"O 29º Aniversário da Morte de V. I. Lenin"


Camaradas! Faz hoje 29 anos da morte do fundador e dirigente do Partido Comunista da União Soviética, criador do Estado Socialista Soviético, guia e mestre dos trabalhadores do mundo, genial pensador e grande figura da ciência revolucionária — Vladimir Ilitchi Lênin. Todos estes anos, o Partido Comunista vem guiando com segurança o povo soviético pelo caminho indicado por Lênin. As ideias do leninismo, como a luz radiante do sol, iluminam o caminho de luta e de vitórias. Sob a bandeira de Lênin, sob a direção do camarada Stálin, o povo soviético constrói vitoriosamente o majestoso edifício do Comunismo. As realizações do Estado Soviético e o imenso crescimento das forças do campo da paz e da democracia encarnam a força invencível e a grandeza do leninismo, que exerce decisiva influência no curso da história mundial. A causa de Lênin é imortal. O tempo é impotente diante do gênio de Lênin. A imagem de Lênin vive no coração dos trabalhadores de todo mundo, inspirando-os a lutar por uma nova vida, pela democracia, pelo Socialismo. I Lênin é o maior gênio da revolução socialista. Foi sob sua liderança que os operários e camponeses de nosso país tomaram o poder em suas próprias mãos. Começou uma nova era na história da humanidade — a era da derrocada do capitalismo e do triunfo do Socialismo. "A destruição do capitalismo e de suas sobrevivências — disse Lênin — e o estabelecimento das bases do sistema comunista são o conteúdo da nova era que agora se inicia, na história mundial". Desde os primeiros dias de sua existência, o Estado soviético empenhou-se na solução da histórica tarefa da construção do Socialismo, depois dos duros anos da guerra civil e da intervenção armada, os trabalhadores de nosso país restauraram a indústria, os transportes e a agricultura; estruturou-se a aliança entre a cidade e o campo; a aliança entre operários e camponeses ampliou-se e consolidou-se. Lênin tinha ilimitada fé na energia criadora do povo. O grande líder discerniu o caminho do desenvolvimento do Estado Soviético por várias décadas de antecipação e afirmou profticamente que a Rússia se tornaria um país socialista. Ao traçar o caminho da construção do Socialismo na U.R.S.S, Lênin indicava que a indústria pesada é a base material do Socialismo. Concedia especial importância à eletrificação para a transformação comunista do país. Unicamente quando todo o país estiver coberto de densa rede de centrais elétricas, dizia Vladimir Ilitch Lênin, estará apto a criar a sociedade comunista. O Partido Comunista tinha que construir o Socialismo num pais em que predominava a pequena economia camponesa. Em suas obras, Lênin expunha profunda e compreensivamente os caminhos da reconstrução do campo em sentido novo, da incorporação dos camponeses trabalhadores do país à construção socialista. Os inimigos do Partido e do povo soviético — os monstros trotskistas e bukharinistas, capituladores e traidores — tentaram impedir o Partido de cumprir suas tarefas históricas e desviá-lo do caminho justo. Lênin e Stálin responderam implacavelmente a todas essas tentativas, forjando, ensinando o Partido, educando-o no espírito da intransigência para com todos os inimigos da Pátria Soviética, no espírito da fidelidade ilimitada à causa dos trabalhadores. Lênin legou ao Partido e ao povo um tesouro inapreciável — a grande e invencível ciência da construção de um mundo novo. Sobre o túmulo de Lênin, o camarada Stálin, seu fiel companheiro de luta e continuador, jurou levar adiante a herança de Lênin e marchar invariavelmente pela senda leninista. O camarada Stálin e o Partido Comunista cumpriram seu juramento. O atraso secular da Rússia Czarista foi banido para sempre. Desapareceram para sempre o desemprego, o analfabetismo, a negra miséria e os sofrimentos dos trabalhadores. A União das Repúblicas Socialistas Soviéticas é hoje poderosa potência socialista com uma indústria de primeira classe, altamente desenvolvida, uma agricultura coletiva baseada na grande produção, uma economia e uma cultura de vanguarda. O País Soviético é o orgulho e a esperança de toda a humanidade progressista, que luta pela paz e pela amizade entre as nações, o farol inextinguível do Socialismo. O XIX Congresso do Partido Comunista da União Soviética, realizado recentemente, fez o balanço das grandiosas vitórias, obtidas sob a direção do Partido de Lênin e Stálin e traçou o programa para a construção ulterior do Comunismo na U.R.S.S.. O Congresso aprovou as diretrizes do Quinto Plano Quinquenal de desenvolvimento da U.R.S.S., cujo cumprimento marcará importante etapa na passagem gradual do socialismo para o Comunismo. O povo soviético acolheu com entusiasmo as diretrizes e as tarefas do Quinto Plano Quinquenal e aprovou-as unanimemente. Chegam diariamente notícias de todos os recantos de nossa Pátria sobre o trabalho heroico do povo soviético. A provada direção do Partido de Lênin e Stálin, a vontade dos cidadãos soviéticos e a emulação socialista desenvolvida com redobrado vigor são as melhores garantias de que as tarefas do Plano Quinquenal serão cumpridas e até ultrapassadas. Lênin definiu, brilhantemente, em suas obras, a linha fundamental do avanço da sociedade soviética para o Comunismo, destacou as duas fases do desenvolvimento da sociedade comunista. Lênin nos ensina que o Socialismo e o Comunismo não são separados por uma muralha chinesa, que não são duas diferentes formações sociais e econômicas. "O Socialismo — diz Lênin — é a sociedade que emerge diretamente do capitalismo, é a primeira forma da nova sociedade. O Comunismo é a mais elevada forma de sociedade e só se pode desenvolver quando o Socialismo estiver completamente consolidado". À base da herança leninista, desenvolvendo e enriquecendo o Marxismo-leninismo, o camarada Stálin sintetizou a experiência da construção socialista da U.R.S.S., descobriu as leis objetivas que regem a transição do Socialismo para o Comunismo e armou o Partido e o povo soviético com um claro programa de luta pelo Comunismo. A obra do camarada Stálin "Problemas Econômicos do Socialismo na U.R.S.S." soluciona os mais complexos problemas teóricos e práticos que se colocam ante o Partido nas novas condições históricas, abre e ilumina as perspectivas da construção comunista. As tarefas que o povo soviético tem que resolver na transição do Socialismo para o Comunismo são complexas e variadas. Mas serão indubitavelmente resolvidas de forma vitoriosa. Inspirado pelo Partido de Lênin e Stálin, cheio de força e confiança em que seu futuro ainda será melhor, o povo soviético marcha pelo caminho de Lênin. E, durante todos esses anos de trabalho sem Lênin, em todas as dificuldades, nos momentos cruciais, o Partido tem diante de si, à frente das massas, seu dirigente e guia, o camarada Stálin. (Prolongados aplausos). O apelo de luta de nosso Partido — sob a bandeira de Lênin e sob a direção de Stálin, avante para a vitória do Comunismo — calou profundamente no coração do povo soviético e é a esplêndida expressão da verdade incontestável de que a causa de Lênin triunfa, de que o camarada Stálin guia firme e inquebrantávelmente o povo trabalhador para o Comunismo. (Prolongados aplausos). II Marx e Engels, fundadores do Comunismo científico, descobriram da as leis econômicas do capitalismo e provaram a inevitabilidade histórica da queda da sociedade capitalista e sua substituição por um novo regime social. Sintetizando, genialmente, os fenômenos do subsequente período histórico Lênin demonstrou a essência, os traços fundamentais e as leis do desenvolvimento da fase superior do capitalismo — o imperialismo. "O mérito de Lênin e, portanto, o que há de novo em Lênin — disse o camarada Stálin — é que, baseando-se nas teses essenciais de "O Capital", fez uma fundamentada análise marxista do imperialismo como a última fase do capitalismo, revelando suas úlceras e as condições de seu colapso inevitável". Desenvolvendo, de maneira criadora, o leninismo, o camarada Stálin fez profunda analise da crise geral de todo o sistema capitalista, revelou a essência das leis econômicas do capitalismo contemporâneo e do Socialismo. O camarada Stálin descobriu a lei econômica fundamental do capitalismo contemporâneo e a lei econômica fundamental do Socialismo. O caráter oposto destas leis determina as duas linhas opostas de desenvolvimento econômico: a do campo do Socialismo e a do campo do capitalismo. Uma linha de desenvolvimento é a do ascenso ininterrupto da economia de paz na União Soviética e nos países de democracia popular. A outra linha de desenvolvimento é a da economia do capitalismo cujas forças produtivas estão estagnadas, economia que se debate na crise geral do capitalismo, cada vez mais profunda e nas repetidas crises econômicas; é a linha da militarização da economia, da competição entre os países e da escravização de uns países por outros. O imperialismo americano que encabeça o campo capitalista, é a força mais reacionária e tenebrosa, é o gendarme e verdugo da liberdade dos povos. "Os multimilionários americanos — escreveu Lênin — esses modernos escravagistas, abriram uma página particularmente trágica na sangrenta história do sanguinário imperialismo". Fabulosos gastos para a preparação da guerra, furiosa corrida armamentista, liquidação dos últimos vestígios da democracia burguesa, impiedoso saque aos trabalhadores e contínuo enriquecimento de um punhado de arrogantes multimilionários: eis a América do Norte atual, eis seu modo de vida. O imperialismo americano está cego de raiva e feroz contra tudo que é avançado e progressista. Em vão, os imperialistas americanos clamam em altas vozes, pelas páginas da imprensa venal, seu amor à paz. Os fatos testemunham o contrário. Se os imperialistas americanos são realmente pela paz, contra uma nova guerra, porque frustram e sabotam as propostas de redução dos armamentos, de conclusão de um Pacto de Paz entre as Cinco Grandes Potências? Se os imperialistas americanos são contra a guerra, como qualificar o que fazem na Coreia, assassinando mulheres e crianças indefesas, destruindo pacíficas cidades e aldeias e utilizando a arma bacteriológica? Jamais conhecera o mundo tão monstruosa e desavergonhada mentira como a propalada pelos imperialistas estadunidenses. A verdadeira face do imperialismo americano, sem máscara, é a pilhagem aos povos, a guerra, o assassinato, a espionagem. O imperialismo americano age insolentemente e sem escrúpulos, nos países capitalistas, socava a economia destes países, saqueia não somente os operários e camponeses, como também a pequena e média burguesia; zomba das tradições e costumes dos povos. Esta política do imperialismo norte-americano provoca o ódio dos povos amantes da liberdade. A agressiva política dos EUA aguça fortemente as contradições políticas entre os países capitalistas, intensifica a luta pela independência e pela liberdade dos povos que caíram nas garras dos rapaces imperialistas norte-americanos. Um poderoso e organizado movimento pela paz se desenvolve em todos os países. Nas fileiras do movimento pela paz, alinham-se centenas de milhões de pessoas de diferentes nacionalidades, profissões, orientações políticas e crenças religiosas. O Congresso pela Paz, em Viena, reafirmou claramente que esse movimento democrático universal é a força capaz de frustrar os desígnios sanguinários dos instigadores de uma nova guerra mundial. Os agressores americanos procuram, por todos os meios, enganar os povos, fazer-lhes crer que só há um caminho — o caminho da guerra, e que essa guerra deve ser dirigida contra a União Soviética e as Democracias Populares. No entanto, o povo soviético parte da indicação de Lênin sobre a possibilidade da coexistência pacífica do Socialismo e do capitalismo, a concorrência pacífica dos dois sistemas. "A ideia da cooperação entre os dois sistemas foi formulada primeiramente por Lênin — disse Stálin. Lênin é nosso mestre e nós, povo soviético, somos seus discípulos. Nunca nos afastamos e nunca nos afastaremos das indicações de Lênin". O Partido Comunista e o Estado Soviético seguem firme e consequentemente a política de paz. "... Os interesses de nosso Partido — disse o camarada Stálin — não só não contradizem, como, pelo contrário, fundem-se com os interesses dos povos amantes da paz. No que se refere à União Soviética, seus interesses são absolutamente inseparáveis da causa da paz em todo o mundo". As respostas claras e conclusivas do camarada Stálin a um correspondente do "New York, Times" corroboram novamente que o Estado Soviético salvaguarda, com firmeza, a causa da paz, se pronuncia, resolutamente, contra a guerra da Coreia e está disposto a colaborar com os países capitalistas, inclusive os Estados Unidos, para a manutenção da paz no mundo inteiro, para a amizade entre os povos. As respostas do camarada Stálin atrapalharam o jogo dos instigadores de guerra, desmascararam, uma vez mais, os agressores diante do mundo inteiro. Realizando firme e consequentemente uma política de paz, o Estado Soviético observa vigilantemente as maquinações dos incendiários de guerra, o Partido e o Governo Soviético guiam-se pelas indicações de Lênin e Stálin sobre a constante necessidade de fortalecer o Estado Socialista, de multiplicar suas forças e seu poderio. Isto nos ensinou Lênin e nos ensina a todo o momento o camarada Stálin. Os provocadores de guerra baseiam sua política externa em métodos de chantagem e intimidação. Lênin nos advertia de que não nos deixássemos levar por essas manobras estúpidas, destinadas aos pusilânimes. Eis o que dizia Lênin em 1922: "Quando encontramos, nos jornais, notícias de toda espécie que têm por fito intimidar alguém, dizendo que nos imporão não se sabe mais que provas, sorrimos com bastante tranquilidade. Temos visto suficientes ameaças, certamente, mais sérias que a do comerciante que se prepara para bater a porta, dizendo que oferece o último preço. Temos visto as ameaças dos canhões das potências aliadas, que controlam quase o mundo inteiro. Não nos assustaram essas ameaças". Os bandidos imperialistas que alimentam planos de agressão à U.R.S.S., não deveriam esquecer as lições da história. Que os incendiários de uma nova guerra saibam que uma terceira guerra mundial, se conseguissem desencadeá-la, conduziria, inexoravelmente, à derrocada de todo o sistema capitalista do mundo. (Prolongados aplausos). As grandes ideias leninistas inspiram todo o movimento operário revolucionário e comunista internacional. O leninismo é a sagrada bandeira de luta de centenas de milhões de seres. O triunfo do Socialismo e a construção do Comunismo na U.R.S.S. exercem decisiva influência no curso da história universal. Os Partidos Comunistas e Operários e os trabalhadores dos países de democracia popular aprendem com a experiência do Partido de Lênin e Stálin, com a experiência do povo soviético. As ideias leninistas erguem os povos dos países capitalistas e coloniais para a luta contra os opressores, para a liberdade e a independência. Os povos do mundo veem que nos países em que resplandece a estrela do Socialismo, desenvolve-se uma vida nova, feliz e radiante. O trabalho livre para si e para sua pátria, a democracia autenticamente popular, as possibilidades ilimitadas de desenvolvimento físico e espiritual, o predomínio das ideias comunistas, as mais avançadas e verdadeiramente humanas: eis o modo de vida socialista que desperta a admiração dos trabalhadores do mundo. O gênio de Lênin e Stálin indicou para toda a humanidade o caminho para uma nova vida. Se não hoje, amanhã, empreenderão este caminho os povos de todos os países, de todo o mundo. Não há nem pode haver outro caminho. Assim o ensina Lênin, assim o ensina a História. Na aurora do movimento revolucionário na Rússia, Lênin escreveu: "Marchamos em pequeno grupo, por um caminho escarpado e difícil, de mãos dadas, apertadas fortemente. Estamos rodeados de todos os lados, por inimigos, e quase sempre marchamos sob seu fogo". O movimento comunista, a que Lênin dedicou sua vida, transformou-se em poderosa e invencível força. Milhões de trabalhadores se agrupam sob a bandeira de Lênin e Stálin. O Partido Comunista da União Soviética conta em suas fileiras com aproximadamente sete milhões de membros e candidatos. Os Partidos Comunistas e Operários do mundo congregam mais de 24 milhões de pessoas. É uma grande força. "Agora que — disse o camarada Stálin — desde a China e a Coreia até a Checoslováquia e a Hungria surgiram novas "brigadas de choque", personificadas nos países de democracia popular, a nosso Partido é mais fácil lutar, e o trabalho rende mais". O crescimento dos Partidos Comunistas e Operários é a encarnação viva do leninismo, prova do grande triunfo das ideias de Lênin. O Comunismo está vencendo e vencerá definitiva e irrevogavelmente. As ideias de Lênin penetram nos mais remotos recantos do globo. Não há força na terra capaz de deter a marcha vitoriosa dessas ideias. III O inspirador e organizador de todas as vitórias do povo soviético é o Partido Comunista, criado por Lênin e Stálin. Jamais conhecera o mundo um partido que lutasse tão consequente, perseverante e destemidamente pelos interesses dos trabalhadores, como o Partido dos Comunistas. Em sua luta abnegada pela causa do povo, o Partido de Lênin e Stálin conquistou carinho e respeito ilimitados. Lênin e Stálin forjaram o Partido na luta intransigente contra todos os inimigos dos trabalhadores, educaram-no no espírito da confiança inquebrantável nas forças do povo, no espírito da disposição de marcar firme e invariavelmente para o objetivo traçado, afastando do caminho todos os obstáculos que se interpuserem. O povo confiou seu destino e seu futuro ao Partido de Lênin e Stálin e não se enganou. Através de todas as dificuldades e provas, tempestades e tormentas, o Partido Comunista dirige, com audácia e segurança o povo soviético de vitória em vitória, sob a bandeira de Lênin, sob a direção do camarada Stálin. Lênin sempre cuidou da unidade do Partido, da pureza de suas fileiras, do enaltecimento do título de membro do Partido. Sob a direção do camarada Stálin, o Partido aplica com firmeza este princípio leninista. O Partido Comunista é a aliança combativa de pessoas unidas por um mesmo ideal, fortes por sua coesão, por sua organização, por seu ilimitado devotamento à grande causa de Lênin e Stálin, a seu chefe e mestre, o camarada Stálin. (Prolongados aplausos). Os Estatutos do Partido Comunista da União Soviética, aprovados pelo XIX Congresso, elevam, ainda mais, o título de membro do Partido. As exigências dos Estatutos do Partido exercem imensa e fecunda influência, que não se limita aos comunistas. As massas trabalhadoras seguem o Partido, aprendem com ele, e veem em seus princípios a encarnação das mais progressistas e justas ideias. Lênin educava, constantemente, o Partido no espírito da ligação estreita e indestrutível com as amplas massas de trabalhadores. Dando ênfase a essa exigência leninista, o camarada Stálin destaca que o contato com as massas, a habilidade de ouvir as massas é a chave para a invencibilidade da direção do Partido. O povo da União Soviética convenceu-se, por sua experiência de muitos anos, que o Partido de Lênin e Stálin não possui outros interesses que não sejam os do povo, que o Partido Comunista considera como seu mais elevado objetivo, a inteira dedicação ao serviço da Pátria e do povo. Isto é o que explica o fato de que todos os trabalhadores de nosso país acolham a política de nosso Partido como algo que lhes é vital. Desde há muito, a luta pela aplicação das ideias leninistas, pelo triunfo do leninismo, tornou-se a causa, não só do Partido, não só dos comunistas, mas, das amplas camadas de cidadãos sem-partido, de todo o povo soviético. O método da crítica e da autocrítica é uma das características do Partido Comunista, característica que lhe é inerente, como genuíno Partido revolucionário, como Partido de novo tipo. A crítica e autocrítica são um método especial socialista para descobrir e superar as dificuldades e contradições. Lênin indicou que só um autêntico Partido revolucionário, forte e sólido, monolítico e unido, pode autocriticar-se sem temor, por a nu seus erros, debilidades e deficiências e superá-los. O camarada Stálin nos ensina, perseverantemente, que a autocrítica nos é necessária como o ar, como a água, que a palavra de ordem de autocrítica é a essência do método comunista de educação dos quadros. Partindo das indicações de Lênin e Stálin, os Estatutos de nosso Partido estabelecem, como um dos principais deveres dos membros do Partido, desenvolver a autocrítica e a crítica pela base, revelar os defeitos do trabalho e lutar por sua eliminação, combater a tendência a achar que tudo está bem e contra a euforia pelos êxitos no trabalho. O Partido considera o esmagamento da crítica como um grave mal. Quem sufoca a crítica e a substitui por declarações pomposas e por louvores, não pode permanecer nas fileiras do Partido. Os êxitos do povo soviético na construção da nova sociedade são verdadeiramente grandiosos e se revestem de importância histórica e universal. Esses êxitos produzem, entre muitos camaradas, insuficientemente amadurecidos, um sentimento de placidez e de despreocupação, de embotamento de sua vigilância política. Na Grande Guerra Patriótica, a União Soviética obteve uma vitória sem precedente na História. Em curto espaço de tempo, o país reparou a terrível destruição, as consequências da guerra e progrediu imensamente. Disso não se deduz, no entanto, que os problemas da luta de classes já tenham sido eliminados da ordem do dia, que agora nosso país não esteja mais ameaçado pelo perigo da sabotagem, do diversionismo e da espionagem por parte dos Estados capitalistas. Quanto maior forem os êxitos da construção comunista, mais pérfidos, vis e brutais serão os métodos e os meios de luta utilizados pelo inimigo. Quanto maior for o êxito de nosso progresso, mais aguda será a luta dos inimigos de nosso povo, condenados à destruição inevitável. Fazendo o balanço dos primeiros resultados da aplicação da política do Poder Soviético, Lênin disse que o primeiro mandamento, a primeira lição a ser aprendida por todos os operários e camponeses, por todo o povo trabalhador, é estar vigilante, lembrar-se sempre de que somos rodeados por pessoas que nos manifestam abertamente o maior ódio. O camarada Stálin destaca, repetidas vezes, o sentido profundamente contrário ao Partido das divagações em torno do "esmorecimen-to" da luta de classes. "Alguns camaradas — disse o camarada Stálin, — interpretam a tese da abolição da luta de classes, do estabelecimento de uma sociedade sem classes e da extinção do Estado, como uma justificação da preguiça e placidez, como justificação da teoria contrarrevolucionária da extinça0 da luta de classes e do debilitamento do Poder estatal. É inútil dizer que tais pessoas nada têm em comum com nosso Partido. São degenerados ou falsários que devem ser expulsos do Partido. A abolição das classes não se consegue mediante a extinção da luta de classes, mas diante sua intensificação". O socialismo triunfou em nosso país. As classes exploradoras foram esmagadas e abolidas na U.R.S.S., desde há muito, mas ainda há sobrevivências da ideologia burguesa, restos da psicologia e da moral da propriedade privada. Ainda subsistem portadores das concepções burguesas e da moral burguesa: seres vivos, inimigos camuflados nosso povo. Esses inimigos camuflados, mantidos pelo mundo imperialista, nos causaram e continuarão nos causando mal. Prova convincente é o caso do grupo de médicos criminosos, infames espiões e assassinos que se ocultaram sob a máscara da medicina e eram vendidos aos escravagistas e canibais dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha. É necessário que todos os cidadãos soviéticos tenham elevada vigilância política, vigilância que elimine qualquer manifestação de complacência, da idiota enfermidade da despreocupação; vigilância que faca abortar as tentativas do inimigo de sabotar e prejudicar e ajude a desmascarar seus agentes, qualquer que seja a máscara com que se encubram. A vigilância deve ser nossa permanente arma de ação. Além dos agentes do inimigo temos outro inimigo: a credulidade e a negligência de nossa gente. Não são poucos os negligentes que existem em nosso meio. São a credulidade e a negligência de nossa gente que fertilizam o terreno para os espiões e sabotadores. Enquanto tivermos credulidade e negligência, haverá sabotagem. Portanto, para liquidar a sabotagem devemos pôr fim à credulidade e à negligência em nossas fileiras. Seguindo as diretrizes do imortal Lênin, o povo soviético não deve, um momento sequer, esquecer que é necessário elevar por todos os meios sua vigilância, vigiar de perto todas as intrigas dos incendiários de guerra e fortalecer, incansavelmente, as Forças Armadas e os órgãos de contra-espionagem do Estado Soviético. A educação comunista do povo torna-se especialmente importante durante a transição da sociedade soviética do Socialismo para o Comunismo. O leninismo é a base ideológica para a educação do povo soviético. O Partido Comunista é forte porque é guiado pela teoria marxista-leninista em todas as suas atividades. Ressaltando a grande significação do marxismo-leninismo, o camarada Stálin destacou, repetidamente, que, de todos os tesouros do Partido, o mais importante e valioso é o patrimônio ideológico. O Partido de Lênin e Stálin inculca no povo soviético uma atitude comunista em relação ao trabalho, à propriedade socialista; desenvolve nele a elevada consciência do dever social, cultiva as idéias do patriotismo soviético e da inquebrantável amizade dos povos. O Partido cultiva e desenvolve, com desvelo, as melhores qualidades do povo soviético, as nobres características dos construtores da sociedade colunista. A ideologia socialista domina em nosso país. Mas disso não se inclui em absoluto que se possa tolerar o debilitamento, por menor que seja, do trabalho de educação ideológica do Partido. Qualquer debilitamento da ideologia socialista leva ao fortalecimento da ideologia burguesa. No XIX Congresso do Partido foram acerbamente criticadas as graves deficiências no trabalho ideológico. A tarefa consiste em garantir, à base do leninismo, o ascenso do trabalho educativo em todas as organizações do Partido. O Partido realiza todo o seu trabalho através de seus militantes. Da seleção, educação e preparação dos quadros depende o êxito ou o fracasso do trabalho. Lênin e Stálin sempre atribuíram grande importância à seleção dos quadros e ao controle do cumprimento das decisões como condição decisiva do trabalho de organização. Os quadros decidem tudo, ensina o camarada Stálin. Temos que aplicar, persistentemente, os princípios leninistas-stalinistas de seleção e educação dos quadros. À luz das tarefas traçadas pelo XIX Congresso do Partido, essas questões devem ocupar o centro do trabalho das organizações do Partido. Não pode haver dúvida de que o Partido de Lênin e Stálin cumprirá honrosamente suas históricas tarefas. Inspirado por seu grande mestre e dirigente, o camarada Stálin, o Partido Comunista guia com firmeza e segurança, o povo soviético para seu objetivo almejado. * * * O Partido Comunista da União Soviética conquistou e conquista grandes vitórias porque, em tudo e sempre, tem sido fiel ao leninismo, porque venera e aplica a herança e as indicações de Lênin. A teoria marxista-leninista, que guia nosso Partido, desenvolve-se e enriquece-se constantemente com novas experiências. Em suas geniais obras, o sábio chefe e mestre do Partido, o camarada Stálin continua a desenvolver o leninismo de acordo com a nova época: a época da construção da sociedade comunista. (Prolongados aplausos). Sob a bandeira vermelha de combate de Lênin e Stálin, nosso Partido lutou pela vitória e consolidação do novo regime social no país soviético e obteve essa vitória. Sob a bandeira leninista, sob a genial direção do grande continuador da obra de Lênin, o camarada Stálin, o Partido Comunista e o povo soviético construirão o comunismo. (Aplausos). Viva o leninismo! (Aplausos). Viva o Partido Comunista da União Soviética, o Partido de Lênin e Stálin, inspirador e organizador de nossas vitórias! (Aplausos). Viva o grande continuador da obra de Lênin, nosso sábio mestre, o camarada Stálin! (Tempestuosos aplausos). Sob a bandeira de Lênin, sob a direção de Stálin, avante para a vitória do comunismo! (Tempestuosos e prolongados aplausos que exprimem o ardente carinho ao chefe de toda a humanidade progressista, camarada Stálin. Todos se erguem). Informe apresentado por N. A. Mikhailov na sessão comemorativa realizada a 21 de janeiro de 1953 em Moscou. Publicado originalmente em português em Problemas - Revista Mensal de Cultura Política nº 47 - Julho de 1953.

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube