• NOVACULTURA.info

"Condenar a falsa 'Cúpula pela Democracia' do presidente Biden dos Estados Unidos"



A Liga Internacional de Luta dos Povos (ILPS) denuncia veementemente a “Cúpula pela Democracia” do presidente dos EUA, Joe Biden, como uma farsa. Longe de ser uma cúpula que promoverá a democracia, a cúpula só pode ser uma paródia da democracia.


O encontro virtual de dois dias em 9 a 10 de dezembro de mais de 100 governos, setor empresarial e ONGs inclui ditadores e governantes autoritários em estados autocráticos com o pior histórico de violações de direitos humanos, como Índia, Iraque, Israel, Paquistão, Filipinas e Brasil. Os próprios Estados Unidos têm um recorde de MIL mortos pela polícia anualmente, a maioria dos quais são negros e hispânicos.


Desprovidos de qualquer reivindicação moral e histórica para a promoção de uma democracia genuína, os EUA brandiram a “democracia” como um pretexto para travar guerras de agressão e por procuração, apoiar regimes autoritários, intervir nos assuntos internos de estados soberanos e promover políticas e econômicas instabilidade em colônias, semicolônias e estados independentes.


Sob o nome de “democracia”, os EUA travaram guerras diretas de agressão e ocupação na Palestina, Turquia, Afeganistão, Iraque e Síria. Exagerou no uso da “democracia” como disfarce para seus inúmeros crimes de patrocínio de desastres humanitários, impondo sanções econômicas a Cuba, Venezuela e Coreia do Norte. Também apoiou os regimes autoritários nas Filipinas, Índia e Paquistão.


A exportação de guerra imperialista dos EUA em nome da “democracia” é vista em suas operações militares desde 2001 em mais de 85 países – matando milhões de pessoas, incluindo civis, e criando milhões de refugiados em seu próprio solo soberano. Continuou a construir bases militares e reposicionou equipamento militar de alta tecnologia e tropas em locais estratégicos em todo o mundo, prontos para travar guerras de intervenção para fazer avançar a sua agenda imperialista.


A cúpula é um movimento para reafirmar a liderança global dos Estados Unidos na busca por seus interesses econômicos, políticos e militares no contexto de intensas contradições entre as potências imperialistas em meio à pior crise econômica desde a Grande Depressão. Os EUA esperam exercer influência global contra os rivais imperialistas China e Rússia.


A história provou que a verdadeira democracia é promovida e lutada pela luta do povo pelos direitos econômicos, políticos, socioculturais e coletivos. Ao comemorarmos o Dia Internacional dos Direitos Humanos em 10 de dezembro, somos lembrados desta longa e árdua batalha para fazer valer, obter e defender os direitos que desfrutamos hoje. Diante do agravamento da crise do sistema capitalista mundial e da ascensão dos regimes autocráticos, o povo não tem outra opção a não ser construir e ampliar a luta contra o fascismo, o imperialismo e todas as reações para alcançar uma democracia genuína, soberania e libertação social.


Por Len Cooper

10 de dezembro de 2021