top of page
  • Foto do escritorNOVACULTURA.info

Mariátegui: "Lenin"


O proletariado revolucionário perdeu o maior de seus condutores e dirigentes. Àquele que serviu a causa dos trabalhadores, dos explorados, dos oprimidos com maior eficiência, com maior sucesso e com maior capacidade.


Nenhuma vida foi tão frutífera para o proletariado revolucionário quanto a vida de Lenin. O líder russo possuía inteligência extraordinária, cultura extensa, uma vontade poderosa e um espírito altruísta e austero. A essas qualidades se somava uma espantosa faculdade de perceber profundamente o curso da história e de adaptar a ela a atividade revolucionária.


Essa faculdade brilhante, essa aptidão singular nunca deixou Lenin. E assim, iluminado pela experiência da insurreição de 1905, Lenin compreendeu claramente a necessidade de criar um partido revolucionário, livre de preconceitos e ilusões democráticas, parlamentares e econômicas e anunciou a possibilidade e o dever de aproveitá-las para precipitar e acelerar o fim do regime capitalista. Finalmente, depois de ter denunciado o carácter da guerra europeia e de ter falado nos congressos de Zimmerwald e Kienthal – nos quais as minorias socialistas e sindicais da Europa afirmaram os seus princípios classistas e internacionalistas.


Qualquer que seja a posição ideológica de alguém no campo revolucionário, não se pode negar a Lenin o direito a um lugar de liderança na história da redenção dos trabalhadores. Vemos, portanto, que os próprios socialistas da Segunda Internacional, dessa Internacional reformista tão energicamente atacada por Lenin, em sua mensagem de condolências a Moscou prestaram homenagem à retidão e sinceridade do revolucionário russo.


Comunistas, socialistas e libertários, os homens de todas as escolas e de todos os partidos revolucionários, e mesmo aqueles que, fora destes e daqueles, anseiam por um regime de justiça social, percebem que a obra e a personalidade de Lenin não pertencem a uma seita ou a um grupo, mas a todo o proletariado, aos revolucionários de todos os países.


O luto dos trabalhadores é, portanto, universal e unânime.


A morte de Lenin significa uma imensa perda para a Revolução: Lenin ainda poderia ter dado muito esforço inteligente às massas revolucionárias. Mas teve tempo, felizmente, de cumprir a parte essencial do seu trabalho e da sua missão; definiu o sentido histórico da crise contemporânea, descobriu um método e uma práxis verdadeiramente proletária e classista e forjou os instrumentos morais e materiais da Revolução. Milhares de colaboradores, milhões de discípulos continuarão, completarão e concluirão seu trabalho.


“Claridad”, em nome da vanguarda organizada do proletariado e da juventude e intelectuais revolucionários do Peru, saúda a memória do grande mestre e agitador russo.


Escrito por José Carlos Mariátegui em março de 1924

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Telegram
  • Whatsapp
PROMOÇÃO-MENSAL-mai24.png
capa29 miniatura.jpg