"A democracia das massas proletárias está bem!"

17/09/2018

 

A grande revolução cultural proletária da China que agora se desenvolve em profundidade é uma grande revolução e um movimento de massas sem paralelo na história e uma canção retumbante de triunfo do comunismo. As palavras e a música foram compostas por milhões e milhões de pessoas praticando a democracia de massas sob a ditadura do proletariado e guiadas pelo pensamento Mao Tsé-Tung. É por isso que é tão emocionante, impressionante e magnífico. Incendiou o país inteiro com entusiasmo e abalou o mundo todo.

 

A democracia das massas proletárias desenvolveu-se ao longo da grande revolução cultural proletária e é uma grande criação resultante da integração do pensamento invencível de Mao Tsé-Tung com o movimento revolucionário de massas. Essa democracia das massas demonstrou seu incomparável poder em destruir o velho mundo e criar o novo no momento em que nasceu. Esta é a razão pela qual o povo revolucionário em todo o mundo se alegra com isso enquanto o pequeno punhado de imperialistas, revisionistas e reacionários teme-o como um monstro terrível e opõe-se veementemente. A camarilha renegada revisionista soviética, em particular, abusa histericamente, como um "bando de hooligans", os grandes contingentes culturais revolucionários armados com o pensamento infinitamente brilhante de Mao Tsé-Tung.

 

Assim como o presidente Mao escreveu em um de seus poemas:

 

"Neste minúsculo globo

Algumas moscas se arremetem contra a parede,

Cantarolando sem cessar,

Às vezes, estridente

Às vezes gemendo ".

 

A oposição violenta do inimigo à nossa democracia de massas proletárias só mostra que ela é realmente muito boa. Nós não só a praticaremos agora, mas continuaremos a fazê-la corretamente sob a ditadura do proletariado daqui em diante.

 

Democracia de massa genuína sem paralelo na história humana

O presidente Mao nos ensina: "A liberdade e a democracia não existem no abstrato, apenas no concreto. Em um racionamento de soberania pela luta de classes, se há liberdade para as classes exploradoras explorarem os trabalhadores, não há liberdade para que as classes trabalhadoras não sejam exploradas, e se há democracia para a burguesia, não há democracia para o proletariado e outros trabalhadores”. Assumindo a posição burguesa, a facção revisionista renegada soviética afirma que o povo chinês não desfruta de liberdade e democracia. Essa afirmação conclui completamente que o proletariado da China e amplas seções das classes trabalhadoras desfrutam de genuína democracia de massas jamais conhecida na história da humanidade.

 

Nosso grande líder, o presidente Mao, sempre teve uma grande fé nas massas, entende suas aspirações perfeitamente, vê seu papel mais claramente, é mais hábil em descobrir e mobilizar o entusiasmo revolucionário inesgotável e a criatividade das massas e tem o maior respeito por seu espírito criativo revolucionário.


Sob a liderança do Presidente Mao, a característica mais marcante do nosso Partido e Estado é dar destaque às massas e fazer tudo de acordo com a linha de massa. Em pouco mais de um ano da vigorosa e grande revolução cultural do proletariado, a linha de massas do presidente Mao teve um grande e histórico desenvolvimento. Guiado por essa linha revolucionária, um poderoso e dinâmico movimento revolucionário de massas emergiu em nosso país. Os milhões e milhões de pessoas revolucionárias responderam ao chamado do grande líder para se preocupar com os assuntos do Estado. Eles desfrutam de democracia na fala, em reuniões e demonstrações, em publicações e associações. Eles podem expor seus pontos de vista e conduzir debates, colocar pôsteres de grandes personagens e trocar experiências revolucionárias, tudo em grande estilo. Houve uma dinastia ou um país que tenha praticado essa democracia de massas durante todos os milhares de anos de civilização? Houve algo assim em um país capitalista ou revisionista? Não, definitivamente não!

 

Na atual revolução cultural há, de fato, um punhado de pessoas que sentiram um desastre iminente e vivem em constante suspense. Eles são o pequeno punhado de autoridades do partido que tomam o caminho capitalista, os latifundiários, camponeses ricos, contrarrevolucionários, maus elementos e direitistas, além de outros monstros e demônios. À este punhado não é sequer dado uma democracia limitada, muito menos democracia extensiva. A característica da democracia de massas sob a ditadura do proletariado é exercer a ditadura sobre o punhado dos contrarrevolucionários e dar plena democracia às massas revolucionárias. Exercer a ditadura sobre o inimigo é exatamente com o propósito de promover às massas uma genuína democracia. Sem a poderosa ditadura do proletariado por trás deles, o proletariado e as amplas seções das classes trabalhadoras não podem sequer existir, para não falar em democracia. As duas classes e os dois tipos de democracia são irreconciliáveis. Sua luta é uma luta de vida ou morte. Tem sido sempre este o caso.

 

Os Srs. Brezhnev e Kosygin gritam que o povo chinês não desfruta de democracia e liberdade e se vangloria de que a União Soviética colocou em prática o que eles chamam de a mais bela "genuína democracia de todo um povo” do mundo. Esta conversa selvagem só pode ser considerada como as Mil e Uma Noites do século XX.

 

Não há democracia na União Soviética no atual momento. Há apenas a ditadura fascista e o terror branco. Na terra natal do grande Lenin, na Praça Vermelha de Moscou, manchada com o sangue dos heróis da Revolução de Outubro, quem ousar aderir ao marxismo-leninismo, ousar dizer o que está em sua mente, ou se atrever a lutar será colocado sob vigilância, sombreado (invisível?), convocado ou preso pela polícia, jogado em um asilo de lunáticos ou, pior ainda, "desaparecem" misteriosamente ... Esta é a "genuína democracia de todo o povo" da qual a camarilha renegada revisionista soviética se gaba!

 

O grande empreendimento pioneiro do Comunismo

O Presidente Mao nos ensina: “Democracia, às vezes, parece ser um fim, mas de fato ela é só um meio. O marxismo nos ensina que a democracia faz parte da superestrutura e pertence à categoria da política. Isto é, em última análise, serve à base econômica.”

 

A democracia das massas que foi plenamente desenvolvida ao longo da grande revolução cultural proletária na China é também um meio, não um fim. Nosso objetivo é resolver a importante questão de como garantir que nosso Partido e Estado nunca mudem de cor e que, com sucesso, realizem a transição para a sociedade comunista.

 

A experiência histórica da ditadura do proletariado no mundo provou que, para o proletariado, a tomada do poder político é apenas o começo, e não o fim, da revolução. Como continuar a revolução sob a ditadura do proletariado? Como, na aguda e complicada luta de classes, impedir a restauração capitalista e persistentemente levar a revolução socialista até o fim? Esta é uma questão importante que as gerações mais antigas de marxista-leninistas não encontraram resolução, não tiveram tempo para resolver ou falharam em resolver. É o presidente Mao, o maior marxista-leninista do nosso tempo, nosso líder da genialidade, que resolveu essa importante questão, não só na teoria e na prática, mas também no método. O método é fazer uma grande revolução a partir de baixo; é realizar a democracia das massas sob a ditadura do proletariado e guiado pelo pensamento Mao Tsé-Tung.

 

Esta democracia das massas é um ataque geral para eliminar o inimigo mais perigoso do regime proletário, o punhado de pessoas do partido que tomam o caminho capitalista. É descobrir todo o seu pessoal no quartel-general burguês que eles secretamente estabeleceram dentro do Partido e criticá-los, repudiá-los e derrubá-los completamente. É escavar as raízes do revisionismo e garantir o avanço do nosso país ao longo do amplo caminho do socialismo e do comunismo.

 

Essa democracia das massas é um teste e preparo sem precedentes para as amplas seções de quadros revolucionários. Um punhado de elementos ruins foi derrubado e um grande número de pessoas boas foi descoberto. Pessoas que entendem profundamente a linha revolucionária do presidente Mao, cumprem-na com muita firmeza e a defendem com coragem. Eles são a esperança do nosso país. Além disso, várias pessoas que não eram incorrigíveis, mas que estavam à beira da degeneração, foram salvas. Depois de receber um grande choque, eles deixam de seguir o caminho errado e se comprometem a alcançar rapidamente os outros que tomam o brilhante caminho.

 

Esta democracia das massas fornece o melhor treinamento para o povo revolucionário em aprender a fazer a revolução. Nunca antes as massas estavam tão animadas e tão militantes como estão hoje. Seu entusiasmo socialista e sua sabedoria e talento foram postos em plena ação. Eles têm a coragem de mudar tanto o mundo objetivo quanto o subjetivo e estão determinados a transformarem-se, dia após dia, em novas pessoas imbuídas do espírito comunista.

 

Num grande país com uma grande população e numa altura em que a luta de classes é tão aguda e integrada em casa e no estrangeiro, que coragem e amplitude de visão de um grande revolucionário proletário são exigidos na prática da democracia das massas proletárias numa escala tão extensa! O fato de que tal democracia das massas tenha sido praticada mostra a grande força de nossa ditadura proletária! Tem Brezhnev e Kosygin a coragem de fazer isso? Os outros países revisionistas ousam fazê-lo? Não, absolutamente não! Não pode haver democracia das massas proletárias sem a ditadura do proletariado. Nos países sob a ditadura da burguesia, os revisionistas nunca podem pôr em prática a democracia das massas; nem se atreverão a. Deixe-os tentar, se não concordarem! Um após o outro, eles com certeza vão sair de seus tronos dentro de 24 horas! Apenas o nosso mais respeitado e amado grande líder, o Presidente Mao, o grande revolucionário proletário que foi preparado nas lutas mais complexas, complicadas, amargas e diversas da história, ousa tomar uma decisão tão grande e arcar com esse fardo histórico. Apenas o grande, glorioso e correto Partido Comunista Chinês, armado com o pensamento Mao Tsé-Tung, ousa fazê-lo. Isso é possível apenas porque temos uma Grande Muralha como o incomparável Exército de Libertação do Povo Chinês e o firme regime proletário. O presidente Mao decidiu publicar pessoalmente o primeiro pôster marxista-leninista de grande caráter da China, apoiou mais que entusiasticamente os Guardas Vermelhos assim que apareceram no local e inspecionou um total de mais de 10 milhões de membros do grande exército revolucionário cultural.

 

O presidente Mao sempre dá suas sábias instruções no momento mais crucial para levar a grande revolução cultural continuamente para um estágio ainda mais alto e manter a moral revolucionário de milhões e milhões de exércitos revolucionários culturais. A democracia das massas proletárias elevou a linha de massa do Partido Comunista Chinês e a teoria marxista-leninista de que as pessoas são as criadoras da história para um novo patamar. A democracia das massas proletárias é a grande criação do presidente Mao para resolver o problema da revolução sob a ditadura do proletariado. É a nova e grande contribuição do presidente Mao ao marxismo-leninismo e um grande empreendimento pioneiro sem precedentes no socialismo e no comunismo. Todos os povos revolucionários do mundo estão contentes em notar que o Partido Comunista Chinês, guiado pelo pensamento de Mao Tsé-Tung, se tornou mais unido e polêmico do que nunca através do teste severo deste grande trovão. Como o farol do movimento comunista internacional tornou-se mais brilhante do que nunca. Todos os povos revolucionários do mundo estão convencidos de que a Nova China é a esperança de todo o mundo, que a China hoje será o amanhã de todo o mundo e que a luta do povo chinês abrirá um amplo caminho para os povos do mundo marcharem em direção ao comunismo.

 

Canção do triunfo do comunismo, sentença de morte para o revisionismo

As calúnias e amargas difamações sobre a democracia das massas proletárias da China criadas pelo grupo renegado revisionista soviético só podem mostrar que ele é tomado pelo medo mortal. A influência dessa democracia das massas desenvolvida ao longo de nossa grande revolução cultural há muito tempo se espalhou para além das fronteiras da China e marcou a sentença de morte do revisionismo internacional.

 

Aqui está uma parte da admissão dos renegados soviéticos: "Os acontecimentos na China, de fato, não dizem respeito apenas a esse país, mas também ao socialismo mundial e a todos os comunistas...esse fato não pode deixar de suscitar medos que são justificados".

 

Cem anos atrás, Karl Marx, em seu prefácio à primeira edição do Capital, escreveu: "A natureza peculiar do material com que ela (a economia política) lida, convoca como inimigos do campo de batalha as paixões mais violentas, más e malignas do seio humano, as fúrias de interesse privado".

 

Este é exatamente o caso. A democracia das massas proletárias na China levantou um canto da cortina, em 3 de novembro de 1967, sobre o regime sombrio dos renegados revisionistas na União Soviética e sua perseguição ao povo soviético. É por isso que ele evocou maldições e oposição do punhado de tiranos que estão cheios das "paixões mais mesquinhas e malignas"; com a cortina assim levantada, as pessoas agora podem ver claramente que, na China, as autoridades do Partido que tomam o caminho capitalista são apenas alguns poucos e nunca ganharam a supremacia, enquanto na União Soviética eles formaram um estrato privilegiado após Khrushchev usurpar o poder e, desde então, tem passado por cima do povo.

 

A democracia das massas proletárias da China abriu verdadeiramente os olhos de milhões e milhões de pessoas e as características renegadas dos revisionistas soviéticos ficaram ainda mais expostas. Pequenos vândalos que eles são, apreendidos com terror e agarrados pelo medo.

 

Exatamente cinquenta anos atrás, as salvas do cruzador Aurora proclamaram a abertura de uma grande nova era na história da humanidade. Como as notícias inspiraram o proletariado e outras pessoas revolucionárias em todo o mundo naquela época! A Revolução de Outubro aprovou a sentença de morte do sistema capitalista. Stalin escreveu: "Agora, as massas trabalhadoras do mundo não podem mais ser vistas como uma 'multidão cega', tateando no escuro e desprovida de perspectivas, pois a Revolução de Outubro criou um farol que ilumina seu caminho e abre perspectivas para eles”.

 

Da mesma forma, a democracia das massas proletárias desenvolvida na revolução cultural da China abriu um caminho para o povo soviético emancipar sua pátria do domínio das trevas. O povo soviético rejubilou ao ver o Khrushchev da China cair sob o ataque de milhões e milhões de exércitos revolucionários culturais. Eles viram com seus próprios olhos que o revisionismo é apenas outro tigre de papel. Se somente as massas podem se unir sob a bandeira do marxismo-leninismo, e do pensamento de Mao Tsé-Tung, lutar no espírito revolucionário de "aquele que não tem medo da morte com mil cortes ousa desorientar o imperador" e iniciar uma revolução de baixo para cima, eles certamente podem colocar o destino de sua pátria socialista em suas próprias mãos.

 

Para os revisionistas soviéticos, a queda do Khrushchev da China antecipa sua própria desgraça. Daí os "medos que são justificados".

 

Nosso grande líder, o presidente Mao, disse: "O sistema socialista acabará substituindo o sistema capitalista; esta é uma lei objetiva independente da vontade do homem. Por mais que os reacionários tentem reter a roda da história, mais cedo ou mais tarde a revolução acontecerá. Ela vai inevitavelmente triunfar ".

 

O grupo renegado revisionista soviético está se aproximando do seu destino. O dia em que o povo soviético se levantar para fazer a revolução de baixo para cima será o dia do funeral daquele grupo renegado. As pessoas do mundo verão, então, a estrela vermelha sobre o Kremlin brilhar novamente em esplendor deslumbrante.

 

 

Publicado no Peking Review, Nº 45, a 3 de novembro de 1967

 

Escrito por Ting Hsueh-lei

 

Traduzido por J. Lima

 

Please reload

Leia também...

"Necessidade contínua da Revolução Cultural"

18/11/2019

Mao: "À Memória de Norman Bethune"

15/11/2019

Stalin: "A Greve Geral Iminente"

14/11/2019

"O papel das mulheres na defesa de Stalingrado"

13/11/2019

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube