1/10

"Uma carta aberta ao povo venezuelano"


A nosso compatriota Nicolas Maduro, Presidente da República, à classe operária e ao povo trabalhador da cidade e do campo; aos oficiais, escalões e soldados patrióticos da Força Armada Nacional Bolivariana; à direção nacional e militância dos partidos políticos e organizações populares do Grande Polo Patriótico, incluindo o PSUV.


A República Bolivariana da Venezuela se encontra ameaçada novamente por atos de violência política dos setores da extrema-direita como parte da execução de um plano de desestabilização elaborado pelo Imperialismo norte-americano.


O plano tem como seu objetivo a imposição pela força e extorsão, de um governo que trabalharia para manter a hegemonia dos Estados Unidos pelo continente, desmontando o processo de libertação nacional que começou por toda a América Latina no começo desse século, e retroceder os avanços progressistas que permitiram à classe operária e ao povo em geral conseguir direitos e avanços sociais que foram historicamente negados por governos que responderam absolutamente aos interesses da burguesia, que em si agiu como um subordinada ao Imperialismo norte-americano.


Nessa ocasião, a escalada agressiva contra nosso povo por esses agent