top of page
  • Foto do escritorNOVACULTURA.info

"EUA e os velhos argumentos desgastados para justificar bloqueio a Cuba"



Apesar da opinião majoritária de que o bloqueio a Cuba é anacrônico e dilacerante, e hoje 187 países o rejeitaram na Assembleia Geral, o Governo dos Estados Unidos insiste em defender o indefensável, indica um relatório da Prensa Latina.


O representante da administração de Joe Biden falou após a votação e após os argumentos contundentes de oradores de 44 nações, 21 dos quais também indicaram explicitamente a sua condenação da inclusão de Cuba na lista de patrocinadores do terrorismo.


A intervenção de Paul Folmsbee recaiu na mesma velha retórica relativa aos presos políticos, o que levou o diplomata ao caminho de certas amnésias.


Disse que estava com o povo da ilha – frase que não varia – e que partilham “o sonho de Cuba”, mas repetiu muito claramente que “os Estados Unidos se opõem a esta resolução”, como podemos entender isso?


Mencionou também o envio de especialistas a Cuba como censores de direitos humanos; apontou algo sobre a alegada falta de democracia na ilha e tentou fazer com que os presentes no plenário acreditassem na história de que “as sanções incluem isenções em alimentos, medicamentos e outros bens humanitários” para a ilha.


“Os Estados Unidos são uma fonte significativa de bens humanitários para o povo cubano e um dos principais parceiros comerciais de Cuba”, considerou.


Depois retrocedeu duas décadas, porque em “2002, as empresas norte-americanas exportaram mais de 295 milhões de dólares em produtos agrícolas para Cuba, incluindo alimentos para satisfazer as necessidades do povo cubano”.


No entanto, o discurso dos Estados Unidos é hipócrita e desonesto, disse o embaixador suplente de Cuba na ONU, Yusnier Romero, na sua resposta.


“O criminoso bloqueio econômico, comercial e financeiro contra o povo cubano é uma violação cruel, prolongada e massiva dos direitos humanos”, sublinhou.


Esta política “não tem forma de se justificar, nem mesmo com as mentiras, calúnias e lendas com que a Casa Branca e o Departamento de Estado costumam tentar justificar as suas ações”, sublinhou.


Lembrou que “a delegação norte-americana mente quando cita números inflacionados de exportações e ajuda humanitária ao país, utiliza cinicamente os montantes multimilionários de fundos que a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional destina à subversão em Cuba”.


O diplomata alertou que o endurecimento do bloqueio “causou uma grave deterioração nas condições de vida do povo cubano desde 2019 até hoje”.


Caso o orador anterior precisasse refrescar a memória, Romero acrescentou que os mais de 1.800 menores de 18 anos que foram feridos ou mortos por tiros nos Estados Unidos no ano passado, enquanto o número de tiroteios em escolas subiu para 302, é alarmante o mais alto desde 1970.


“O racismo sistêmico neste país, a brutalidade policial, a política repressiva contra os migrantes, a repressão dos direitos reprodutivos, as execuções extrajudiciais e o uso da tortura são apenas algumas práticas repreensíveis cometidas nos Estados Unidos e que escandalizam o mundo”.


Por outro lado, destacou que é igualmente falso que os Estados Unidos sejam fornecedores de medicamentos a Cuba.


Há provas irrefutáveis ​​de que o bloqueio prejudicou a ajuda a Cuba, mesmo de terceiros países, no contexto do enfrentamento à Covid-19, enfatizou.


“As restrições às exportações de medicamentos para Cuba estão explicitamente incluídas na lei e constituem uma arma de agressão contra o nosso país”, afirmou o embaixador suplente.


Se o Governo dos Estados Unidos estiver realmente interessado no bem-estar, nos direitos humanos e na autodeterminação dos cubanos, poderia levantar o bloqueio, colaboraria com a nossa cooperação internacional em vez de a desacreditar e nos excluiria da lista de países que supostamente patrocinam o terrorismo no qual Cuba nunca deveria ter estado, concluiu Romero.


Do CubaDebate

0 comentário
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Telegram
  • Whatsapp
PROMOÇÃO-MENSAL-mai24.png
capa29 miniatura.jpg