"Notas sobre a conversa entre Kim Il Sung e Stalin"

18/03/2019

 

A reunião entre a delegação de alto nível da República Popular Democrática da Coreia liderada pelo Primeiro Ministro Kim Il Sung e governantes da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, liderada pelo Secretário-Geral do Partido Comunista da União Soviética, Josef Stalin, foi realizada no dia 5 de março de 1949 na URSS, das 20:00 às 21:15 no horário local.

Também estiveram presentes do lado coreano: Pak Hon Yong (Ministro das Relações Exteriores), Hong Myong Hui (deputado à APS e escritor), Jong Jun Thaek, Jang Si U, Paek Nam Un (Ministro do Comércio), Kim Jong Ju, o embaixador da RPDC na URSS, Ju Yong Ha (Vice Primeiro Ministro) e Mun Il (tradutor)

Do lado soviético: A.Ia. Vyshinsky (Vice Ministro das Relações Exteriores), T.F. Shtykov (embaixador da URSS na RPDC), Kim I.M. (tradutor)

Stalin pergunta aos membros da delegação como foi a viagem deles - foi difícil a viagem?

Kim Il Sung agradece ao governo soviético por sua atenção a eles e diz que eles chegaram em segurança.

Stalin pergunta como eles viajaram - por via férrea ou por via aérea. Kim Il Sung responde que eles vieram por via férrea.

Stalin pergunta se ficaram doentes no caminho. Kim Il Sung responde que eles estão saudáveis.

Stalin sugere que eles façam negócios e pergunta quais serão as questões.

Kim Il Sung diz que após a libertação da Coreia, o governo e o exército soviético prestaram ajuda à Coreia em matéria de desenvolvimento econômico, em matéria de desenvolvimento ao longo do caminho democrático, e que o governo coreano entende que, sem mais ajuda econômica e cultural da União Soviética, será difícil para a Coreia do Norte restaurar e desenvolver sua economia e cultura nacional. "A assistência da União Soviética é necessária para o desenvolvimento da economia e cultura coreana."

Stalin pergunta que tipo de ajuda.

Kim Il Sung responde - econômica e cultural. Stalin pergunta o que é precisamente necessário.
Kim Il Sung diz que eles confirmaram um plano bienal para a restauração e desenvolvimento da economia nacional. Disse que precisam de assistência econômica para cumprir este plano e fortalecer a fundação da economia. Eles precisam de máquinas, equipamentos e peças de reposição para a indústria, comunicações, transporte e também para outros ramos da economia nacional. Eles também precisam de assistência técnica: envio especialistas soviéticos para a Coreia, elaborar planos para a construção de novos objetos (fábricas e plantas), realizar trabalhos exploratórios geológicos.

Stalin pergunta que tipo de objetos?

Kim responde, por exemplo, as estruturas de irrigação em Anju, cuja construção eles agora avançaram, mas não têm especialistas suficientes, e também a restauração e a conclusão da usina metalúrgica de Seisin [Chongjin], o reparo da usina hidrelétrica de Sufun e outros.

Stalin pergunta se há minério de ferro na Coreia.

Kim responde que há muito minério de ferro na Coreia.

Stalin diz que é possível prestar essa assistência, e também é possível fornecer especialistas.

Kim indica que até agora o comércio entre os dois países foi conduzido com sucesso, mas no futuro, para o cumprimento do plano bienal, eles precisam importar equipamentos da União Soviética, como motores a vapor, locomotivas elétricas, peças de reposição e equipamentos para a indústria têxtil. Mas as exportações da Coreia não cobrirão as importações, portanto precisam de crédito do governo soviético.

Stalin diz "Tudo bem" e pergunta em que quantidade eles precisam de crédito. Kim responde de 40 a 50 milhões de dólares americanos.

Cde. Stalin - bem, o que mais?

Kim Il Sung responde que, para transporte conveniente e para fortalecer os laços econômicos entre os países, é necessário construir uma ferrovia de Aoji para Kraskino.

Stalin pergunta onde está e quantos quilômetros é a distância dessa ferrovia.

Shtykov relata que esta ferrovia deve ser construída a partir da estação em Kraskino (território soviético) para a estação em Aoji (território da Coreia) a uma distância total de 58 km, dos quais 10 km estão no território da Coreia e 48 km estão no território da URSS.

Stalin diz que vai pensar sobre isso e pergunta se há mais algumas perguntas. Kim Il Sung indica a necessidade de estabelecer comunicações aéreas entre a Coreia e URSS e diz que eles ainda não têm seus próprios aviões de transporte e nenhum piloto profissional, mas que uma ligação aérea é necessária.

Stalin pergunta se não há aviões soviéticos na Coreia.

Kim responde que, após a retirada das tropas soviéticas, as unidades e aviões da aviação soviética não foram deixadas na Coreia. Ele indica que eles agora começaram a preparação de seus próprios pilotos.

Stalin pergunta se eles têm seus próprios aviões.

Shtykov relata que eles têm seu próprio regimento de treinamento de aviação e têm treinamento e aviões militares, mas eles não têm aviões de transporte.

Stalin pergunta quantos aviões eles têm.

Shtykov responde que eles têm 48 aviões militares e 19 de treinamento.

Stalin indica que agora tem menos aviões em um regimento, que reduziram o número de aviões por regimento, e pergunta que outras perguntas eles têm.

Kim Il Sung indica a necessidade de laços culturais com a URSS. "Espera-se, por exemplo, que professores soviéticos possam ser enviados à Coreia para trabalhar em instituições coreanas de ensino superior, que estudantes coreanos possam ser enviados à União Soviética para estudo, que especialistas coreanos possam ser enviados à URSS para trabalhos práticos em tecnologia de produção, que programas de ensino e literatura para instituições de ensino superior e escolas técnicas possam ser enviados para a Coreia e que haja intercâmbio cultural e artístico."

Stalin pergunta se há um acordo com a União Soviética sobre essas questões.

Kim indica que antes (no governo provisório) havia tal acordo. Mas, agora, após a formação do governo, não há tal acordo.

Stalin indica que é possível fazer isso, mas [enviar] especialistas e estudantes será difícil, já que eles não conhecem a língua.

Kim Il Sung diz que a instrução em russo foi organizada em todas as escolas e instituições de ensino superior na Coreia. "É necessário enviar professores soviéticos para a Coreia."

 Stalin diz que será difícil para eles por não conhecerem a língua coreana.

Kim Il Sung indica que não há um número suficiente de professores qualificados na Coreia, que alguns poucos professores soviéticos já estão trabalhando na Coreia e que eles têm tradutores, através dos quais é possível realizar um trabalho pedagógico.

Stalin responde que, sendo assim, é possível enviar professores.

Kim diz que é necessário concluir um acordo sobre todas as questões acima indicadas, especificamente sobre a cooperação econômica e a ampliação do comércio, um acordo comercial, um acordo sobre assistência técnica e sobre laços culturais.

Stalin pergunta se Kim pensou em crédito ou em um empréstimo.

Kim responde que ele pensou sobre isso e que eles querem receber crédito.

Stalin responde que é possível fazer isso e pergunta em que período deseja receber crédito.

Kim responde que se o crédito for dado no valor de 50 milhões de dólares, ele será pago de 1951 até 1954.

Stalin pergunta quando o crédito será pago.

Kim responde que [será pago] a partir de 1951 a 1954.

Stalin pergunta como eles querem receber crédito, de uma só vez ou em parcelas ao longo de 1949, 1950, 1951.

Kim responde que eles desejam receber crédito em 1949. Se isso não for possível por algum motivo, então no decorrer de 1949 e no primeiro semestre de 1950.

Stalin indica que não pode fazer isso. "Vocês precisam de máquinas, mas as máquinas devem ser encomendadas e fabricadas. Isso requer tempo."

Kim indica que eles precisam de automóveis, motores a vapor, equipamentos para a indústria têxtil e petróleo, e que se espera que eles recebam isso durante este ano.

Stalin responde que em um ano não é possível fazer isso e pergunta em que moeda eles querem receber crédito.

Kim responde em dólares americanos.

Stalin responde que "Nós não calculamos agora em dólares mas calculamos em rublos e indicamos que logo um dólar será igual a 5 rublos."

Stalin propôs a apresentação de equipamentos e máquinas em crédito ao longo de três anos em parcelas iguais e indicou que durante esses três anos eles não pagarão o crédito, mas no decorrer dos três anos seguintes devem produzir pagamento, também em parcelas iguais. Por exemplo: o crédito é dado em 1949, 1950, 1951 e talvez em 1952, e o pagamento do crédito começará a partir do quarto ano em partes iguais. Desta forma, o crédito será concedido ao longo de 6 anos.

"Prestamos assistência aos países de democracia popular de acordo com esses princípios. Tomamos as seguintes porcentagens para o crédito recebido: 2% ao ano, se o Estado se recuperou [da guerra] e 1% se o Estado ainda não se recuperou. Além disso, o comércio próximo de bens entre os países continuará sem crédito. Este pedido será estabelecido por acordo."

Stalin perguntou se eles têm pessoas que possam começar a redigir esses acordos.

Kim responde que eles têm essas pessoas.

Stalin indica que podem dar crédito no valor de 200 milhões de rublos, ou seja, 40 milhões de dólares. "Daríamos mais, mas agora não podemos."

Kim diz que eles concordam.

Stalin pergunta se eles têm algum automóvel.

Kim responde que eles ainda não têm seus próprios carros e que eles gostariam de adquiri-los na União Soviética.

Stalin diz que é possível fornecer carros. "É possível também fornecer aviões."

Shtykov diz que o governo coreano quer receber não apenas aviões, mas também ter uma sociedade de aviação compartilhada e construir uma ferrovia.

Stalin responde que é possível fazer isso. "No que diz respeito à construção da ferrovia, revisaremos essa questão, mas não há força de trabalho suficiente na União Soviética para a construção de uma ferrovia", e pergunta se eles têm uma força de trabalho entre os coreanos.

Kim responde que eles têm uma força de trabalho entre os coreanos.

Kim diz que no sul da Coreia ainda há tropas estadunidenses e que as intrigas contra a Coreia do Norte pelos reacionários estão aumentando, que eles têm tropas de infantaria, mas a defesa do mar quase não existe. "A ajuda da União Soviética é necessária nisso."

Stalin pergunta quantas tropas estadunidenses estão na Coreia do Sul. Kim responde que existem até 20.000 homens.

Shtykov - aproximadamente 15-20 mil homens.

Stalin pergunta se existe um exército nacional coreano no sul. Kim responde que existe, o número é de cerca de 60.000 homens.

Stalin pergunta se esse número inclui apenas o exército regular ou também a polícia. Kim responde que inclui apenas o exército regular.

Stalin (brincando) pergunta, e vocês tem medo deles?

Kim - Não, não temos medo, mas gostaríamos de ter unidades navais. Stalin pergunta qual exército é mais forte - norte ou sul.

Pak Hon Yong responde que o exército do norte é mais forte.

Stalin pergunta se há diques secos na Coreia deixados pelos japoneses, por exemplo, em Seisin ou em outros lugares da Coreia.

Kim responde que praticamente não há nenhum.

Shtykov relata que existem apenas alguns pequenos.

Stalin diz que é possível prestar assistência nisto e que a Coreia precisa ter aviões militares.

Stalin pergunta se eles estão se infiltrando no exército sul-coreano.

Pak Hon Yong responde que eles tem infiltrados, mas até agora eles não estão se revelando lá.

Stalin diz que isso é correto, que não é necessário se revelar agora e indica que os sulistas também, aparentemente, estão buscando aderir ao exército do norte e que precisam [exercer] cautela.

Stalin pergunta o que aconteceu ao longo do paralelo 38. "É verdade que vários locais foram tomados pelos sulistas e que eles foram apreendidos em seguida e retomados?"

Kim responde que eles estão levando em conta que os sulistas podem enviar seu próprio povo para o exército [norte-coreano] e que estão tomando as medidas necessárias. Kim relatou que houve um confronto com os sulistas da província de Kangwon no paralelo 38. Sua polícia não estava suficientemente armada na época. "Quando as unidades regulares se aproximaram, os sulistas recuaram."

Stalin pergunta - Eles expulsaram os sulistas ou os prenderam?

Kim responde que, como resultado da batalha, expulsaram os sulistas e os jogaram pela fronteira do país.

Stalin pergunta se eles têm uma escola militar. Kim responde positivamente.

Stalin pergunta se existe uma escola de pilotagem.

Shtykov relata que eles têm um regimento de aviação de treinamento militar.

Stalin lembra  a última vez que dois norte coreanos foram em Moscou, e pergunta para Pak Hon Yong se ele era o segundo.

Pak Hon Yong confirma isso.

Kim diz que eles têm uma escola militar, mas nenhuma academia militar e que entre o corpo de oficiais do exército coreano não há ninguém que tenha concluído uma academia militar. Ele pede permissão para enviar oficiais coreanos para a Academia Militar da URSS para treinamento.

Stalin pergunta se não havia tal permissão anteriormente.

Kim responde que não havia.

Stalin diz que é possível permitir isso.

Kim diz que eles não têm mais perguntas.

Jong Jun Thaek pergunta se será possível enviar especialistas soviéticos para a Coreia e especialistas coreanos para a URSS para treinamento prático em tecnologia de produção.

Stalin responde que eles já falaram sobre essa questão. "Especialistas soviéticos podem ser enviados para a Coreia e especialistas coreanos podem ser recebidos na URSS."

Stalin pergunta onde os coreanos recebem algodão.

Kim responde que eles querem receber algodão da União Soviética. Relatou que no ano passado eles já receberam 3.000 toneladas.

Stalin diz, brincando, que a URSS também quer receber algodão, da Coreia.

Stalin pergunta se eles têm relações comerciais com outros países: com o Japão, a China e as Filipinas.

Kim responde que eles têm tais relações com a China, mas a China está em guerra e, portanto, eles não podem conduzir o comércio regular [com a China].

Stalin pergunta - e com outros países?

Kim responde que eles não negociaram com outros países. Eles negociam com Hong Kong, mas não oficialmente e caso a caso.

Stalin pergunta se não há sociedades comerciais entre seus próprios comerciantes.

Kim Il Sung responde que tal sociedade existe. Esta sociedade conduz o comércio principalmente com Hong Kong, com a cidade de Dalny [Dairen] e com a China.

Stalin diz que é necessário ter tal sociedade, que não há nada de errado com isso. "A burguesia nacional existe; entre a burguesia há, aparentemente, também pessoas boas, é necessário ajudá-las. Deixe-os negociar e entregar mercadorias, não há nada de mal nisso. Eu não tenho mais perguntas."

Stalin, voltando-se para Vyshinsky, pergunta se ele tem perguntas. Vyshinsky responde que ele não tem nenhuma.

Hong Myong Hui agradece ao camarada Stalin pela recepção.

Stalin, por sua vez, agradece a delegação por ter vindo e pela conversa. A conversa durou uma hora e 15 minutos. Shtykov e o tradutor Kim I.M. tomaram notas.

 

O blog "A voz do povo de 1945" achou arquivos que foram recentemente desclassificados dos arquivos dos serviços de segurança da URSS e um deles dá conta de um encontro entre Stalin e Kim Il Sung. Confira a seguir a primeira tradução para o português.

 

Please reload

Leia também...

Stalin: "A Greve Geral Iminente"

14/11/2019

"O papel das mulheres na defesa de Stalingrado"

13/11/2019

Lenin: "Sobre os Sindicatos, o momento atual e os erros de Trotsky"

13/11/2019

URC: "Sobre o Golpe de Estado imperialista na Bolívia"

12/11/2019

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube