Armamento das Massas Revolucionárias (Giap)

INTRODUÇÃO

O nosso heroico povo tem uma tradição de luta intrépida contra o agressor estrangeiro. Desde muito cedo, há milênios, acumulou rica ex­periência na insurreição de todo o povo e na guerra do povo contra e­xércitos agressores muitas vezes mais poderosos que o nosso. Desde o nascimento da classe operária vietnamita, sob a direção do nosso Partido, e com objetivos revolucionários de independência, democracia e socialismo, nosso povo exaltou esta longa tradição de luta e levou a insurreição geral e a guerra do povo a um nível muito elevado. Venceu o fascismo japonês, o imperialismo francês, colocou em cheque o imperialismo ianque e está em vias de o vencer; enriqueceu sua história com novas pá­gi­nas gloriosas, e deu digna contribuição para a obra revolucionária dos povos da Indochina, do Sudeste asiático e do mundo.

 

No combate vitorioso contra o imperialismo e o colonialismo, ferozes forças de agressão do século XX, o Vietnã tornou-se símbolo da indomável vontade de luta, de inteligência criadora, do talento militar na luta pela salvação nacional, do poder invencível da guerra do povo. A guerra do povo vietnamita tornou-se o acontecimento, a história lendária do século XX. Nosso povo demonstrou uma verdade explosiva: na época atual, um povo, mesmo que pequeno, com território pouco extenso, população pouco numerosa e economia pouco desenvolvida, se está u­nido e resoluto, se possui uma linha revolucionária justa, se sabe aplicar de modo criador os princípios marxista-leninistas da insurreição de todo o povo e da guerra do povo nas condições adequadas e se, além disso, se utiliza a ajuda do campo socialista e da humanidade progressista, é ca­paz de vencer um agressor várias vezes mais forte, incluindo o chefe de fila do imperialismo, o imperialismo estadunidense.

 

Para definir a linha correta e criadora da revolução e da guerra re­volucionária do Vietnã, nosso Partido descobriu e dominou muito rápido as leis do desenvolvimento da nossa sociedade e as leis da guerra re­volucionária e da violência revolucionária em nosso país. O conteúdo es­sencial da “lei da violência revolucionária” é a combinação das forças po­líticas com as forças armadas, da luta política com a luta armada, da insurreição com a guerra revolucionária. No decurso do processo de direção da insurreição por todo o povo e da guerra do povo, nosso Partido soube criar o “bloco de união de todo o povo” na base da aliança operário-camponesa dirigida pela classe operária, organizou “forças po­líticas” de largas massas e edificou poderosas forças armadas compreendendo as “forças armadas de massas e o exército revolucionário”. Nosso povo a­plicou de modo criador diferentes formas de luta, combinando a ofensiva com a sublevação e aplicando uma estratégia ofensiva nas três zonas estratégicas, para aniquilar o inimigo, conquistar e manter a soberania, derrubar o jugo do colonialismo e dos seus lacaios e derrotar a guerra de a­gressão do imperialismo.

 

Abordaremos nesta obra o problema da “edificação das forças armadas populares na insurreição e na guerra revolucionária no Vietnã”, que constitui uma das questões essenciais da linha militar do Partido.

 

Foi na insurreição de todo o povo, na guerra do povo e na edificação da defesa nacional pelo povo sob a direção do Partido, que nossas “forças armadas populares” nasceram, amadureceram e venceram brilhantemente os adversários. Todos os patriotas vietnamitas se ergueram contra o inimigo para salvar o país. Levamos a um nível superior a tradição nacional de “todo o povo é soldado”, organizando ao mesmo tempo o exército popular e as numerosas forças armadas de massas, que combatem o inimigo em todo lugar onde se encontre. Temos agora milhões de combatentes nas organizações militares de massas e centenas de milhares de combatentes no exército popular, dotados de diversas armas – rudimentares, modernas e menos modernas – que se batem duramente, com coragem e habilidade. Combatem sem tréguas e com abnegação pe­la independência, pela liberdade, pela reunificação da pátria e pelo socialismo, contra o chefe de fila do imperialismo na época atual, o imperialismo estadunidense agressor.

 

Recuando no tempo e examinando o processo de maturação rá­pida e as etapas marcadas por feitos brilhantes do nosso povo, em particular das forças armadas, em sua luta contra o fascismo japonês, contra o colonialismo francês e contra o imperialismo estadunidense, podemos a­firmar que as forças da insurreição de todo o povo e da guerra do povo, englobando forças políticas e forças armadas, constituem um êxito do nosso Partido na organização e edificação do poder global das massas revolucionárias e da violência revolucionária. Em outras palavras, nossas forças armadas, englobando forças armadas de massas e exército revolucionário, organizadas e dirigidas pelo Partido, constituem um êxito da organização das forças militares do nosso povo, um pequeno povo que venceu, sucessivamente, três grandes imperialismos de nossa época.

 

Tal êxito se deve ao fato do nosso Partido ter assimilado corretamente os princípios do marxismo-leninismo referentes à organização militar na insurreição armada e na guerra revolucionária, ter perpetuado e enriquecido nossas tradições, na qual o combate nacional foi sempre levado a cabo por todo o país, bem como a experiência adquirida no decurso de séculos na organização das forças armadas do nosso povo nas insurreições e guerras e ter, enfim, aproveitado, com espírito crítico, as experiências dos povos do mundo. Nosso Partido aplicou com espírito criador estes princípios e experiências à prática da insurreição e da guerra no nosso país, quer dizer, às condições de um pequeno país alvo das poderosas forças de agressão do imperialismo e do colonialismo, para atingir os objetivos da revolução que tinha fixado.

 

Situando-se a partir do ponto de vista da violência revolucionária e da guerra do povo, nosso Partido preconizou o armamento das grandes massas paralelamente à edificação de um poderoso Exército popular, considerando as forças armadas de massas como a base do exército popular e este como sua ossatura, na insurreição armada e na guerra revolucionária, bem como na defesa nacional por todo o povo, na guerra de libertação nacional, assim como na guerra pela defesa da Pátria.

 

Adotando um ponto de vista histórico concreto, nosso Partido, em diferentes épocas da luta revolucionária, tem conduzido com sucesso o armamento das massas e a edificação do exército popular de acordo com as exigências da revolução em cada período e com base nas condições históricas concretas em matéria política, social e econômica.

 

No momento atual, a administração Nixon, apesar de pesados reveses, obstina-se em prosseguir a “vietnamização da guerra” e na intensificação das hostilidades contra toda a Indochina. Dominando as leis da guerra revolucionária no novo período, a população do Sul intensifica a luta armada, bem como a luta política, combina a ofensiva e as sublevações nas três zonas estratégicas. Está determinada, junto aos povos irmãos do Camboja e do Laos, a aniquilar a estratégia de “vietnamização”, bem como a doutrina de Nixon, no teatro de operações indochinês.

 

Mais do que nunca, é preciso que, paralelamente ao desenvolvimento das forças políticas e à luta política, se intensifique a edificação das forças armadas e da luta armada, combinando-as estreitamente com outros aspectos da luta, para vencer totalmente os agressores estadunidenses e os seus lacaios, libertar o Sul, defender o Norte, progredir na unificação do país e cumprir nossas obrigações internacionais. Desdobrando esforços para conduzir a bom termo esta tarefa primordial da nossa revolução, devemos preparar as condições e definir a orientação para a edificação a longo prazo das forças armadas populares e para a defesa nacional por todo o povo, para defender solidamente nossa pátria, pôr em cheque toda eventual guerra de agressão fomentada não importa por qual inimigo, seja qual for a importância das suas tropas e a qualidade do seu equipamento. Devemos conduzir a bom termo o armamento das massas revolucionárias e a edificação do exército popular para cumprir as tarefas imediatas e futuras do nosso povo.

 

Para tal, temos que aprofundar, primeiramente, os princípios do marxismo-leninismo sobre a organização militar do proletariado, analisar as nossas experiências passadas e as tradições nacionais na organização das forças armadas e, em particular, empreender passo a passo um exame crítico das experiências acumuladas por nosso Partido em 40 anos de edificação do exército e de armamento das massas.

 

A teoria e a prática do armamento das massas e da edificação do exército continuam hoje a ser problema de viva atualidade para os povos em luta pela independência, pela democracia e pelo socialismo, face à política de violência e de guerra feroz do imperialismo, tendo como chefe de fila o imperialismo estadunidense, face ao rápido desenvolvimento mundial das armas e meios de guerra cada vez mais modernos.

VO NGUYEN GIAP

ARMAMENTO DAS MASSAS REVOLUCIONÁRIAS, EDIFICAÇÃO DO EXÉRCITO DO POVO
Obra importante do revolucionário vietnamita Vo Nguyen Giap, que transpassa a tradição de luta do heroico povo do Vietnã contra o agressor estrangeiro durante séculos. O autor, considerado por muito o maior general que já existiu, demonstra, passando pelas teses marxista-leninistas de organização militar das massas desenvolvidas por Marx, Engels e Lenin, até a tradição vietnamita de guerra de todo o povo contra os invasores travadas ao longo das centenas de anos de sua heroica história, os fundamentos que devem guiar o armamento das massas revolucionárias e a edificação do exército do povo, na luta pela construção da nova sociedade socialista.

BAIXE O PDF DO LIVRO

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube