"Sobre a Independência do Timor-Leste"

20/05/2020

 

Em um dia como hoje na história, o Timor-Leste, após séculos de ocupação colonial e décadas de genocídio, conquistou a sua independência graças a heroica resistência conduzida por uma guerrilha revolucionária socialista e a pressão internacional.

 

Desde o século 16 o Timor-Leste era uma colônia de Portugal, com a parte oriental da ilha sendo colonizada pelos holandeses como uma parte do que se tornaria a Indonésia. Após a Revolução dos Cravos em 1974, Portugal efetivamente abandonou sua colônia no Timor e após uma breve guerra civil, a Frente Revolucionária Marxista-Leninista pela Independência do Timor-Leste (FRETILIN) declara unilateralmente a independência do país em 1975.

 

Temendo a possibilidade de um Estado socialista no arquipélago, a ditadura militar de direita apoiada pelos Estados Unidos na Indonésia iniciou uma invasão no Timor-Leste, que se tornou uma brutal e devastadora ocupação. Essa ocupação foi, de acordo com o consenso acadêmico, um genocídio, na medida em que levou a morte mais de 20% da população do país, por conta dos assassinatos em massa e da imposição da fome.

 

Inspirados por Mao Zedong, Amilcar Cabral e a resistência anti-imperialista de Cuba contra os Estados Unidos, os líderes do FRETILIN conduziram uma campanha de guerrilha durante a totalidade da ocupação militar, conduzida pelo seu braço armado, as Forças Armadas de Libertação Nacional do Timor-Leste (FALINTIL), que seguiu a estratégia da Guerra Popular Prolongada. O movimento de resistência possuía apoio das massas populares e onde podia estabelecia zonas libertas, nas quais buscava erradicar todas as formas de inequidade e opressão, bem como organizar a produção agrícola, a saúde e a educação do povo.

 

Após um levante de massas na Indonésia em 1998 forçar a renúncia do ditador Suharto, um acordo conduzido pelas Nações Unidas entre a Indonésia e Portugal levou a condução de um referendo, que resultou em uma votação expressiva a favor da independência.

 

Na medida em que a Indonésia renunciava ao poder e suas forças finalmente deixavam o território do Timor, soldados e milícias paramilitares pró-Indonésia massacraram milhares de civis e queimaram até 80% dos edifícios do país, fato que ocasionou o envio de forças militares chanceladas pelas Nações Unidas para manter a ordem.

 

Em 20 de maio de 2002, o Timor-Leste se tornou o primeiro país Estado independente do século 21.

 

*Texto originalmente publicado na página do Instagram do Redfish.

Please reload

Leia também...

"Coincidências" por detrás da explosão no Líbano

11/08/2020

Portugal do século XVI e os aspectos feudais do colonialismo português no Brasil

10/08/2020

Katayama: "Um apelo ao proletariado de todo o mundo!"

10/08/2020

Mao: "Reformemos Nosso Estudo"

07/08/2020

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube