1/10

"A linha revolucionária do Songun é uma grande linha de nossa época"

Hoje em dia nossa revolução avança triunfalmente com a bandeira do Songun no alto, sob a direção do Partido. Graças à política do Songun de nossa organização as forças armadas revolucionárias se fortaleceram extraordinariamente, a linha defensiva do país ganhou em firmeza e conquistou grandes mudanças na revolução e sua construção. Por suas potencialidades essa política nos permitiu defender a Pátria e a revolução, frustrando a cada dia as provocações dos imperialistas contra nossa República e o socialismo, assim como manifestar ante todo o mundo a dignidade e o prestígio da Coreia socialista.

Trata-se de uma política vitoriosa já provada pela história, conquistada através de severas dificuldades e com uma espada poderosa para a vitória na revolução. Defender, levar adiante e culminar pela força das armas a sagrada causa revolucionária iniciada e condecorada de vitórias pelo mesmo meio representa a invariável convicção e vontade do nosso Partido, que junto com todo o Exército e o povo, deve travar uma tenaz luta com a bandeira do Songun erguida para transformar o país em uma grande potência socialista próspera, alcançar a reunificação da Pátria e levar como prioridade a causa revolucionária do Juche.

A direção do nosso Partido sobre a revolução mediante o Songun e sua política sustentada neste meio constituem o modo de dirigir a revolução, modo da política socialista, que apresenta no primeiro plano o aspecto militar entre todos os assuntos do país e, sobre a base da capacidade revolucionária e a capacidade combativa do Exército Popular, proteger a Pátria, a revolução e o socialismo e acelera com vigor o conjunto dos trabalhos da construção socialista. Para essa política o tema militar tem suma importância. O Exército é o destaque fundamental e o corpo da revolução e seu fortalecimento é a tarefa principal. A característica essencial dela reside em defender a segurança da Pátria e as conquistas da revolução, mediante a potência do Exército Popular como invencíveis forças armadas revolucionárias, constituir solidamente o sujeito da revolução, tomando o Exército como seu centro, como sua força principal, e realizar todos os trabalhos da construção socialista com ímpeto revolucionário e combativo.

A ideia e a linha de exaltar a importância das armas e dos assuntos militares, que foi concebida e mantida invariavelmente pelo grande Líder, camarada Kim Il Sung, constituem a base e o ponto de partida da política do Songun do nosso Partido.

Dado que a luta por realizar a causa da independência das massas populares, causa do socialismo vem acompanhada do enfrentamento contra toda classe de forças contrarevolucionárias, incluindo o imperialismo, o assunto militar se apresenta como um problema vital, que decide a vitória ou a derrota na revolução, o progresso ou a ruína do país, da nação. Só contando com as próprias e poderosas forças armadas revolucionárias, é possível sair vitorioso na revolução, defender a revolução triunfante e inventar de modo independente o destino do país. Sobre as armas da revolução descansam a vitória da causa revolucionária, a soberania, a independência e a prosperidade do país e da nação. Esse é o princípio da revolução do Juche e uma de suas leis, formulados pelo grande Líder. Sua veracidade foi comprovada pela história.

No começo de suas atividades revolucionárias o grande Líder organizou primeiro os destacamentos armados e pela força das armas conseguiu a histórica causa da libertação da Pátria, e logo fundou o Partido e o Estado. Posteriormente, em cada época e etapa da revolução sempre prestou atenção primordial aos assuntos militares e reforçou constantemente as forças armadas revolucionárias, assegurando militarmente o vitorioso avanço da revolução e da construção socialista.

A política do Songun do Partido é um poderoso modo da política de nossa época, herdeira das ideias e linha do grande Líder de dar importância para as armas e aos assuntos militares e seu aprofundamento e desenvolvimento, sempre de acordo com os requerimentos da situação mudada. Com ela defendemos hoje o grande pensamento militar e os méritos imortais do Líder e fazemos brilhar em um nível mais alto, assim como vencemos o caminho para o triunfo da causa do Juche. A época do Songun coincide com a nova época da revolução jucheana e representa a nova etapa mais alta do desenvolvimento de nossa revolução, que avança vitoriosamente sob a bandeira do Songun.

A linha revolucionária do Songun e a política de mesmo caráter são a linha revolucionária e o modo da política científica que refletem da maneira mais correta as demandas da época e a revolução.

Sobre a base da análise científica das circunstâncias internacionais e a tendência da situação, em brusca mudança que se enfrentava a revolução, nosso Partido adotou a política do Songun.

Na década de 90 do século XX, caiu o socialismo na URSS e outros países da Europa Oriental e se produziram enormes mudanças na estrutura política mundial e as correlações de forças. Os gigantes do imperialismo e os oportunistas clamaram que “com o fim da Guerra Fria” chegou o tempo de amistosidade e paz, mas enquanto o imperialismo estiver vivo, com suas garras agressivas, nosso planeta não pode nunca estar tranquilo. Levando em conta a queda do sistema socialista no mundo, as forças reacionárias imperialistas intensificaram a ofensiva contra as forças anti-imperialistas e de pró-independência. Especialmente o imperialismo norteamericano, convertido na única potência do mundo, exercia de modo mais sinistro a política de agressão e guerra para ver realizada sua ambição de dominar o mundo, ao tempo que fazia o uso da coação e arbitrariedade na palestra mundial, em flagrante violação da sobernia de outros países.

As forças reacionárias imperialistas concentraram seus ataques contra nossa República, que avançava invariavelmente com a bandeira da independência e do socialismo erguida lá no alto. Os ianques e seus seguidores intensificaram mais do que nunca as manobras de agressão militar, para derrotar com força a nossa República, ao mesmo tempo que nos pressionavam em todas as esferas da política, da economia, da ideologia, da cultura e da diplomacia, assim como nos caçaram pelos quatros cantos para nos isolar do mundo. Por isso nossa revolução foi exposta à severas provas e dificuldades nunca vistas na história e nós, que enfrentamos diretamente o imperialismo norte-americano, devíamos resistir às manobras intensivas dessas forças agressoras.

O confronto entre nós e os imperialistas é um duelo de forças e a frente militar antiimperialista se transformou na frente principal de nossa revolução, sua via respiratória número um, que decidirá a existência do país, da nação e do socialismo. Para salvar o destino do país e conduzir ao triunfo a revolução e a construção era indispensável reforçar o Exército Popular mediante a concentração dos esforços nos assuntos militares e nos apoiarmos nele. Por essa razão afirmamos que o Exército representa o Partido, o Estado e o povo. Se não tivéssemos fortalecido o Exército, descuidando dos assuntos militares, nós estaríamos arruinados, sem impulsionar a revolução e a construção do nosso país.

Nossa luta anti-imperialista e anti-ianque era uma batalha muito dura para defender a Pátria e proteger o socialismo. Somente o Exército Popular, destacamento armado revolucionário, poderia desempenhar a missão e o papel como porta-voz na execução da política do Songun. Essa política representa em si a implacável moderação do Exército Popular de combater o inimigo ainda que caia mil vezes, assim como a firme vontade e convicção de conseguir a vitória. Em virtude da heroica luta que todo o Exército e o povo, unidos monoliticamente tendo o primeiro como centro, sustentaram sob a direção do Partido, conseguimos uma grande vitória, depois de superar as dificuldades que surgiam ao passo da revolução.

As experiências práticas de nossa revolução demonstram que a política do Songun, que prioriza os assuntos militares e tem seu suporte nas forças armadas revolucionárias, é o modo mais poderoso da política de nossa época e de nossa revolução, capaz de garantir com toda segurança o vitorioso avanço da causa revolucionária tirando da nossa frente qualquer inimigo forte, dificuldades e provas. A linha revolucionária e a política do Songun são a linha e modo de política do signo estratégico e revolucionário que precisam ser mantidas a toda hora enquanto existe o imperialismo em nosso planeta com suas máquinas de agressão.

A política Songun do Partido é um modo original da política socialista que deu solução científica e brilhante ao grande problema da revolução.

Sobre a base de uma profunda análise do processo de desenvolvimento da época e a mudança das relações sociais classistas, nosso Partido explicou pela primeira vez na história do movimento revolucionário a ideia de considerar primeiro o Exército e logo os trabalhadores e exaltou ao Exército Popular como um grande destaque, como resposta para o êxito da revolução. Justamente por aí que foi derivado originalidade e a invencibilidade da política.

A precedente teoria revolucionária do marxismo definiu a classe trabalhadora como base da revolução. Em meados do século XIX, a análise das relações sociais classistas dos países capitalistas ocidentais levou Karl Marx a explicar que a classe trabalhadora é a classe mais progressista e revolucionária, que assume a missão de acabar com o domínio do capital e todo tipo de regimes exploradores e estabelecer o socialismo e o comunismo, e a definiu como a classe que governa e mantém o legado da revolução. Essa teoria era uma reflexão da realidade daquela sociedade capitalista. Posteriormente, em vários países teve lugar a revolução socialista com a classe trabalhadora como força principal e se deu início a construção do socialismo. Como resultado, no processo de cumprimento da causa socialista essa teoria foi considerada uma fórmula inviolável da revolução.

Mas a teoria ou a fórmula exposta por Marx faz um século e meio e não pode se adaptar a realidade de hoje. O tempo avançou muito e se produziram enormes mudanças tanto nas circunstâncias sociais e as relações de classe como na situação da classe trabalhadora. À medida que progredia o capitalismo e, especialmente, à medida que se desenvolviam rapidamente a ciência e a técnica e se chegava à época da informática, a classe trabalhadora experimentou uma mudança na base de sua vida e seu trabalho foi transformando-se cada vez mais técnico e intelectual. Os integrantes da classe trabalhadora vão se transformando pouco a pouco em intelectuais e cresce com uma grande velocidade o número dos trabalhadores que servem ao trabalho técnico, intelectual e espiritual; juntando esses três os nossos trabalhadores servem ao trabalho prático pela sociedade. Por outra parte, em compasso com o desenvolvimento do capitalismo, a dominação do capital monopolista cobra maior força e nascem em grande quantidade as ideias e culturas burguesas reacionárias, que exercem fortes influências negativas sobre a consciência de classe e o processo de revolução dos trabalhadores e sobre seus trabalhos teóricos e práticos. Tendo em vista as circunstâncias da época como é a realidade do trabalhador, sua situação social e seu movimento de classe, não podemos considerar que a classe trabalhadora de hoje é igual à classe trabalhadora na época do capitalismo industrial ou da época da revolução proletária. As mudanças da época e as condições atuais requerem novas ideias, teorias, estratégias e táticas, para conscientizar e organizar as amplas massas que se opõem ao domínio do capital monopolista e a política de agressão e de guerra do imperialismo, formar filas imensas entre a classe trabalhadora e fortalecer as forças revolucionárias.

As limitações da teoria revolucionária do marxismo foram expostas também na sociedade socialista, onde os donos do Estado e a sociedade são os trabalhadores e as demais massas trabalhadoras populares. A teoria anterior fundamentada na concepção materialista da história considerou que a revolução termina quando a classe trabalhadora toma o poder e estabelece as relações das produções socialistas. Por isso não pôde deixar claro o processo legítimo da construção socialista depois de triunfar a revolução, nem apresentar a ideia sobre a transformação do homem e a revolução ideológica na sociedade socialista.

O grande Líder, camarada Kim Il Sung, apresentou pela primeira vez na história a ideia original de que, desde o ponto de vista das relações das classes, o processo de construção do socialismo e o comunismo é o processo de dotar toda a sociedade com a consciência da classe trabalhadora e explicou cientificamente o papel desta na sociedade socialista, a mudança e o desenvolvimento das relações das classes e a legítima transformação do homem na mesma.

Graças à teoria original do grande Líder sobre a construção socialista e sua sábia direção, em nosso país todos os trabalhadores se tornaram trabalhadores socialistas e todos trabalham e vivem sobre a base do princípio coletivista, sob o regime socialista. No processo do cumprimento da causa socialista, nosso Partido, concedendo prioridade à transformação do homem e do trabalho ideológico, armou com firmeza as massas populares com a Ideia Juche e impulsionou com energia o trabalho de preparar toda a sociedade com a consciência revolucionária da classe trabalhadora. Como resultado, foram produzidas mudanças radicais na vida socioeconômica de nosso povo e seus traços político-espirituais. Nosso povo é um povo revolucionário, educado, formado e preparado na construção da Pátria socialista, sob a direção do Partido e do Líder, infinitamente fiel a eles, um povo excelente. Hoje em nossa sociedade as massas populares, unidas com um só ideal e vontade em torno do Partido e do Líder, constituem poderosas forças impulsionadoras da construção socialista.

Há de lembrar que no nosso país ainda existe a diferença entre a classe trabalhadora e os camponeses cooperativados, e não podemos considerar que foi cumprido totalmente o trabalho de mobilização dos intelectuais com a consciência revolucionária da classe trabalhadora. A classe operária segue sendo o destaque avançado em nossa sociedade e possui uma consciência classista, espírito coletivista e a disposição revolucionária mais elevada que de outros trabalhadores.

Mais ainda estão os da indústria, ramo principal da economia nacional. Especialmente os trabalhadores da indústria básica e da guerra desempenham um papel muito importante na revolução e em sua construção. Por isso o nosso Partido aprecia a classe trabalhadora e sempre presta profunda atenção ao elevar sua consciência revolucionária e incrementar o seu papel.

Ao aplicar a política do Songun, nosso Partido definiu como força principal da revolução não somente a classe operária, mas junto a ela, o Exército Popular, partindo de um novo critério e um novo conceito sobre a matéria e sobre o papel que cumpre o exército revolucionário no processo da revolução e da construção do país.

A questão do tamanho da revolução constitui um dos problemas fundamentais que apresentam no desenvolvimento do movimento revolucionário mediante o fortalecimento do seu sujeito e o aumento da importância do papel que esse desempenha. Qual classe, líderes ou coletivos da sociedade podem ser a força principal da revolução, depende da posição e o papel que desempenham no processo revolucionário e construtivo, assim como seu espírito revolucionário, organizativo e sua capacidade combativa. Isso não é invariável em qualquer tempo, sociedade ou revolução, nem se resolve unicamente sobre a base das relações de classes. Portanto, considerar a classe trabalhadora como a força principal da revolução em qualquer tempo e lugar é uma expressão de critério dogmático sobre a teoria antecendente e resulta errônea desde o ponto de vista do princípio.

Nosso Partido, sem restringir por nenhuma teoria e fórmula existentes e se opondo resultamente a toda classe de atitude dogmática e visões revisionistas da teoria anterior, fortaleceu o Exército e elevou seu papel, conforme a mudança da situação e a demanda do desenvolvimento da revolução e conduz assim a revolução e a construção pelo caminho da vitória.

O nosso Partido apresenta o Exército Popular como a força principal da revolução e sendo isso um requerimento inevitável no cumprimento da causa revolucionária do Juche, tanto desse ponto de vista da posição e o papel que desempenha o Exército Popular na revolução, como desde o caráter revolucionário e sua capacidade combativa.

Na atualidade o destaque revolucionário que defende a via respiratória número um de nossa revolução é o Exército Popular. Este está defendendo com as armas e suas vidas o Partido e a revolução, a Pátria e o povo, enfrentando diretamente o poderoso inimigo imperialista. Sobre a baioneta do Exército Popular descansam a paz e o socialismo, além da boa vida de altos valores do nosso povo. Essa é a sublime missão do Exército Popular, seu pesado, porém glorioso dever revolucionário, que nem a classe trabalhadora nem outro coletivo social podem cumprir.

O Exército Popular é o coletivo mais revolucionário, mais combativo e mais poderoso na nossa sociedade. Não existe grupo mais poderoso que ele e no espírito revolucionário e organizativo a capacidade combativa.

Além do mais, é o mais forte enquanto a ideia e a convicção e é infinitamente fiel ao Partido e à revolução. São filas combativas bem organizadas. Defende com firmeza o Partido e o Líder, executa da mesma maneira a política do Partido e está disposto a sacrificar sua vida sem oscilação por cumprir a causa da organização política, a causa do socialismo.

Seus oficiais e soldados, na qualidade de combatentes avançados que defendem com as armas a Pátria e a revolução, amam fervorosamente mais que ninguém o seu país, têm o firme espírito de defender o socialismo, guardam um ódio implcável aos imperialistas e outros inimigos de classe e lutam com todas as garras contra eles. Formam um pelotão revolucionário cheio de firmes convicções revolucionárias, não desistindo nunca de suas posturas combativas. O Exército Popular possui um espírito coletivista mais elevado que qualquer outro coletivo da sociedade em seu sentido de organização, disciplina e sua forte união. Todo o Exército está unido como um só homem em torno ao Comandante Supremo e se move ao mesmo tempo, segundo suas ordens e direções; todos seus serviços e atividades se organizam e efetuam segundo os requisitos da disciplina e as regras militares. O princípio coletivista, no sentido da organização e disciplina, constitui a vida do Exército Popular e sua forma de existência.