RPDC denuncia objetivos de alvoroço bélico dos EUA


Os Estados Unidos desenvolvem junto com o Japão os exercícios militares marítimos de grande envergadura, mobilizando o porta-aviões Ronald Reagan e outros navios ultramodernos. O comando do exército estadunidense na região do Pacífico descreve este simulacro como treinamento anual para defender a paz e a estabilidade, o que não passa de um método retórico para ocultar sua natureza agressiva.

Estados Unidos não deseja nem tolera a paz e a estabilidade da Península Coreana e do resto da Ásia, por que a estratégia de hegemonia mundial estadunidense necessita do perigo de guerra e da situação instável na região.

Os EUA necessitam da situação instável para a manutenção do pretexto para a presença de suas enormes forças armadas agressoras e bases militares espalhadas por todas as partes do mundo sob o rótulo da “defesa da paz” e incrementar a formação do cerco militar sobre seus potenciais rivais. Por esta razão, desenvolve todos os dias e meses os exercícios bélicos de toda índole na Península Coreana e no seu entorno, ainda que se amplie o rechaço e protesto de todo o mundo.

No período do recente encontro de familiares e parentes separados do Norte e do Sul da Coreia, o império desenvolveu com os belicistas do círculo militar sul-coreano as simulações anti-RPDC mobilizando o grupo de ataque do porta-aviões Ronald Reagan, de forma que acirrou o ambiente do encontro e agravou a situação.


O atual exercício conjunto entre Estados Unidos e Japão também é o alvoroço bélico premeditado para criar a tensão permanente na Península Coreana e na região para assim buscar o pretexto da intervenção política e militar e preparar a oportunidade para a agressão. Há pouco, um funcionário do Departamento de Defesa dos EUA, disse que a “maior ameaça da aliança de segurança EUA-Japão é a Coreia do Norte”, enquanto o comando do exército estadunidense na região do Pacífico anunciou que o exercício é para fazer frente à emergência na região. Tais palavras evidenciam que esta atividade tem como alvo a RPDC e as potências periféricas.

Os Estados Unidos é o perturbador da paz e da estabilidade da Península Coreana e no resto da região. Seria um grande equívoco os Estados Unidos pensar que poderia controlar o destino da Península Coreana e da região com suas brutais manobras de guerra de agressão.

É inevitável que as manobras de perturbação da paz tropecem diante das fortes contramedidas de autodefesa. A RPDC seguirá tomando as justas medidas para defender a soberania nacional, a paz e a estabilidade da região frente as manobras bélicas estadunidenses.

da Korean Central News Agency (KCNA)

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube