1/10

"Sobre as questões do período de transição para o socialismo e a ditadura do proletariado"



No decorrer do estudo dos documentos da Conferência do Partido, alguns estudiosos e funcionários encarregados do trabalho ideológico formaram recentemente diversas opiniões sobre as questões do período de transição e da ditadura do proletariado. Particularmente após a publicação de um ensaio sobre estas questões, a opinião ficou ainda mais dividida. Então eu estudei os dados sobre o assunto, troquei opiniões com os acadêmicos e fiz uma breve conclusão. Mas aqueles camaradas que ouviram isso interpretaram e transmitiram para outros à sua maneira, o que deu origem a distorções de muitos pontos. Uma vez que o assunto é uma questão muito importante relativa aos documentos da Conferência do Partido, ele não pode, de maneira alguma, ser negligenciado. Então, vou entrar em detalhes sobre isso hoje.


Como todos os outros problemas científicos e teóricos, as questões do período de transição e da ditadura do proletariado também devem ser resolvidas do ponto de vista do Juche do nosso Partido. Vocês não devem se apegar às proposições dos clássicos e tentar resolver as questões dogmaticamente, nem ser fascinados pelas idéias dos lacaios e tentar interpretá-las como os outros o fazem. A julgar pelas opiniões escritas de vários estudiosos ou dos ensaios de alguns camaradas, no entanto, quase todos os camaradas ou interpretam as proposições dos clássicos dogmaticamente, ou se enredam em tendências de bajulação a grandes potências e tentam interpretá-los como pessoas de outros países pensam.


Consequentemente, eles avançam as questões em uma direção que é completamente diferente do que o nosso Partido está pensando. Vocês nunca podem estudar e resolver as perguntas corretamente dessa maneira. Vocês só podem chegar a uma conclusão correta quando usam seus próprios cérebros para resolver os problemas, livre de bajulação e dogmatismo.


Vamos ver o problema do período de transição primeiro.


Para elucidar a questão do período de transição corretamente, é necessário primeiro considerar quais circunstâncias históricas e em quais premissas os clássicos, particularmente de Marx, avançaram essa questão.


Em primeiro lugar, em nossa opinião, Marx obviamente tinha em mente os países capitalistas desenvolvidos quando definiu o socialismo e formulou a questão do período de transição do capitalismo para o comunismo ou do capitalismo para o socialismo. Acho que devemos estar plenamente cientes deste fato antes de qualquer outra coisa, se quisermos encontrar uma solução correta para a questão do período de transição.


Quais são, então, os países capitalistas desenvolvidos a que nos referimos? Eles envolvem países capitalistas em que não apenas as cidades mas também o campo tornaram-se completamente capitalistas, e as relações capitalistas existem em toda a sociedade. O resultado é que não existe mais camponês no campo, mas sim o lado do operário agrícola, do lado do operário industrial. Os países capitalistas desenvolvidos que Marx tinha em mente quando apresentou sua teoria eram tais países capitalistas. Um país como a Inglaterra, que ele havia visto e onde ele havia vivido e trabalhado, era precisamente um desses países. Ao formular a questão do período de transição do capitalismo para o socialismo, portanto, Marx assumiu antes de tudo uma condição na qual não existia distinção de classe entre a classe trabalhadora e o campesinato, e ele procedia dela.


Agora, para citar a instância dos países capitalistas mais desenvolvidos dos tempos modernos, suas forças produtivas desenvolveram-se de tal forma que transformam até mesmo o campo em totalmente capitalista. Como resultado, a classe trabalhadora é a única classe trabalhadora tanto nas cidades quanto no campo. Num certo país capitalista existem dezenas de milhares de fazendas, todas altamente mecanizadas. Não só isso, mas a eletrificação, a química e a irrigação do campo também estão em um nível muito alto. Assim, considerando que, um trabalhador agrícola cuida de trinta jongbo (ou hectares) de terra naquele país. O que isto significa? Significa não apenas que não existe distinção de classe entre a classe trabalhadora e o campesinato, mas também que as forças produtivas agrícolas estão quase no mesmo nível que as industriais. A única diferença, se houver, está nas diferentes condições de trabalho na fábrica e na fazenda.


É por isso que Marx achava que o estágio de transição para o socialismo após a tomada do poder pelo proletariado naqueles países desenvolvidos cobriria um período comparativamente curto. Em outras palavras, ele acreditava que, porque havia apenas duas classes na sociedade, a classe dos capitalistas e a classe trabalhadora, as tarefas do período de transição poderiam ser executadas em um período de tempo bastante curto.


Seria então possível passar rapidamente para a fase superior do comunismo. Apenas a classe capitalista deveria ser esmagada e expropriada e sua propriedade entregue à propriedade de todo o povo no curso da revolução socialista. No entanto, Marx nunca disse que seria possível ir ao comunismo imediatamente do capitalismo sem passar pelo estágio do socialismo. Não importa o quanto as forças produtivas possam ter se desenvolvido, e como a distinção de classes entre os trabalhadores e o campesinato possa ter desaparecido, é essencial resolver as tarefas do período de transição antes de avançar mais. Ou seja, estas são as tarefas de liquidar as forças remanescentes da classe exploradora e eliminar os remanescentes das antigas ideologias nas mentes das pessoas. Em primeiro lugar, devemos ter em conta este ponto.


O segundo ponto é a visão marxista da revolução ininterrupta, que devemos levar em consideração ao estudar a teoria de Marx no período de transição e elucidar essa questão corretamente.


Como todos sabem, Marx viveu na era do capitalismo pré monopolista, de modo que ele não podia ver claramente o desenvolvimento político e econômico desigual do capitalismo. Portanto, ele acreditava que a revolução proletária iria eclodir quase simultaneamente e sucessivamente nos principais países capitalistas da Europa, e que a revolução mundial triunfaria em breve. Marx partiu de tais premissas quando pensou que o período de transição do capitalismo para o socialismo seria uma época histórica comparativamente curta. Previa ainda que a ditadura do proletariado corresponderia ao período de transição em termos de tempo, ou seja, que o período de transição e a ditadura do proletariado seriam inseparáveis. Devemos também levar em conta este ponto.


Podemos dizer que Lenin também seguiu em grande parte o ponto de vista marxista quando levantou as questões do período de transição e da ditadura do proletariado. Ao contrário da Inglaterra ou da Alemanha, onde Marx viveu e trabalhou, a Rússia, onde Lenin viveu e trabalhou, não era um país capitalista avançado, mas um país atrasado, embora capitalista mesmo assim. Consequentemente, Lenin considerou que o estágio do socialismo, o estágio de transição, não era tão curto quanto Marx pensara, mas relativamente longo.


Mas Lenin também, seguindo a visão marxista, disse que uma sociedade em que a classe trabalhadora tomara o poder depois de derrubar o sistema capitalista, mas onde a distinção de classe ainda permanecia entre os trabalhadores e os camponeses, era uma sociedade de transição. Isto, como disse, claro que não é comunista e nem totalmente socialista. Disse ainda que, para levar o socialismo ao máximo, não bastaria apenas esmagar os capitalistas como classe. A distinção entre os trabalhadores e os camponeses teria que ser eliminada. Como vocês podem ver, Lenin considerou, em última análise, o período da derrubada da classe capitalista pela classe trabalhadora até a materialização de uma sociedade sem classes - onde não haveria distinção entre a classe trabalhadora e o campesinato - a ser o período de transição do capitalismo para o socialismo, ou o período de transição para o comunismo. Eu acho que essa definição do período de transição é fundamentalmente correta.


Mas o problema é que nossos camaradas interpretam as proposições de Marx e Lenin dogmaticamente, sem levar em consideração os tempos e as circunstâncias históricas em que foram formulados. E, acima de tudo, eles acham que o período de transição e a ditadura do proletariado coincidem entre si e que os dois são inseparáveis um do outro.


É verdade que o período de transição do capitalismo para o socialismo ou para o comunismo terminará apenas quando uma sociedade sem classes, sem distinção entre classe trabalhadora e campesinato, for realizada após a derrubada da classe capitalista. Pode-se também presumir que, se a revolução socialista ocorrer consecutivamente em todos os países e a revolução emergir vitoriosa em escala mundial, o período de transição e a ditadura do proletariado coincidem entre si. E, com o término do período de transição, a ditadura do proletariado também deixaria de existir e viria a queda do Estado.


E ainda, se o socialismo for construído e uma sociedade sem classes se materializar em um país ou em algumas regiões, o período de transição deve ser considerado como terminado lá, mesmo que a revolução não tenha conquistado a vitória em escala mundial. Enquanto o capitalismo permanecer no mundo, a ditadura do proletariado não deve desaparecer, e nem podemos falar sobre o desaparecimento do estado. Portanto, a fim de encontrar uma solução correta para as questões do período de transição e da ditadura do proletariado, não devemos nos apegar dogmaticamente às proposições de Marx ou Lenin. Antes, devemos proceder das experiências práticas na construção socialista em nosso país para interpretar as questões.


Atualmente, certas pessoas mantêm a concepção do período de transição do capitalismo para o socialismo, mas não sustentam, em nenhum sentido, a concepção do período de transição do capitalismo para o comunismo - ou seja, o período de transição para a fase superior, a fase do comunismo. Eles usam, no entanto, a expressão: transição gradual do socialismo para o comunismo.


É o desvio oportunista de direita que considera o período de transição como o período entre a tomada do poder pela classe trabalhadora e a vitória do sistema socialista. Esta visão supõe que a missão histórica da ditadura do proletariado terminará com o término do período de transição, conformando o período de transição e o período da ditadura do proletariado entre si. Pessoas com tal ponto de vista dizem que com a realização da completa e final vitória do socialismo (que é a primeira fase do comunismo), e com a transição para a construção total do comunismo, a ditadura do proletariado cumpre sua missão histórica e não é mais necessária. Esta é uma visão oportunista de direita e é inteiramente contraditória ao marxismo-leninismo.


Qual é, então, a visão oportunista da "esquerda"? Aqueles que têm a visão de "esquerda" costumavam considerar a questão do período de transição exatamente da mesma forma que aqueles com a visão oportunista de direita. Mas agora, partindo de seu ponto de vista de que o comunismo pode ser realizado algumas gerações depois, eles afirmam que o período de transição deve ser considerado como o período de transição do capitalismo para a fase superior do comunismo. Ao fazê-lo, eles aparentemente pretendem criticar o oportunismo de direita. É muito bom criticar os desvios corretos; no entanto, não podemos considerar tais visões sobre a questão do período de transição como corretas.


Como mencionado acima, é claro que essas pessoas caíram em desvios ao ver as questões do período de transição e da ditadura do proletariado.


Pensamos que o período de transição pode ser chamado de período de transição do capitalismo para o socialismo ou o período de transição do capitalismo para o comunismo, porque o socialismo é a primeira fase do comunismo. Mas alguns de nossos camaradas, escravizados ao modo lacaio, consideram o período de transição como o período do capitalismo para a forma mais elevada do comunismo (na esteira da visão oportunista da "esquerda"), ou o consideram como o período até vitória do socialismo (na esteira da visão oportunista de direita).


Portanto, o ponto em questão relativo ao período de transição não é terminológico, seja a transição para o socialismo ou para o comunismo. Em vez disso, resolve-se na questão de onde traçar a linha de demarcação do período de transição.


Poucas pessoas, tendo feito uma série de desenhos nessa linha de demarcação, estão agora confusas e dão origem a vários problemas. Ambas as linhas de demarcação, desenhadas por aqueles com a visão Direita e aquelas com a visão "Esquerda", são problemáticas.


Na fase superior do comunismo, não queremos dizer apenas uma sociedade sem classes, onde não há distinção entre os trabalhadores e os camponeses; também queremos dizer uma sociedade altamente avançada, onde não há distinção entre trabalho físico e mental, e cada pessoa trabalha de acordo com sua capacidade e recebe de acordo com suas necessidades. Portanto, é de fato equivalente a não traçar nenhuma linha de demarcação para considerar o período de transição como o período até uma fase tão alta do comunismo. Algumas pessoas não apenas levam o período de transição por um período até a fase superior do comunismo, mas também dizem que é impossível materializar o comunismo em um país. Eles dizem que entraremos no comunismo somente quando a revolução mundial for consumada. De acordo com essa visão, o período de transição não pode terminar antes que a revolução mundial seja concluída. Estas pessoas interpretam o período de transição e a ditadura do proletariado como correspondentes entre si, em relação ao primeiro como o período até a fase superior do comunismo. Pessoas do ponto de vista de direita consideram o período de transição e a ditadura do proletariado como coincidentes entre si, considerando o primeiro como o período até a vitória do socialismo. Em nossa opinião, eles estão indo longe demais com essa visão.


É também uma questão que as pessoas com as visões de direita consideram o período de transição como o período até a vitória da revolução socialista. Essa visão se origina da ideologia de abandonar em casa a luta de classes contra os elementos sobreviventes da classe exploradora subvertidos e de desistir internacionalmente da revolução mundial, vivendo em paz com o imperialismo. Além disso, alegam que a ditadura do proletariado desaparecerá quando o período de transição chegar ao fim. Mas como isso pode ser assim? Isso está categoricamente errado.


Não deve-se, portanto, seguir mecanicamente o que é estabelecido por aqueles que defendem as visões de direita, ou modelar o que é dito pelas pessoas que possuem as visões "esquerdistas".


Devemos estabelecer completamente o Juche em todas as circunstâncias e resolver os problemas com base nas experiências práticas que adquirimos na revolução e na construção do nosso país.


Como mencionado acima, as questões do período de transição e da ditadura do proletariado, como definidas pelos clássicos, estavam perfeitamente corretas sob as circunstâncias históricas de sua época e as premissas de onde partiram.


Nossa realidade atual, no entanto, exige que os desenvolvamos criativamente e não os apliquemos superficialmente. Levamos a cabo a revolução socialista sob as condições em que assumimos forças produtivas muito atrasadas de um país agrário colonial. E estamos construindo o socialismo sob as circunstâncias em que o capitalismo ainda existe como uma força considerável no mundo.


Devemos levar em conta tais realidades específicas para dar soluções corretas às questões do período de transição e da ditadura do proletariado. Tendo isso em mente, considero excessivo considerar o período de transição em nosso país como o período até a fase superior do comunismo. Eu considero certo considerá-lo como o período até o socialismo. Mas é errado acreditar que o período de transição chegará ao fim assim que a revolução socialista for vitoriosa e o sistema socialista for estabelecido. Considerando a questão com base no que os fundadores do Marxismo-Leninismo disseram, ou considerando-a à luz das experiências que obtivemos na nossa luta real, não podemos dizer que uma sociedade socialista completa já esteja construída apenas porque a classe capitalista foi derrubado e a revolução socialista realizada após a tomada do poder pela classe trabalhadora. Nós, portanto, nunca dissemos que o estabelecimento do sistema socialista significa a completa vitória do socialismo.