top of page
  • Foto do escritorNOVACULTURA.info

"Maoistas indianos homenageiam mártires revolucionários em Chhattisgarh-Maharashtra"


Hoje, o movimento revolucionário na Índia, liderado pelo Partido Comunista da Índia (Maoista), prestou homenagem aos seus quadros e combatentes martirizados no ataque das forças armadas estatais na floresta de Kakur-Tekametta, na fronteira dos estados de Chhattisgarh e Maharashtra, na Índia, em 30 de abril. Seis quadros do PCI (Maoista) e combatentes do Exército Guerrilha de Libertação Popular (PLGA) foram mortos no ataque.

 

O Gabinete Subzonal Ocidental da Zona Especial Dandakaranya do PCI (Maoista) na Índia central liderou o dia do tributo. Reconheceram e saudaram a camarada Joganna (Cheemala Narasayya), membro do comitê regional, o camarada Vinay (Kesaraboina Ravi), o camarada Mallesh (Undam Ungal), o camarada Sindhu Gadwe, o camarada Chilaka e a camarada Sarita Jetty.

 

O comitê condenou o assassinato extrajudicial do camarada Joggana, de 66 anos, que foi capturado pelas forças armadas do Estado indiano. O comitê disse que camarada Joggana estava a manobrar para longe do cordão militar e policial que rodeava o seu acampamento e não transportava arma quando foi capturado. Em vez de reconhecerem os seus direitos como parte das forças opostas, os soldados assassinaram-no brutalmente. Isto é contra o direito humanitário internacional.

 

Enquanto isso, quatro adivasi também morreram nos tiroteios perpetrados por soldados e policiais na referida floresta. Adivasis e agricultores estavam presentes em uma festa tradicional. Mainu Korcha, Ramlu Noroti, Lalsu Kovasi e Pandu Kovasi foram mortos aqui.

 

Esta operação militar massiva e ataque brutal faz parte da campanha fascista Operação Kagaar que a Índia iniciou em janeiro. Está a ser implementado principalmente na parte central da Índia e visa “derrotar” os maoistas.

 

Na sua implementação, foram registradas sucessivas violações dos direitos humanos nos últimos meses. Esta operação ignora flagrantemente o direito humanitário internacional.

 

Em 16 de Abril, na floresta Aapatola-Kalpar, no distrito de Kanker, em Chhattisgarh, 11 revolucionários desarmados foram brutalmente torturados antes de as forças militares indianas matarem deliberadamente e ferirem outros seis na primeira vaga de ataques. Enquanto isso, 12 combatentes do PLGA foram martirizados no primeiro ataque.

 

Pelo menos 110 civis e revolucionários foram mortos na suja e brutal Operação Kagaar.

 

Do Ang Bayan

0 comentário
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Telegram
  • Whatsapp
PROMOÇÃO-MENSAL-jun24.png
capa29 miniatura.jpg