"Um apelo dos comunistas sírios"


A liderança do Partido Comunista Sírio Unificado informa a todos sobre a situação na Síria, buscando mostrar os fatos concretos, e pedir por mais apoio ao povo sírio que está enfrentando um inimigo comum.

Como é bem sabido, o nosso Partido, juntamente com outros partidos patríóticos e progressistas da Síria, está lutando contra o que atualmente é considerado uma das mais bárbaras agressões imperialistas da história desde a II Guerra Mundial, uma luta contra os movimentos radicais fundamentalistas mais extremistas deste século, condenados internacionalmente, como a “Frente Al_Nusrah”, “ISIS”, “Al Qaeda”.

Esta luta é a efetivação prática do confronto contra os projetos imperialistas de dominação no mundo e principalmente na região que é chamada de "Novo Oriente Médio".

Até o momento, dezenas de milhares de pessoas são mortas, centenas de milhares outras são feridas, milhares de famílias forçadas a migrarem para áreas mais pacíficas dentro e fora da Síria. Os danos são incontáveis, milhares de oficinas e fábricas de pequenas e médias indústrias são destruídas assim como várias grandes estruturas industriais, infra-estruturas, escolas, hospitais, objetos arqueológicos, e antigas cidades são esmagadas. O óleo sírio e outras riquezas do povo sírio estão sendo roubadas e contrabandeadas para a Turquia, cujo regime é aliado de uma organização terrorista. O valor destes danos é estimado em torno de 200 bilhões de dólares.

O povo sírio, junto com seu governo, o exército sírio e forças políticas progressistas do país, vem resistindo bravamente à esta agressão desde seu começo em 2011.

Os terroristas que realizam este ataque à Síria vêm de mais de 80 países, apoiados pelas potências imperiais do mundo e seus aliados.

A ameaça agora está se expandindo para fora da Síria e da região, para outras áreas e países, como países europeus, como a França, a Bélgica. Agora o terrorismo é um fenômeno internacional, e a administração dos Estados Unidos é considerada a apoiadora número um deste projeto realizado por terroristas e mercenários. Peritos de países ocidentais e financiadores potenciais de regimes árabes reacionários, principalmente a Arábia Saudita e o Qatar fornecem apoio e financiamento à organização terrorista com ajuda da Turquia.

Diante desta difícil situação, Síria teve que pedir ajuda da Federação Russa. Moscou deu à Síria o apoio necessário para resistir à esta bárbara agressão.

Os russos ajudaram a confundir os governos ocidentais e os regimes reacionários regionais da Turquia, Qatar, Arábia Saudita, dado que seu apoio transformou radicalmente a correlação de forças nos campos de batalhas, e ajudaram a Síria a ficar de pé durante seis anos de guerra. Síria continuará sua luta em defesa do povo sírio e para libertar todo o território sírio dos agressores.

O governo sírio informou a toda a comunidade internacional as razões desta ajuda da Federação Russa.

Esta ajuda veio a pedido do governo legítimo. De acordo com a cartilha da ONU e todas as resoluções internacionais, nenhum Estado pode invadir ou interferir nos assuntos internos de outro Estado. Qualquer país sob ataque tem o direito à autodefesa, segundo as leis e normas internacionais.

Ao mesmo tempo à medida que as forças legítimas continuam a defender a Síria e libertar os territórios ocupados dos terroristas, que estão tentando impor suas próprias leis que datam de 1500 anos atrás, e cometendo mais crimes sedentos de sangue, a Síria está apoiando a solução política da crise à base de parar o banho de sangue, e evacuou todas as áreas ocupadas de todas as forças terroristas, bem como conduzindo eleições democráticas na província e inicia um diálogo nacional inclusivo com a oposição, principalmente os partidos. Ainda assim, os terroristas, tendo relações com certos grupos de oposição, tentam constantemente pressionar estes grupos a continuarem lutando contra o governo, e fazer fracassar o processo político que se deu nas duas conferências de Geneva assim como o encontro em Vienna, e o acordo entre a Rússia e os Estados Unidos.

Camaradas!

Sangue ainda é derramado na Síria, especialmente na cidade de Aleppo, a segunda capital do país, 75% de território libertado pelo Exército Árabe Sírio e seus aliados. Do outro lado, terroristas em Aleppo recusaram qualquer trégua para salvar as vidas dos cidadãos, que são usados como seus escudos humanos.

Camarada, nosso Partido é o mais interessado em confirmar os seguintes fatos:

Não é aceitável colocar o agressor e a vítima como iguais.

As leis internacionais não permitem a qualquer país interferir nos assuntos internos de qualquer outro país, que é o que os terroristas e seus apoiadores fazem na Síria, exigindo que o Presidente Assad renuncie, assunto que só pode ser decidido pelo povo sírio.

Os agressores são o único lado que levam a plena responsabilidade pelas perdas e danos no país.

A agressão contra a Síria é conjunta à campanha em massa da mídia Imperialista, onde bilhões de dólares são pagos pelos EUA e pela Arábia Saudita. Por esta mídia, fatos sobre o país são falsificados e esta informação é passada para o mundo.

O Iraque também passa pela mesma agressão e o povo iraquiano resiste a ela, e o dever de todas as forças progressistas do mundo é apoiar a brava resistência dos povos do Iraque e da Síria contra os agressores terroristas do mundo.

Camaradas,

Os partidos progressistas na Síria estão lutando principalmente para salvar as condições de vida do povo, principalmente nas circunstâncias de guerra e no injusto bloqueio econômico contra o povo sírio.

Entretanto, nos anos da agressão imperialista, os sírios provaram seu patriotismo e está defendendo a vida democrática independente e progressista, e ao mesmo tempo o povo sírio apoia a solução política da crise.

Comunicado do Partido Comunista Sírio Unificado publicado na semana passada.

Tradução de Gabriel Duccini

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube