top of page
partido-dos-panteras-negras.png
  • Foto do escritorNOVACULTURA.info

"Apoiar a luta de libertação do povo do Sri Lanka"



A Liga Internacional das Lutas dos Povos (ILPS) é solidária com o povo do Sri Lanka em seus protestos militantes para acabar com a dinastia tirânica de Rajapaksa. Aguardamos o avanço de sua luta para lidar com o fardo da dívida de longa data, o problema agrário, a dependência de importações e a opressão do povo, incluindo a minoria tâmil. Esperamos que possam realmente alcançar a unidade nacional, a emancipação social e a justiça.


O Sri Lanka tem estado em um domínio econômico cada vez mais apertado do capitalismo financeiro monopolista desde que foi reconhecido pelos Estados Unidos como Ceilão independente sob domínio britânico após a Segunda Guerra Mundial. Foi colocado sob acordos de empréstimo do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI) desde 1950. Depois que se tornou uma república em 1972, e a brutal repressão de uma guerra civil de 1983 a 2009, incluindo insurreições em 1971 e 1987-89, o país está mergulhado ainda mais no atoleiro da subserviência da dívida externa.


A dinastia Rajapaksa apenas alimentou a crescente miséria, descontentamento e raiva do povo. Da produção autossuficiente de arroz e pescado para alimentar seu povo, o país passou a não poder mais alimentar seu próprio povo. Dezenas de milhares dos Tigres de Libertação de Tamil Eelam (LTTE) – conhecidos como Tigres Tamil – perderam suas vidas e até 100 mil desapareceram à força. As terras agrícolas foram ocupadas à força pelos militares. Os pescadores estão desempregados. Mais de um milhão procurou emprego no exterior como trabalhadores migrantes.


A dívida externa do Sri Lanka aumentou de US$ 11,3 bilhões em 2005 para US$ 56,3 bilhões em 2020. Em abril de 2022, o governo anunciou que não poderia mais pagar sua dívida externa (US$ 38,6 bilhões segundo o FMI) com cerca de US$ 8,6 bilhões em pagamentos com vencimento em 2022. É o primeiro estado da região Ásia-Pacífico a entrar em default soberano no século XXI.


A política de flexibilização quantitativa feita pelos bancos dos EUA após o colapso financeiro global de 2008 exportou bolhas de dívida para países em desenvolvimento, incluindo o Sri Lanka. Os bancos centrais ocidentais favoreceram uma política monetária de flexibilização quantitativa, criando baixas taxas de juros globais. Isso facilitou a farra de empréstimos e gastos de Rajapaksa. A redução da flexibilização quantitativa nos EUA após 2013 aumentou acentuadamente os custos de empréstimos do Sri Lanka. As taxas de juros dobraram, cerca de 10% para empréstimos de curto prazo e taxas de longo prazo de 7-8% para 11-13%.


Os credores estrangeiros foram rápidos em culpar as políticas domésticas pela crise sem apontar as falhas estruturais agravadas pelas políticas imperialistas.


Eles atribuem a crise alimentar à proibição local de fertilizantes agroquímicos e agricultura orgânica. Eles culpam os cortes de impostos e os gastos deficitários do governo. Eles culpam o Sri Lanka por perder para os credores chineses um projeto de portos de US$ 361 milhões, enquanto devia bilhões de dólares aos bancos ocidentais. Foram as agências de classificação que baixaram as classificações de crédito do Sri Lanka.


O Sri Lanka não podia mais pagar por sua comida e combustível. As escolas não têm mais papel. Os hospitais estão carentes de medicamentos que salvam vidas. As reservas cada vez menores em dólares não poderiam simplesmente ser cobertas por mais empréstimos, turismo e remessas de trabalhadores migrantes.


A economia atrasada é fortemente dependente do comércio exterior e dos investimentos, com maiores pagamentos de importação e exportações reduzidas, em meio a uma desaceleração global após décadas de políticas neoliberais fracassadas.


Os EUA também reconhecem a importância estratégica do Sri Lanka na região do Indo-Pacífico. Do ponto de vista estratégico naval, o Sri Lanka traz mais vantagens em termos de distâncias a pontos estratégicos ao longo do litoral e das vias marítimas. No passado, o Sri Lanka concedeu permissão às forças navais dos EUA para usar o porto de Trincomalee, já que a assistência dos EUA ao país totalizou US$ 2 bilhões.


Enquanto milhares protestam na capital do país, Colombo, ocupando escritórios e residências do governo, o presidente Gotabaya Rajapaksa renunciou em 22 de julho deste ano, mas a família ainda domina os 113 parlamentares no parlamento que escolherão o próximo presidente. Ficou em silêncio na parte norte e leste da ilha, enquanto os Tigres Tamil continuam exigindo justiça pelos crimes de guerra e atrocidades do governo.


A ILPS apela à comunidade internacional para que apoie a exigência de cancelamento incondicional de todas as dívidas e estenda a sua solidariedade ao povo do Sri Lanka enquanto luta pela liberdade, democracia e justiça.



Por Len Cooper, Presidente da Liga Internacional das Lutas dos Povos (ILPS)


3 de agosto de 2022

0 comentário
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Telegram
  • Whatsapp
PROMOÇÃO-MENSAL-jun24.png
capa29 miniatura.jpg