1/10

Liberdade para Genaro Meza! Abaixo a repressão contra o povo paraguaio!



Em 11 de janeiro de 2021, o companheiro Genaro Meza, cozinheiro, lavrador, velho militante do Partido Paraguay Pyahurã (PPP) e de outros movimentos de massas, foi condenado a vinte anos de prisão sob a falsa acusação, por parte do Estado reacionário paraguaio, de ter participado do sequestro do colono menonita Franz Wiebe, ocorrido em 2016 e reivindicado pelo Exército Popular Paraguaio (EPP). Franz Wiebe seria solto pelos guerrilheiros no início de 2017. Porém, a prisão de Genaro Meza ocorreria alguns meses após a soltura de Wiebe, e ele esteve detido desde então. Mais de três anos após sua detenção, o Estado mafioso paraguaio condena este homem de quase 68 anos de idade a vinte anos de prisão. Nada tão diferente de uma sentença de morte.


Porém, tal como ocorre com frequência também em nosso país, a condenação de Meza pelas vias “institucionais”, “democráticas”, ocorre em meio de uma série de vícios que, na prática, anulariam o processo. Primeiramente, o principal testemunho que levou à condenação de Meza, que teria sido feito por ele próprio – no qual supostamente teria se autodeclarado membro do EPP atuante no assentamento Tava Jopói, onde vivia – é falso, é um depoimento que jamais fora feito e simplesmente foi implantado no decorrer da acusação. Ademais, a acusação cita que Genaro Meza seria tio de Magna Meza, uma das líderes do EPP, o que constitui uma mentira completa. Ao contrário disso, todas as pessoas próximas a Meza negam enfaticamente que ele seja um membro do EPP.


Ademais, para além dos testemunhos fantasmas presentes no processo, foram implantadas provas, estas que foram introduzidas na cadeia de custódia e sobre as quais foi feita perícia criminal, conforme informações constadas na declaração do Partido Comunista Paraguaio acerca do tema.


Atualmente, o Partido Paraguay Pyahurã, o Partido Comunista Paraguaio, a Federação Nacional Camponesa e diversas outras entidades e movimentos de massas paraguaios têm levado adiante lutas e demonstrações para denunciar a repressão ocorrida na prisão do companheiro Genaro Meza. Tais entidades convidam os amigos do povo paraguaio no exterior a se somar à voz de protesto pela libertação de Meza.


Como sabemos, desde o Massacre de Curuguaty, ocorrido no ano de 2012, subsequentemente também à queda do presidente Fernando Lugo em um processo fraudulento de impeachment, tem havido uma entrega crescente do patrimônio público e dos recursos naturais paraguaios às aves de rapina do imperialismo ianque e aos seus sócios-menores do agronegócio brasileiro. Tal situação tem se traduzido em uma crescente repressão contra as massas trabalhadoras, bem como em uma crescente tentativa, embora já usual, de tentar os movimentos de massas e as resistências armadas do povo paraguaio ao narcotráfico, que é justamente quem, por sinal, se encontra por trás da prisão de Meza e diversos outros militantes progressistas.


O NOVACULTURA.info convoca seus leitores a divulgarem tais notícias, de forma a expandir a solidariedade ao povo irmão paraguaio na exigência pela liberdade de Genaro Meza.

49 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
JORNAL-BANNER.png