Notícias

"Haiti e sua crise sócio-política perene"

O Haiti voltou ao normal após uma turbulenta semana social e política, cujos custos em todas as áreas ainda precisam ser determinados. Instituições de ensino, transporte, administração pública, hospitais e centros comerciais retomaram suas atividades após a chamada para a greve geral que manteve inativo durante cinco dias na capital e outras cidades-chave como Cap Haitien, Les Cayes e Miragone. Em meio à profunda crise gerada por uma mobilização contra a corrupção e também exigiu mudanças imediatas na estrutura de poder, o presidente haitiano, Jovenel Moise, dirigiu-se à nação e reiterou sua disposição de dialogar com todos os setores nacionais. Ele também pediu à oposição que espere as elei

"Mensagem às Mulheres Revolucionárias"

Mulheres negras, mulheres negras, levantai a cabeça e olhai à frente. Nós também somos necessárias à revolução. Irmãs, eduquemos nosso povo. Combater o liberalismo e combater o machismo. Despertar nossos homens para o fato de que somos nem mais nem menos. Somos tão revolucionárias quanto eles. Durante muito tempo temos estado sozinhas. Durante muito tempo temos sido mulheres sem homens, durante muito tempo temos sido duplamente oprimidas, não somente pela sociedade capitalista, mas também pelos homens. Agora já não estamos mais sós, nossos homens estão junto a nós. Nós, mulheres e homens revolucionários, somos um a metade do outro. Devemos continuar educando nossos homens, e conduzir s

"Stalin nos conduz à vitória do comunismo"

O dia de hoje é uma grande festa de todo o povo. Os povos da poderosa União Soviética e centenas de milhões de trabalhadores do globo terrestre, com o sentimento de um amor sem limites e da mais profunda veneração, festejam o dia feliz para a humanidade, o dia do nascimento do grande chefe dos trabalhadores, o querido e muito amado camarada Stalin. Dos setenta anos de sua vida gloriosa, o camarada Stalin dedicou cinquenta e cinco anos, numa heroica atividade de revolucionário proletário, cheia de privações, perigos, luta tenaz e grandes trabalhos, à causa da libertação da classe operária e de todos os trabalhadores das cadeias da escravidão e da exploração capitalistas, da miséria e da opres

"Repúdio à cúpula do G20 em Buenos Aires"

Nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro, deliberará em Buenos Aires os presidentes e chefes de governo do chamado Grupo dos 20 (G-20). Entre eles estão o imperialista Donald Trump e os pelegos sujos como Mauricio Macri, além da pirata inglesa Theresa May, da Alemanha, Angela Merkel, e outros presidentes da União Europeia, o premier canadense, o presidente russo Vladimir Putin e o presidente chinês, Xi Jinping, assim como o direitista Sebastián Piñera como convidado de Macri, entre outros. Tomado geral desta cúpula não representa o povo ou a maioria dos países, que são 193 representados na Assembleia Geral da ONU (deve ser pelo menos 194 quando finalmente reconhecer plenamente a Palestina, p

"A migração como revolta contra o capital"

O fato de que um grande número de refugiados – especialmente de países que ultimamente têm sido sujeitos às devastações da agressão imperialista e das guerras – estejam desesperadamente a tentar entrar na Europa é visto quase exclusivamente em termos humanitários. Se bem que esta percepção tenha sem dúvida validade, há um outro aspecto da questão que tem escapado à atenção, nomeadamente que é a primeira vez na história moderna que a questão da migração está a ser postulada fora do controle exclusivo do capital metropolitano. Até agora os fluxos migratórios haviam sido ditados inteiramente pelas exigências do capital metropolitano; agora, pela primeira vez, povos estão a violar os ditames do

"As relações entre Cuba e a Coreia Popular"

"O camarada Fidel Castro Ruz foi o destacado líder do povo cubano, quem defendeu honrosamente a soberania e a dignidade do país, estabeleceu pela primeira vez no hemisfério ocidental o regime socialista, cujo povo foi convertido em verdadeiro dono, e dedicou toda sua vida pela prosperidade do país e a felicidade do povo, e o célebre ativista política que deu especial aporte ao cumprimento da causa da independência anti-imperialista pelo socialismo e a justiça". Kim Jong Un A República Popular Democrática da Coreia decretou um luto de três dias por conta da morte do camarada Fidel Castro. O respeitado Marechal Kim Jong Un não apenas enviou uma mensagem de condolência mas visitou pessoalmente

"O modelo 'Ocean' e o fascismo"

O capitalismo sempre utilizou a prática de eleições como arma contrarrevolucionária e de burla das massas. Uma farsa. Mas agora, com o afundamento do imperialismo, etapa em que se torna mais reacionário e mais violento, a burguesia em desespero elabora um método quase "cinematográfico" de manipulação e enganação do povo, mas cujos resultados, como já afirmou o AND anteriormente, ficaram expressos de forma clara na campanha do Brexit (saída da Inglaterra do grupo da União Europeia), nos êxitos do partido alemão populista-fascista Alternativa Para a Alemanha e na vitória eleitoral do arquirreacionário Donald Trump no USA. Expresso também no recente pleito no Brasil. Unindo conteúdos teóricos

"O Existencialismo, filosofia antidemocrática"

A palavra existencialismo designa um movimento filosófico e literário que apareceu na França nos últimos anos que antecederam a última guerra mundial. Essa movimento exprime-se através de estudos filosóficos, o mais importante dos quais é "O Ser e o Nada", de Sartre; através de romances, os mais característicos dos quais são "Os caminhos da Liberdade", de Sartre, o chefe da escola; através de obras dramáticas e na revista "Os tempos modernos", a qual nos fornece seguramente o aspecto mais revelador e significativo do movimento. Os existencialistas são, na sua maioria, diplomados em filosofia ou literatura; muitos deles são antigos alunos da Escola Normal Superior; quase todos foram profess

"Lenin, o orador"

Quando Lenin subiu à tribuna e pronunciou a palavra “camaradas” com o “r” muito suave, acreditei que não era um grande orador. Mas passara apenas um minuto e eu, como todos os demais, fomos “absorvidos” pelo seu discurso. Pela primeira vez escutei que se podia falar sobre complicadíssimos problemas políticos com tanta simplicidade. Este orador não se esforçava em fazer frases pomposas. Pelo contrário, parecia oferecer cada palavra sobre a palma de sua mão, empregando-a com assombrosa facilidade em seu sentido exato. Seria uma dura tarefa transmitir a excepcional impressão que produziu. Seu braço estendido estava em frente, com a palma da mão um pouco voltada para o lado, como se a apoiasse

"A ciência e o desenvolvimento das forças produtivas"

O que é ciência O conteúdo do conceito multifacetado de "ciência" não se encaixa em definições muito restritas. Dizem, por exemplo, e até escrevem em enciclopédias que a ciência é um corpo de conhecimento sobre a vida real. Tal definição concisa não é inteiramente verdadeira, pois identifica a ciência com seus frutos. A ciência realmente nos dá conhecimento, assim como o ferro é fundido no processo metalúrgico, mas seria ridículo dizer que a metalurgia é o ferro produzido a partir de fornos metalúrgicos. A ciência é tanto o processo de desenvolvimento do conhecimento quanto a totalidade do conhecimento que foi testado pela prática, representando a verdade objetiva. Se você se pergunta, a par

"Uma guerra esquecida: a derrota dos EUA no Laos"

Essa é uma guerra esquecida de que se não fala. É, portanto, natural que tenha chamado a minha atenção um livro que encontrei em Havana num alfarrabista: “La derrota del Imperialismo yanqui en Lao”. O autor, Luis M. Arce, é um jornalista cubano que teve a oportunidade de acompanhar, como correspondente do Granma, o desfecho do conflito armado, quando o pessoal diplomático americano, os agentes da CIA e os funcionários da USAID abandonavam Vientiane, a capital do Laos, em debandada caótica (caos que se repetiria em Saigao em l975). Antecedentes O Laos (236 000 km2) era o país mais atrasado do Sudeste asiático quando a França, já estabelecida no Vietnam e no Camboja, o invadiu e ocupou em l893

"A ONGnização da resistência"

Um risco que os movimentos de massas enfrentam é a “ONGnização” da resistência. Seria fácil interpretar mal o que estou para dizer e entende-lo como uma condenação de todas as ONGs. Isso seria falso. Nas águas turvas das ONGs falsas criadas para desviar doações ou sonegar impostos (em partes da Índia como Bihar são ainda dados como dote) há, naturalmente, algumas que fazem um trabalho valioso. Mas é importante considerar o fenômeno das ONGs num contexto político mais amplo. Na Índia, por exemplo, a explosão das ONGs que recebiam fundos começou em meados dos anos 1980 e 1990. Coincidiu com a abertura dos mercados indianos ao neoliberalismo. Neste momento, o Estado indiano retirou fundos de de

"O Petróleo na Doutrina Truman"

Um recente ''Memorandum sobre a Legislação Nacional de interesse para os Grupos Religiosos", expedido pelo Comitê de Amigos para a Legislação Nacional, de Washington, declara que, "a despeito do franco reconhecimento, por parte dos seus principais proponentes, de que o primeiro objetivo é proteger o nosso petróleo no Oriente Médio e refrear a Rússia, antes de aliviar a fome na Grécia e na Turquia, o Congresso parece inclinar-se a aprovar a resolução 938, do Senado e a resolução 2.616, da Câmara". Outros adversários do projeto de lei para "emprestar" 400 milhões de dólares à Grécia e à Turquia, dos quais dois terços terão a forma de auxílio militar, também salientaram os aspectos petrolíf

"Ateísmo burguês e proletário"

O desenvolvimento do ateísmo é o desenvolvimento de uma atitude negativa em relação à religião. No entanto, a luta do ateísmo contra a religião não é uma simples substituição de certas ideias por outras ideias. O desenvolvimento do ateísmo foi refletido nas atividades materiais das pessoas, refletindo um certo progresso nas condições de sua vida material. A conexão entre o ateísmo e a existência material das pessoas, Marx vividamente expressa na seguinte posição: "... O ateísmo é a negação de Deus , que por essa negação afirma a existência do homem ". A religião deprecia a natureza e a pessoa, coloca seu ser na dependência de uma criatura estranha, alienígena e fantástica. O ateísmo, negando

"'O movimento é tudo, o objetivo final é nada' ou a Traição dos trabalhadores e do soci

“Os meus pensamentos e esforços têm em conta a preocupação com os deveres do presente e do futuro mais próximo, e apenas me preocupo com as perspectivas para além desse futuro na medida em que me providenciam uma linha de conduta adequada ao contexto atual.” (Bernstein 1899:7)1 À espera do dinheiro do testamento de Engels, como refere no seu livro Socialismo Evolutivo (1899)1, Bernstein atrasou a publicação das suas teses revisionistas. E quando o fez, tornou-se o “pai” da social-democracia moderna, isto é, uma doutrina que se propunha instituir um conjunto de reformas graças às quais, pelo alargamento dos direitos políticos e econômicos dos trabalhadores, e um maior acesso à propriedade d

Stalin: "Sobre o Marxismo na Linguística"

Um grupo de jovens camaradas dirigiu-se a mim para me propor que opinasse pela imprensa sobre os problemas da lingüística, principalmente no que diz respeito ao marxismo na lingüística. Não sou lingüista e não posso, evidentemente, satisfazer de todo aos camaradas. Quanto ao marxismo em lingüística, do mesmo modo que nas outras ciências sociais, trata-se de um assunto com o qual eu tenho relação direta. Aí está porque aceitei responder a uma série de perguntas colocadas por esses camaradas. Pergunta: — É exato que a língua seja uma super-estrutura sobre uma infra-estrutura? RESPOSTA: — Não, não é exato. A INFRA-ESTRUTURA é o regime econômico da sociedade numa etapa determinada de seu d

Machel: "Estabelecer o Poder Popular para servir as massas"

Celebramos neste ano de 1974 o 10º aniversário do desencadeamento da nossa luta armada. Dez anos durante os quais inúmeros militantes e o Povo aceitaram toda a espécie de sacrifícios e todo o tipo de privações, dez anos a superar dificuldades e a provarmos que somos capazes de alcançar a vitória. Começamos já a conhecer a vitória. Em regiões cada vez mais vastas da nossa Pátria o Povo já compara e diz «antes da Revolução» e «hoje». O nosso Povo começa a saborear o fruto da sua luta. Mas ao mesmo tempo todos estamos conscientes que a vitória final não é para amanhã e que um longo caminho ainda nos espera. Qual a razão dos nossos sacrifícios? Porque motivo o inimigo se mostra tão intrans

"Ucrânia: O caos engole nosso país"

Com as eleições parlamentares e presidenciais que se aproximam em 2019, a Ucrânia está mergulhando fundo no caos auto-infligido, enquanto a junta de Kiev continua a culpar a Rússia por todos os seus problemas. Mostrado como muito distante nas principais pesquisas de opinião em relação à ex-primeira-ministra Yulia Tymoshenko nas eleições presidenciais, o atual presidente Petro Poroshenko recorreu a pesquisas pagas que resultaram em números mais aceitáveis, enquanto empilha a Comissão Eleitoral Central com seu próprio povo. Especula-se que seu objetivo ao preparar as pesquisas de opinião é limitar a projeção de Tymoshenko para que tenha mais chances do público aceitar uma vitória de Poroshen

Lenin: "Marxismo e Reformismo"

Diferente dos Anarquistas, os Marxistas reconhecem a luta por reformas, ou seja, a luta por medidas que melhoram as condições do povo trabalhador sem destruir o poder da classe dominante. Ao mesmo tempo, entretanto, os Marxistas travam uma luta decidida contra os reformistas, estes que, diretamente ou indiretamente, privam a classe trabalhadora de alcançar os seus reais objetivos e restringem a sua movimentação. O reformismo é uma ilusão burguesa dos trabalhadores, que, apesar de possibilitar melhores condições de trabalho para determinadas categorias, vai continuar a escravizar os assalariados enquanto o capitalismo imperar. Com uma das mãos a burguesia liberal concede as reformas, e com a

"Particularidades do Racismo Brasileiro"

Quando falamos de um sistema classificatório racial no Brasil, subordinado a uma escala de valores racistas, evidentemente não nos referimos a um código elaborado e institucionalizado legalmente. Assim como nunca elaboramos um Código Negro que regulamentasse as relações entre os senhores e os escravos, também não tivemos um tipo apartheid da África do Sul ou uma Jim Crow dos Estados Unidos. Da mesma forma como a Constituição do Império omitiu a existência da escravidão e o jurista Teixeira de Freitas tenha se recusado a colocá-la quando redigiu o projeto do Código Civil do Império, assim também esse sistema classificatório racista não foi codificado e institucionalizado, embora tenha atuad

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube