“EUA e o Ocidente são os culpados pelo problema dos refugiados”

20/06/2017

Por motivo do 20 de junho, Dia Mundial dos Refugiados, o instituto de direitos humanos da Academia de Ciências Sociais da RPDC publicou uma carta que revela a causa da geração e agravamento do maior problema da história.

 

Hoje em dia o número de refugiados supera 65 milhões em escala internacional, indica o documento e continua:

 

O surgimento destes e a garantia dos seus direitos são um dos mais sérios problemas que enfrenta a sociedade internacional na esfera sociopolítica e humanitária.

 

A causa do incidente dos refugiados sem precedentes reside na política exterior de caráter agressivo e rapace dos EUA e dos países ocidentais.

 

Todas as políticas exteriores destes se caracterizam pelo modo de pensar imperialista que consiste em depreciar e reprimir outras nações e satisfazer seus interesses sacrificando os de outros, a “lógica da força” tal qual a lei da selva que busca dominar todos os países e nações do mundo e a concepção de valor baseada no ouro todo poderoso.

 

Devido a estas políticas reacionários se viola em todo canto do mundo a soberania dos Estados, se cria extremado distúrbio político e desordem e se infringem flagrantemente os direitos humanos.

 

O incidente dos refugiados, que no alvorecer do nosso século, coloca a humanidade em grande inquietude e crise, é o produto inevitável da “guerra antiterrorista” que o império estadunidense expande a todo o mundo em cumplicidade dos países ocidentais apresentando-a como uma de suas mais importantes políticas exteriores.

 

Está claro que enquanto persista a agressiva e saqueadora “guerra antiterrorista” dos EUA encaminhada a tomar a hegemonia mundial, aumentará o número dos refugiados nos países e regiões alvos desta disputa.

 

Ademais, a questão dos refugiados está relacionado diretamente com a “revolução colorida” que promove os EUA e o Ocidente.

 

A “revolução colorida” constitui uma das principais políticas exteriores destes cujo objetivo radica em subjugar e colonizar a todos os países e nações sob o vistoso rótulo de “liberdade” e “democracia”.

 

Devido a penetração da ideologia e cultura reacionárias dos EUA e dos países ocidentais e sua ajuda financeira às forças governamentais, se produziram em vários países da Europa Oriental e Ásia a “a revolução rosa”, a “laranja” e a “de tulipa”.

 

Como resultado, se trocaram os poderes e desataram conflitos e sedições que produziram o êxodo de imigrantes.

 

Os violadores flagrantes de direitos humanos dos refugiados são precisamente os EUA e os países ocidentais.

 

Recentemente, a administração norte-americana publicou a ordem executiva de imigração que proíbe a entrada no país dos refugiados durante 120 dias e estipula o tratamento discriminado aos muçulmanos do Oriente Médio e África.

 

Em virtude desta, muitos refugiados africanos foram devolvidos pela força aos países de origem sendo acorrentados como criminosos.

 

Os países ocidentais também tiram sua máscara de “cavaleiros dos direitos humanos”.

 

Bloquearam as fronteiras duplicando ou triplicando cercas de arame farpado para impedir a entrada de refugiados e devolvem aos que não puderam passar na avaliação de imigração.

 

Para tanto, alguns países prenderam imigrantes em containers de carga durante a tramitação e aplicando a lei não liberá-los como se fossem delinquentes no caso de que não decidam mudar o seu destino para outros países.

 

O bloqueio de fronteiras e o acosso internacional criam a situação inumana na qual um grande contingente de refugiados se encontra exprimido nas zonas fronteiriças vivendo na intempérie.

 

Sem evitar sua responsabilidade, os EUA e o Ocidente devem submeter-se ao castigo merecido no tribunal internacional de Direitos Humanos.

 

Da KCNA (Korean Central News Agency)

 

Please reload

Leia também...

Portugal do século XVI e os aspectos feudais do colonialismo português no Brasil

10/08/2020

Katayama: "Um apelo ao proletariado de todo o mundo!"

10/08/2020

Mao: "Reformemos Nosso Estudo"

07/08/2020

"A revolução de outubro na Rússia e o movimento operário na Itália"

07/08/2020

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube