Notícias

"Sois a favor ou contra a União Soviética?"

No outono de 1917, milhões de operários dos países capitalistas acolheram com entusiasmo a notícia da vitória da revolução proletária na Rússia, da fundação do primeiro Estado operário e camponês no mundo. E quando os governos das potências imperialistas organizaram uma intervenção militar anti-soviética, os trabalhadores da Inglaterra, da França, dos Estados Unidos e de numerosos outros países colocaram-se contra essa criminosa agressão e procuraram ajudar o jovem Estado soviético. Desde esse momento a burguesia reacionária, apavorada, denunciou como pecado mortal a solidariedade ao Estado soviético. Em quase todos os países capitalistas, iniciou-se a perseguição, a caça aos amigos da Uni

Kollontai: "As relações entre os sexos e a luta de classes"

Entre os múltiplos problemas que perturbam a humanidade, ocupa, indiscutivelmente, um dos primeiros postos, o problema sexual. Não há uma só nação, um só povo em que a questão das relações entre os sexos não adquira cada dia um caráter mais violento e doloroso. A humanidade contemporânea passa por uma crise sexual aguda. Uma crise que se prolonga e que, portanto, é muito mais grave e difícil de resolver. No curso da história da humanidade não encontraremos, seguramente, outra época na qual os problemas sexuais tenham ocupado, na vida da sociedade, um lugar tão importante, atraindo como por arte de magia, as atenções de milhões de homens. Em nossa época, mais do que em nenhuma outra da histór

"Diplomacia da guerra: pretextos e mentiras"

A agenda latino-americana da administração de Donald Trump é parecida, cada vez mais, com o que seu gabinete de guerra e conselheiros fascistas sempre souberam fazer: fabricar pretextos, mentir e manipular, em clara coerência com as ameaças do novo chefe do Conselho de Segurança Nacional, John Bolton, de que 2018 trazia maior destaque à região dentro das prioridades de guerra de seu presidente. O presidente Trump ameaça invadir a Venezuela; desencadeia bloqueios, guerra econômica e sanções quase semanais contra Caracas; é o principal promotor do genocídio pela fome e depois culpa o socialismo por empobrecer a rica nação sul-americana; aos seus vassalos e aliados ordena a atiçar o fogo e busc

As tarefas internacionalistas dos brasileiros sob o governo Bolsonaro

No decorrer do processo das eleições farsantes de 2018, Jair Bolsonaro passou a ser o candidato que encastelou os setores majoritários e mais reacionários das classes dominantes, e também o imperialismo norte-americano. A candidatura de Alckmin, que não "decolou" ao longo das eleições, foi logo descartada. Para o imperialismo norte-americano, o governo fascista de Bolsonaro tem missões bastante visíveis sob o ponto de vista internacional. Sob tal perspectiva, o Brasil é um dos mais importantes países do mundo, e o alinhamento geopolítico para o qual este pende permite alterar de força substancial as correlações de forças a nível mundial. Até então, Bolsonaro tem levantado como bandeira polít

Kim Il Sung: "Reforcemos a Luta Anti-imperialista e Anti-Ianque"

Os povos da Ásia, África e América Latina, que durante séculos estiveram submetidos a opressão e saqueio do capitalismo ocidental e do imperialismo, agora se erguem valentemente, fazendo assim sua aparição no cenário da história. Uma poderosa maré de libertação nacional está se expandindo com uma força irresistível. Centenas de milhões de pessoas dos três continentes lutam por sua libertação e para salvaguardar os logros revolucionários já obtidos. O sistema colonial do imperialismo desmorona com rapidez. Para manter sua antiga posição e recuperar seus baluartes já perdidos, o imperialismo realiza os mais desesperados esforços de vida ou morte. A medida que o imperialismo se aproxima da mort

Haywood: "Dias de Trotsky no tribunal"

Além de nossos cursos acadêmicos, recebemos o nosso primeiro ensinamento sobre leninismo e história do Partido Comunista da União Soviética no calor da luta interna do partido, em seguida travada entre Trotsky e a maioria do Comitê Central liderado por Stalin. Nós, estudantes da Universidade Comunista dos Trabalhadores do Oriente (KUTV) não éramos simples observadores, mas participávamos ativamente na luta. A maior parte dos estudantes - e todos do nosso grupo dos EUA - eram ardentes apoiadores de Stalin e da maioria do Comitê Central. Nem sempre foi assim. Otto disse-me que em 1924, um ano antes de ele chegar, a maioria dos alunos na escola tinha sido partidários de Trotsky. Trotsky estav

"O que é a UDR e quem é Nabhan Garcia, cotado para ser ministro de Bolsonaro?"

O pecuarista Luiz Antônio Nabhan Garcia é um dos principais articuladores da equipe de Jair Bolsonaro (PSL) junto ao agronegócio. Presidente da União Democrática Ruralista (UDR), entidade polêmica do patronato rural, ele já teve que dar esclarecimentos à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Terra por porte ilegal de armas, contrabando e organização de milícias privadas na região do Pontal do Paranapanema, em São Paulo e apoia o desmatamento da Amazônia. Representante da classe ruralista, Nabhan aparece como cotado para ocupar o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), caso se confirme as pesquisas do segundo turno nas eleições deste ano. A simples menção de

Pomar: "Grandes êxitos da Revolução Cultural Proletária"

As vitórias da Revolução Cultural Proletária na China constituem valioso alento à luta da classe operária e dos povos oprimidos por sua independência, pela democracia e o socialismo. Significam, ao mesmo tempo, contundente derrota para a coalizão mundial contrarrevolucionária do imperialismo, da reação e do revisionismo contemporâneo. Ao mobilizar massas de centenas de milhões, num movimento de envergadura sem precedente, a Revolução Cultural Proletária, em menos de dois anos, já se estendeu a toda a China e desbaratou a trama revisionista burguesa que visava a restauração do capitalismo. Seguindo a justa orientação do camarada Mao Tsé-tung, a esmagadora maioria do proletariado, dos campones

"Reformismo, Doença Infantil do Fascismo"

O desaparecimento das teses do VI Congresso da Internacional Comunista significou uma perda histórica para o movimento revolucionário aos mais variados títulos. Não seria possível elencar todos os aspectos em que tal perda se repercutiu. Um que é particularmente relevante é o da linha recta entre o pensamento reformismo e o fascismo. O Programa da Internacional Comunista saído desse Congresso - e cuja tradução seria fundamental - começa por recordar o comportamento da fase final (e mais insuportavelmente reaccionária e traidora) da Segunda Internacional aquando da eclosão da I Guerra Mundial: a adopção de teses social-chauvinistas, isto é, o encarrilamento dos trabalhadores para a adesão a

Saramago: "Das pedras de Davi aos tanques de Golias"

Afirmam algumas autoridades em questões bíblicas que o Primeiro Livro de Samuel foi escrito ou na época de Salomão ou no período imediato, em qualquer caso antes do cativeiro da Babilónia. Outros estudiosos não menos competentes argumentam que não apenas o Primeiro, mas também o Segundo Livro de Samuel, foram redigidos depois do exílio da Babilónia, obedecendo a sua composição ao que é denominado por estrutura histórico-político-religiosa do esquema deuteronomista, isto é, sucessivamente, a aliança de Deus com o seu povo, a infidelidade do povo, o castigo de Deus, a súplica do povo, o perdão de Deus. Se a venerável escritura vem do tempo de Salomão, poderemos dizer que sobre ela passaram, at

Kalinin: "O Estudo e a Vida"

O Trabalho Revolucionário e a Escola Teórica Na atualidade, atravessamos um período sumamente complexo. Cada ano nossa vida se complica mais e mais. Em nossa edificação soviética são necessárias forças cada vez mais qualificadas. Agora, já se torna sumamente difícil abordar dum modo primário os problemas sociais. Pelo contrário, a dialética marxista nos ensina que o que ontem era negro, hoje se tornou branco. E o que ontem era vermelho, hoje se tomou branco. Em cada ocasião, é necessário saber focalizar de forma profunda, marxista, cada problema social. É necessário saber abarcar o objeto em seu conjunto e ao mesmo tempo saber analisar todo o seu conteúdo interno. Compreende-se que para aba

Stalin: "Sobre a União da Repúblicas Soviéticas"

Camaradas: o dia de hoje é um dia decisivo na história do Poder Soviético. É um dia em que se estabelece a divisa entre o período antigo, já passado, quando as Repúblicas Soviéticas, atuando ainda conjuntamente, marchavam separadas, ocupando-se sobretudo com os problemas da sua própria existência, e o novo período, já iniciado, em que se põe fim à existência separada das Repúblicas Soviéticas; em que as Repúblicas se unem num só Estado federal para lutar com êxito contra a ruína econômica; em que o Poder Soviético pensa já, não só na sua existência, mas também em desenvolver-se para constituir uma força internacional de importância, capaz de influir na situação internacional, capaz de modifi

Zetkin: "Fascismo"

No fascismo, o proletariado é confrontado por um inimigo extraordinariamente perigoso. O fascismo é a expressão concentrada da ofensiva geral empreendida pela burguesia mundial contra o proletariado. Sua derrubada é, portanto, uma necessidade absoluta, ou melhor, é mesmo uma questão da existência cotidiana e do pão com manteiga de todo trabalhador comum. Por estes motivos, todo o proletariado deve concentrar-se na luta contra o fascismo. Será muito mais fácil derrotar o fascismo se estudarmos clara e distintamente sua natureza. Até aqui tem havido ideias extremamente vagas sobre esse assunto, não apenas entre as grandes massas de trabalhadores, mas também no interior da vanguarda revolucioná

Bolsonaro nas lutas de Classes

Contribuições para compreender e contra-atacar a barbárie O nosso país está atravessado por inúmeras divisões. Entre camponeses sem terra e latifundiários com terras infindas; entre uma população negra estigmatizada e penalizada por séculos de escravidão e pelo racismo e uma população branca que permaneceu, para todos os efeitos, imune a esse processo; entre homens e mulheres; entre patrões e operários; e no âmbito das eleições federais, mais recentemente, a divisão entre os apoiadores do Partido dos Trabalhadores e os apoiadores de Jair Bolsonaro. Todas estas divisões, estruturadas pelas múltiplas contradições que formam nossa nação, se relacionam e se imbricam continuamente, num emaranhado

Lenin: "Cuidado com os espiões!"

Morte aos espiões! O avanço dos guardas brancos em Petrogrado tornou perfeitamente claro que, nas proximidades da linha de frente, em todas as grandes cidades, os guardas brancos possuem uma ampla organização para espionagem, subversão, explosão de pontes, planejamento de revoltas na retaguarda e o assassinato de comunistas e membros destacados de organizações operárias. Todo homem deve estar em constante vigilância. Em todos os lugares, a vigilância deve ser redobrada e uma série de medidas devem evoluir e serem aplicadas com o maior rigor para rastrear e capturar espiões e conspiradores da guarda branca. Os ferroviários e os trabalhadores políticos em todas as unidades militares sem exceçã

Gramsci: "Os jornais e os operários"

É a época da publicidade para as assinaturas. Os diretores e os administradores dos jornais burgueses arrumam as suas vitrines, passam uma mão de tinta pela tabuleta e chamam a atenção do passante (isto é, do leitor) para a sua mercadoria. A mercadoria é aquela folha de quatro ou seis páginas que todas as manhãs ou todas as tardes vai injetar no espírito do leitor os modos de sentir e de julgar os fatos da atualidade política que mais convém aos produtores e vendedores de papel impresso. Estamos dispostos a discorrer, com os operários especialmente, sobre a importância e a gravidade daquele ato aparentemente tão inocente que consiste em escolher o jornal que se pretende assinar? É uma escolh

"Os militares já estão no poder"

Sergio Westphalen Etchegoyen coleciona ao menos uma proeza desde que assumiu, há 29 meses, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República – a manutenção de Michel Temer no poder. Fiador da posse do emedebista, o general foi uma espécie de delegado das Forças Armadas junto à Presidência, com poderes para reorganizar e controlar a inteligência de Estado. O sucesso de sua missão deve ser avaliado a partir de dois fatos. O primeiro é o de que o protegido de Etchegoyen transmitirá o cargo ao sucessor em 1º de janeiro de 2019. O segundo é o de que o fará depois de duas denúncias na Câmara, um indiciamento pela Polícia Federal, afastamento e prisão de todo o seu círculo pró

Engels: "A Futura Revolução Italiana e o Partido Socialista"

A situação em Itália, na minha opinião, é esta: A burguesia, chegada ao poder durante e após a emancipação nacional, não soube nem pôde completar a sua vitória: não destruiu os restos de feudalidade reorganizando a produção nacional segundo o modelo capitalista moderno. Incapaz de fazer o país participar das vantagens relativas e temporárias do sistema burguês, impôs-lhe todas as cargas, todos os inconvenientes. Não contente com isto, tornou-se impossível, desprezível em último grau e para sempre pelas suas ignóbeis vigarices financeiras. O povo trabalhador [peuple travailleur] — camponeses, gente dos ofícios [gens de métier], operários — encontra-se, portanto, esmagado, por um lado, por

"Máfia, CIA e tráfico de drogas: aliança estratégica contra Cuba"

Desde 1942, como parte de uma aliança estratégica, a máfia baseada em Cuba interagia com os serviços especiais dos Estados Unidos e com os governos corruptos da época, prestando grandes serviços na manipulação de situações políticas complexas, na repressão dos trabalhadores e do movimento revolucionário na Ilha e em diferentes conjunturas. Assim começaram a transcender os laços que se teciam entre senadores locais, mafiosos italianos e norte-americanos que compartilhavam acordos de tráfico de drogas com os cubanos, todos ligados ao governo no poder em Havana e à embaixada norte-americana e os representantes da Agência Central de Inteligência (CIA) desde a sua criação em 1947, herdeira do E

Quilombolas retomam terras griladas por família de Bolsonaro no interior de SP

No Vale do Ribeira, interior de São Paulo, tidos pelo fascista Bolsonaro como quem "não servem nem para procriar", camponeses negros quilombolas dos municípios de Eldorado Paulista e Iporanga retomaram nos últimos dias terras suas que vêm há anos sendo griladas pelo cunhado de Bolsonaro, Theodoro Konesuk. As verborreias vomitadas por Jair Bolsonaro contra populações quilombolas e as minorias nacionais fazem sentido. Ele trabalha por interesse próprio e de seus familiares bandidos. Há mais de cinco anos, o cunhado de Bolsonaro e seu pai, Theodoro Konesuk Junior, vinham grilando terras pertencentes aos povoados negros Galvão e Barra de São Pedro. Ainda que os quilombos existam desde o século

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube