1/10

"Diversão com dinheiro: eleições presidenciais nos EUA"


Nos Estados Unidos, nas vésperas das eleições presidenciais, se desenvolve uma árdua competição de consumo de dinheiro, indispensável na campanha eleitoral. Nos últimos anos, foi incrementado sucessivamente a quantia máxima limitada da contribuição de fundos políticos, pela decisão da Corte Suprema Federal dos Estados Unidos. Isto promove a “diversão com dinheiro” dos ricos. No país norte-americano, somente os endinheirados pode gozar livremente do direito ao voto. Nesta sociedade que disse ao público que o “dinheiro serve de nutriente da política”, não podem ser políticos as pessoas que não o possui. Portanto, as eleições dos Estados Unidos são as do dinheiro. Obama, que foi candidato do Partido Democrata nas eleições presidenciais de 2008, gastou aproximadamente 640 milhões de dólares, e nas eleições de 2010, um bilhão de dólares, aproximadamente. Um meio de comunicação estadunidense estimou que chegará a 10 bilhões de dólares a soma total para as eleições presidenciais deste ano. Os três candidatos à presidência arrecadaram 480 milhões de dólares a partir do último mês de março. O outro candidato democrata chocou o povo ao arrecadar alguns milhões de dólares somente em poucas horas. A vitória e a derrota das eleições presidenciais dos Estados Unid