"Igualdade de homens e mulheres na RPDC"

30/07/2018

 
No início deste ano, uma empresa americana de criação de dicionários transmitiu que no ano passado a palavra mais registrada no dicionário escrita por sua empresa é “igualdade de direitos de homens e mulheres”, com um aumento de 70% em relação a 2016. Isso mostra que a compreensão e a demanda de direitos em todo o mundo crescem sobre a igualdade entre homens e mulheres.

 

Embora em muitos países a igualdade de homens e mulheres tenha sido legalizada, a discriminação contra as mulheres pelos homens continua profundamente arraigada. Neste contexto, a igualdade de homens e mulheres na Coreia socialista chama a atenção da sociedade internacional.

 

Quando a Coreia foi libertada da ocupação militar do Japão em 15 de agosto de 1945, o remanescente feudal de discriminação contra as mulheres ainda permanecia excessivamente. Mas depois da promulgação do decreto-lei de igualdade de direitos de homens e mulheres em 30 de julho de 1946, a posição das mulheres foi modificada completamente.

 

Hoje, as mulheres da RPDC exercem o mesmo direito que os homens em todas as esferas da vida estatal, econômica, cultural, social e política. Muitas mulheres atuam como deputadas na Assembleia Popular Suprema (parlamento) e outros órgãos de poder em todos os níveis. Elas também trabalham como altas funcionárias do Partido, forças armadas, órgãos de poder, entidades sociais e instituições econômicas.


As mulheres coreanas exercem o mesmo direito que os homens de trabalhar e receber seu salário.

 

No mundo de hoje, a discriminação contra as mulheres aparece representativamente na integração da sociedade e na remuneração pelo trabalho. Em muitos países, a razão de ser mulher é uma das causas importantes das dificuldades em obter emprego. Mesmo que você tenha obtido um emprego depois de engravidar, é aconselhável renunciar.


A discriminação também é séria na remuneração pelo trabalho. Aqui está um bom exemplo disso: No início deste ano, uma mulher que trabalhou como editora-chefe da inglesa BBC sobre a China, se retirou voluntariamente protestando que foi discriminada na diferença do seu salário em comparação com um homem no mesmo cargo. Segundo dados da Inglaterra e da França, as mulheres recebem salários mais baixos em 18,4 e 25,7%, em média, respectivamente, em comparação aos homens. Também nos EUA as mulheres percebem que recebem menores salários do que os homens. Especialmente as mulheres de origem africana e latino-americana recebem salários mais baixos em 69 e 58%, respectivamente.


Mas na RPDC, o Estado assegura emprego estável para todas as mulheres que querem a vida social e lhes dá salários iguais aos dos homens. Também apresenta ativamente aquelas que tiveram méritos no trabalho. Durante os 70 anos desde a promulgação do decreto-lei da igualdade de direitos de homens e mulheres até 2016, quase 500 mulheres receberam o título de heroína, a mais alta honra do cidadão coreano.


Na RPDC, tratam preferencialmente mulheres com bebês. Elas recebem licença de maternidade e o Estado garante o salário e a alimentação durante esse período. Mulheres com vários filhos têm suas horas de trabalho reduzidas e recebem salário integral.


As creches e jardins de infância operam às custas do Estado, não só em áreas residenciais, mas também nas fábricas e empresas, para que as mulheres coreanas realizem sua vida social sem qualquer preocupação.

 

 

Please reload

Leia também...

Mao: "Reformemos Nosso Estudo"

07/08/2020

"A revolução de outubro na Rússia e o movimento operário na Itália"

07/08/2020

Stalin: "Lenin, organizador e chefe do Partido Comunista da Rússia"

06/08/2020

Avançam as lutas do proletariado e do povo do Uruguai contra a crise a repressão

05/08/2020

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube