"ILPS condena tentativa de assassinato do presidente Maduro na Venezuela"


Nós, da Liga Internacional da Luta dos Povos (ILPS), condenamos com veemência a tentativa de assassinato do presidente Nicolas Maduro, da República Bolivariana da Venezuela, em 4 de agosto de 2018, em Caracas, usando drones carregados de explosivos. Unimo-nos a todas as forças anti-imperialistas e democráticas em todo o mundo e todos os governos progressistas da América Latina na condenação deste desprezível ato terrorista. Estendemos nossa simpatia e solidariedade ao Presidente Maduro, ao povo e ao governo da Venezuela e apoiamos sua forte determinação em defender a soberania nacional, preservar as conquistas alcançadas na realização de programas sociais e econômicos patrióticos e progressistas e defender o país contra a sabotagem econômica, provocações violentas e ameaças de agressão e mudança de regime pelo imperialismo dos EUA e seus lacaios. O presidente Maduro ganhou a ira dos EUA e dos reacionários locais por defender o legado de Hugo Chávez na implementação de reformas sociais e econômicas que beneficiam as grandes massas populares, particularmente as massas trabalhadoras e camponesas. O imperialismo dos EUA não pode perdoar Chávez e Maduro pela nacionalização da indústria do petróleo que cobiça vorazmente. Da mesma forma, a oligarquia local não pode perdoar Chávez e Maduro por usar os lucros do petróleo para construir escolas, hospitais, moradias de baixo custo e outros programas progressistas para as grandes massas populares. Os EUA e os reacionários locais tentaram muitas vezes no passado derrubar Hugo Chávez, mas falharam por causa do apoio do povo ao governo. Eles continuaram com suas tentativas viciosas de provocar a derrubada de Maduro através de sanções comerciais, sabotagem econômica, ações violentas de rua e conspiração. Tendo falhado neles, eles agora mudaram a tática para o assassinato. Uma investigação inicial do governo venezuelano aponta para os EUA e o governo colombiano como tendo uma mão direta na tentativa de assassinato. O presidente colombiano Juan Manuel Santos, em uma recente entrevista à Agence France Press, teria dito que "os dias de Maduro estão contados" e "esse regime tem que cair". Em maio de 2017, Trump declarou em uma coletiva de imprensa conjunta com o Juan Manuel Santos que ia "consertar" a Venezuela com a ajuda de países como a Colômbia. Os EUA e os reacionários locais não vão parar até atingirem seu objetivo. O governo venezuelano e o povo devem permanecer vigilantes e militantes e estar preparados para ataques ainda mais violentos dessas forças do mal que se tornaram desesperadas por seus fracassos anteriores na criação de desestabilização, caos e terror branco. Novamente condenamos a recente tentativa dos Estados Unidos e dos reacionários locais na Venezuela de derrubar a República Bolivariana da Venezuela e reverter a patriótica e progressista orientação desse governo. Estendemos nossa solidariedade ao governo e ao povo venezuelano e apoiamos seu direito à autodeterminação nacional e a traçar seu próprio curso independente de desenvolvimento. Viva o presidente Maduro e o governo da Venezuela! Abaixo o imperialismo dos EUA e seus cães de guarda locais! Viva o povo da Venezuela! Viva a solidariedade internacional!

Liga Internacional da Luta dos Povos (ILPS)

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube