1/10

"No 'Ninguém Solta a Mão de Ninguém' os comunistas já viraram alvo"


Bolsonaro sequer tomou posse, e ao que parece já virou moda comparar seu governo com o que foi um de seus alvos prioritários na campanha: os comunistas.

A revolução chinesa e o bolsonarismo

A vanguardista, neste caso, foi a cientista social e antropóloga Rosana Pinheiro-Machado, que assinou o artigo “O bolsonarismo repete a Revolução Cultural da China” no The Intercept. No artigo, a professora universitária argumenta, em linhas gerais, que o projeto Escola Sem Partido “repete linhas de ação da Revolução Cultural, movimento chinês igualmente obcecado com o fantasma da doutrinação ideológica e que, por isso, perseguiu professores, intelectuais e jornalistas entre 1966 e 1969.”

Para sustentar sua tese, Rosana lança mão de um recurso um tanto inócuo na política; compara-os a partir do método, para por fim argumentar que são similares. Diz ela que está convencida que, “para analisar o bolsonarismo, precisamos olhar não apenas os regimes fascistas do Ocidente, mas igualmente para o autoritarismo da própria esquerda”, sem dar ao leitor sustentação para compreender o porquê de tal c