialista, exigimos que EUA e Israel sejam responsabilizados por cada criança torturada e assassinada, por cada vida destruída, por cada casa e hospital incendiados. A agressão imperialista dos EUA e de Israel, juntamente com os seus aliados, custou a gerações de palestinos um sofrimento intenso – desde a tomada de posse das suas terras e recursos pelos sionistas, até aos ataques genocidas que as forças de ocupação lançaram contra milhões de pessoas em Gaza, a Cisjordânia e até mesmo em Estados árabes próximos.

 

Os EUA, como principal fomentador da guerra imperialista, têm instigado guerras em todo o mundo para manter o seu monopólio de mercados e recursos, e para lucrar com a escalada dos conflitos. E em toda esta destruição, são sempre as mulheres e as crianças as mais vulneráveis ​​às atrocidades das forças militares e dos seus governos fantoches. As massas trabalhadoras do mundo são as que mais sofrem com a grave miséria, a perda de empregos e de meios de subsistência, o deslocamento e a intensificação da repressão que resultam de guerras imperiais que não surgem apenas na forma de agressões militares como na Ucrânia, na Península Coreana e no Mar Ocidental das Filipinas; mas também através de sanções econômicas, como acontece em muitos países latino-americanos.

 

É, portanto, justo e necessário que a luta de libertação na Palestina e em outras partes do mundo continue e avance no sentido da derrota do imperialismo norte-americano. Os povos explorados e oprimidos do mundo devem unir-se para responsabilizar os EUA, Israel e todos os seus aliados pelas suas atrocidades e crimes de guerra. Exortamos as mulheres e os povos da classe trabalhadora de todo o mundo a se levantarem pela libertação do imperialismo!

 

DECLARAÇÃO CONJUNTA

Aliança Internacional de Mulheres na Ásia-Pacífico (IWA-AsPac)

GABRIELA | Aliança das Mulheres Filipinas

Comissão das Mulheres da Liga Internacional das Lutas dos Povos (Comissão ILPS 7)

 

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Telegram
  • Whatsapp
PROMOÇÃO-MENSAL-jun24.png
capa29 miniatura.jpg