"Sobre a reeducação dos intelectuais"

20/08/2018

 

O estabelecimento de comitês revolucionários em 29 províncias, municípios e regiões autônomas, ou seja, em todo o país, exceto na província de Taiwan, indica que todo o movimento da grande revolução cultural entrou na fase de luta-crítica-transformação em escala nacional. Aos poucos, sob a orientação das últimas instruções do Presidente Mao, poderosos contingentes de operários tanto entraram ou estão em processo de inserir-se em escolas e universidades, áreas variadas da superestrutura, quanto têm promovido a luta-crítica-transformação nestes espaços, mesmo onde ela ainda não havia sido bem realizada. Isto não só introduziu uma situação completamente nova na revolução proletária na educação, mas inevitavelmente acelerará a remodelação das fileiras de intelectuais pela classe trabalhadora da China de acordo com suas próprias perspectivas.

 

Quando a classe trabalhadora se insere nas instituições culturais e educacionais, seu trabalho é principalmente voltado para os intelectuais. Uma correta compreensão da política do Partido em relação a eles é, portanto, uma garantia importante para a vitória na luta.

 

A nota extremamente importante do editor do jornal Hongqi (Bandeira Vermelha) publicada na imprensa em 5 de setembro [veja Revisão de Pequim, Nº 37, p. 13] retransmite a voz de nosso grande líder Presidente Mao. Esta nota do editor levanta uma questão muito importante, que é dar atenção à reeducação de um grande número de intelectuais – universitários e secundaristas graduados que já trabalham há algum tempo, bem como aqueles que apenas começaram a trabalhar. A nota demonstra as variadas políticas proletárias direcionadas aos intelectuais e apontam ainda a única direção correta para eles – integrarem-se com os trabalhadores e camponeses.

 

O grande líder Presidente Mao ensina-nos que por meio de todo o curso da revolução e construção socialista, a remodelação dos intelectuais é uma questão de grande importância. Após tomar o poder político, o proletariado deve remodelar os intelectuais de acordo com sua própria perspectiva e treinar este contingente de modo que sirvam à ela. Isso é essencial para a consolidação e desenvolvimento da ditadura do proletariado e para prevenir a restauração do capitalismo; isso é essencial para o estabelecimento do proletariado na posição de absoluta dominação em todas as esferas da ideologia e cultura. Para construir tal contingente de intelectuais proletários, é necessário executar uma completa revolução proletária na educação; trilhar o caminho revolucionário de treinamento técnico pessoal e outros intelectuais dentre os operários, camponeses e soldados, e selecionar estudantes dentre os operários e camponeses com experiência prática na produção e também entre os guerreiros do Exército da Libertação. Ao mesmo tempo, é necessário reeducar o grande número de intelectuais graduados nas antigas escolas do passado e, também, conquistá-los e uni-los com o vasto número de novos intelectuais proletários. Como a grande revolução cultural aprofunda e alcança a fase de luta-crítica-transformação, o povo pode apreciar com crescente clareza a imensa importância de resolver esta questão.

 

A nota do editor levanta a questão de “manterem-se atentos em reeducar o grande número de universitários e secundaristas formados, tanto aqueles que começaram a trabalhar já há algum tempo, quanto aqueles que há pouco começaram a trabalhar.” Isso envolve não apenas as escolas, mas também o vasto número de intelectuais em nossa frente cultural e educacional e nas fileiras de nossos quadros. Por que isso se chama reeducação? Porque o que eles receberam no passado foi uma educação burguesa e a educação que eles estão recebendo agora é proletária. Este é um motivo. Outro é que, no passado, sob a perniciosa influência da linha revisionista do Khrushchovismo chinês, eles receberam educação dos intelectuais burgueses enquanto, agora, sob a orientação da linha revolucionária proletária do Presidente Mao, eles estão sendo educados pelos operários, camponeses e soldados. A remodelação da visão de mundo é algo fundamental. Devemos educar os intelectuais de acordo com a perspectiva proletária de mundo para que eles possam mudar as idéias burguesas que receberam anteriormente pela educação burguesa. Este é o conteúdo dessa reeducação. O caminho fundamental nesta reeducação é para que eles trilhem o caminho de integrarem-se com os operários, camponeses e soldados e, assim, servi-los.

 

Na condução da reeducação, é necessário dispor os fatores positivos em jogo. A questão da linha política é um ponto fundamental. A linha que se segue produz o tipo de pessoas que são treinadas. Devemos concentrar nosso ódio no punhado de dirigentes capitalistas no Partido e seus agentes, uma vez que é a sua linha revisionista contrarrevolucionária na educação que envenenou a juventude. O completo repúdio a esta linha reacionária impulsionará o povo a fazer mais esforços para realizar a educação proletária da linha política do Presidente Mao. Na nova China socialista, a maioria ou a grande maioria dos estudantes treinados pelas antigas escolas serão, quando educados pelo pensamento Mao Tse-Tung, capazes de integrarem-se, gradualmente, aos operários, camponeses e soldados. Neste curso, inevitavelmente haverá oscilantes e revezes. Mas desde que estas pessoas sigam e avancem pela linha revolucionária proletária do Presidente Mao e a aceitem a reeducação pelos operários, camponeses e soldados, além de repudiarem e, continuamente, mudarem as velhas idéias burguesas trazidas consigo de casa ou da escola, eles poderão contribuir com sua participação servindo os operários, camponeses e soldados. Eles - os operários, camponeses e soldados - acolhem tais intelectuais. Embora existam de fato contrarrevolucionários e teimosos, eles são muito poucos em número. O grande número de intelectuais está disposto a remodelarem-se sob a liderança da classe trabalhadora e disposto a integrarem-se com os operários, camponeses e soldados, e eles têm perspectivas brilhantes sob o sistema socialista. A nota do editor aponta: “Alguns deles com certeza fazem desta integração um sucesso e realizam algumas invenções e inovações. Menções devem ser feitas dessas pessoas como encorajamento.” Isso significa encorajar e, de uma maneira positiva, impulsionar o grande número de intelectuais a trilhar firmemente o caminho da integração com os operários, camponeses e soldados. Pessoas que fizeram dessa integração um sucesso e fazem invenções e inovações são encontradas em todo lugar. Seu exemplo deve ser citado para educar aqueles intelectuais os quais já ocuparam ou que irão ocupar postos de trabalho.

 

A grande revolução cultural proletária abriu um caminho mais amplo para os intelectuais se integrarem com os trabalhadores, camponeses e soldados e, assim, remodelarem sua visão de mundo e servirem melhor o povo. As massas de intelectuais passaram por um considerável teste e preparo na grande revolução cultural. Eles sentem agudamente suas deficiências – sua vacilação e falta de meticulosidade na revolução – e querem, urgentemente, integrarem-se com os operários, camponeses e soldados. Isto é o mais inspirador. Os comitês revolucionários por todo o país e os trabalhadores das equipes de propaganda do pensamento Mao Tse-Tung, estacionados nas unidades interessadas, devem ser eficientes em descobrir instâncias de tal iniciativa por intelectuais, apoiando-os em integrarem-se com os operários, camponeses e soldados e guiá-los à tomarem uma parte ativa na luta-crítica-transformação em suas próprias unidades. De agora em diante, lugares onde há grupos concentrados de intelectuais, a luta-crítica-transformação deve ser levada ao sucesso sob a liderança da classe trabalhadora e todos os tipos de aulas de estudo do pensamento Mao Tse-Tung devem ser bem executados. É necessário, também, organizar os intelectuais para irem grupo a grupo entre os operários, camponeses e soldados e serem reeducados por eles.

 

O povo deve ter uma saída. “Fazer de outra forma não é uma política do proletariado.” Somente emancipando toda a humanidade, o proletariado conseguirá sua própria emancipação final. A política proletária deve indicar uma saída para as massas de pessoas de variados estratos e classes lideradas pelo proletariado, e transformar fatores negativos em positivos tanto quanto possível. Essa política ajudará a respaldar aqueles que cometeram sérios erros a reconhecê-los e corrigi-los. Quanto aos poucos dirigentes capitalistas obstinados e as autoridades técnicas burguesas que causaram a ira das massas e devem ser derrubados, devem também ter uma saída depois de terem sido adequadamente repudiados. Esta é uma questão para a qual a atenção deve ser dada no estágio final do movimento da revolução cultural proletária.

 

Nós devemos cumprir resolutamente toda política proletária sobre intelectuais estabelecida pelo nosso grande líder Presidente Mao. Isso é essencial para distinguir entre os dois diferentes tipos de contradições. As contradições entre o povo devem ser lidadas pelo método de unidade – crítica e autocrítica – unidade. O modo de resolver questões de natureza ideológica é apresentando fatos e raciocinando as coisas e, também, através de meticulosos trabalhos político-ideológicos.

 

A excelente situação na grande revolução cultural proletária, à medida que se aproxima da vitória geral, abre magníficas perspectivas para as massas revolucionárias. Estamos convencidos de que, guiados pela radiante luz do grande pensamento Mao Tse-Tung e pela classe trabalhadora, o vasto número de intelectuais revolucionários e de intelectuais os quais podem ser remodelados da China avançará rapidamente ao longo do caminho de revolucionarem a si mesmos e integrarem-se com a classe trabalhadora. “Esperamos que eles [intelectuais da China] continuarão a progredirem e que, no curso do trabalho e estudo, eles gradualmente adquirirão a perspectiva comunista de mundo, obterão uma melhor compreensão do Marxismo-Leninismo e se tornarão integrados com os operários e camponeses. Esperamos que eles não parem no meio do caminho, ou, o que é pior, deslizem e retrocedam, pois não haverá futuro para eles em retroceder.” (Sobre o Tratamento Correto das Contradições no Seio do Povo)

 

Publicado no Renmin Ribao, 12 de setembro de 1968

 

Escrito por comentaristas do Renmin Ribao e Hongqi

 

Please reload

Leia também...

"O 29º Aniversário da Morte de V. I. Lenin"

21/01/2020

As críticas de José Duarte à Direção Nacional do PCdoB em 1988

20/01/2020

Fidel: "Roubo de cérebros"

17/01/2020

ILPS: 'Responder aos ataques fascistas na Índia!'

17/01/2020

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube