1/10

"A Questão Palestina e as Relações Internacionais"


No Brasil temos hoje entre 15 e 20 mil palestinos. Desde o início dos anos oitenta tem crescido em nosso país um movimento de solidariedade com a causa palestina que atravessa as barreiras ideológicas, políticas, partidárias e religiosas. É possível encontrar sindicatos filiados a diversas centrais sindicais (Central Única dos Trabalhadores-CUT, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil - CTB, Central Geral dos Trabalhadores do Brasil – CGTB, Central Sindical-Popular Coordenação Nacional de Lutas – CSP-CONLUTAS, INTERSINDICAL, Força Sindical, entre outras) assinando manifestos e participando da organização de atos e mobilizações de apoio a luta pela criação do Estado Palestino. Desde os anos 1980 a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) possui escritório de representação diplomática em Brasília, que hoje já tem status de Embaixada, é a Embaixada da Palestina no Brasil, que foi uma ação concreta de reconhecimento de vários governos brasileiros à legitimidade dessa luta por independência e libertação nacional. Também entre os diversos partidos políticos brasileiros o apoio aos palestinos é grande, principalmente entre os partidos de centro-esquerda, progressistas e de esquerda. A defesa da criação de um Estado Palestino consta nos programas partidários ou aparece em discursos e manifestos das lideranças. Se fizermos um levantamento entre parlamentares brasileiros, certamente também encontraremos deputados estaduais e federais, senadores e vereadores em todos os Estados que, de alguma maneira, expressam ou já expressaram sua solidariedade contra as arbitrariedades que são cometidas pelo Estado de Israel nesses 62 anos de ocupação militar estrangeira. Também percebemos a existência de vários Comitês de Solidariedade à Luta do Povo Palestino, em vários Estados do Brasil. Em São Paulo, nos últimos anos, foi criada a Frente de Defesa do Povo Palestino, com a participação de movimentos populares, partidos, movimento sindical, movimento estudantil, etc. Os estudantes brasileiros e suas organizações, seja a União Nacional dos Estudantes (UNE) ou a Associação Nacional de Estudantes Livre (ANEL), apesar de divergirem em vários temas da política interna, estão unidos neste tema da política internacional. Entre os movimentos de trabalhadores, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e a Via Campesina (movimento internacional de trabalhadores rurais e camponeses) tem enviado delegações em missões humanitárias na Palestina. Inúmeros religiosos, judeus, cristãos (das mais diversas denominações) ou muçulmanos também no Brasil se encontram para homenagear