"O grande Líder do povo coreano"


Vinte e quatro anos se passaram desde que o Presidente Kim Il Sung faleceu, mas sua imagem como pai da nação ainda está gravada no coração do povo. O Presidente foi o pai do povo que dedicou tudo à dignidade do país, a felicidade do povo e a prosperidade de todas as gerações por toda a vida. Como eles vivem no presente momento em que seus sonhos e ideais se realizam um após o outro, o povo coreano se lembra de suas pegadas sagradas, marcadas por todo o país, e retrata sua imagem benevolente. "O povo é meu Deus" foi o lema da vida do presidente. Iniciando a revolução indo ao encontro do povo, ele deu prioridade aos interesses do povo ao longo de suas atividades revolucionárias e resolveu todos os problemas decorrentes das atividades do Estado, de acordo com suas aspirações e demandas. Ele ficou tão triste com o sofrimento das pessoas oprimidas na pobreza que colocou seu coração e alma em proporcionar-lhes uma vida afluente no período de construção de uma nova Coreia imediatamente após a libertação da Coreia do regime militar japonês. Sob sua liderança, a lei sobre a reforma agrária que reflete o desejo secular dos camponeses de cultivar suas próprias terras e a lei sobre a nacionalização das indústrias foi proclamada logo após a libertação, tornando as pessoas comuns senhores de terras, fábricas e do país. Durante a sombria Guerra de Libertação da Pátria, o sistema universal de assistência médica gratuita entrou em vigor à custa do Estado, produzindo uma história de amor pelo povo sem precedentes na história da guerra. Muitas histórias impressionantes são contadas sobre a visita de inspeção de campo do Presidente, que sempre se viu na longa jornada para melhorar o sustento do povo. Um dia, em julho de 1961, visitou a Fábrica de Processamento de Milho do condado de Changsong. Ele parou na frente de um tanque de armazenamento de milho, pegou um punhado e olhou para ele por um tempo. Ele então perguntou a um oficial se as pessoas gostavam. Ouvindo a resposta dele que eles gostavam, ele disse a ele novamente para ver isto cuidadosamente. Ele então apontou os defeitos no processamento do milho picado - desigualdade de tamanho e grande proporção de pó. Dizendo que ele próprio estudou como fazer milho picado, cozinhou várias vezes e conversou com muitos agricultores sobre o assunto, e ele observou que a lealdade dos funcionários ao Partido, à classe trabalhadora e ao povo não deveria ser vista em outro mas nos detalhes da vida e encontrou expressão clara disso em como eles trabalhavam para fazer as pessoas viverem melhor. Foi um dia comum de sua vida e tal dia continuou a formar sua vida sagrada. As demandas e os interesses das massas populares eram os padrões de todo o seu pensamento e prática, e compartilhar o bem e o mal com eles era seu princípio constante de liderança. Como ele considerava o bem-estar do povo como o maior prazer que não pode ser comparado com qualquer coisa, ele inspecionou mais de 20 600 unidades até o último momento de sua vida e dedicou cerca de 2.530 domingos e feriados para melhorar seu sustento. Relembrando toda a sua vida passada com o povo, o Presidente disse que 80 anos de sua vida foram, em poucas palavras, a luta pelo povo como o filho deles e sua mente sempre foi guiada pelo amor ao povo. Seu caloroso amor pelas pessoas, sentimentos humanos e traços de personalidade nobres permitiram a toda a sociedade coreana formar um todo harmonioso como uma grande família e formou-se uma unidade de coração único jamais vista antes. De fato, a absoluta confiança e devoção ao povo eram o segredo de suas vitórias ininterruptas na revolução e na construção diante de provações sem precedentes. A vida do presidente ficará na história da política humana como a vida do sagrado do líder do povo que levou "O povo é meu Deus" como seu lema e o colocou em prática pela primeira vez na história. Por Jong Sun Bok (Pyongyang Times)

Traduzido pela A Voz do Povo de 1945

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube