Dimitrov: "Existe apenas uma forma de salvar nosso povo"

23/07/2018

 

Ao declarar guerra à América e à Inglaterra [1], o governo do rei Boris demonstrou uma vez mais o seu papel de lacaio de Hitler, o sanguinário, e a sua política de traição dos interesses e do futuro do nosso povo.

 

Para as operações militares no Pacífico, a guerra da Bulgária contra a América e a Inglaterra não teve nem pode indubitavelmente ter qualquer importância prática. Mas este ato aventureiro do governo do rei Boris tem uma grande importância prática, sob o ponto de vista da situação e futuro da própria Bulgária. A Bulgária é por este fato definitivamente atirada para a criminosa guerra de depredação de Hitler e transformada num instrumento dos seus planos de pilhagem.

 

A declaração de guerra feita à América e à Inglaterra reveste-se de uma importância ainda mais imediata, depois de Hitler e os seus agentes búlgaros se terem convencido que era arriscado enviar o nosso exército contra a União Soviética; tentam agora utilizar o exército, através desse subterfúgio, a fim de o fazer combater pelos intentos da Alemanha hitleriana. A derrota dos alemães no Sul, bem como a completa derrocada dos seus planos de ofensiva em direção ao Cáucaso feitos por Rostov, fazem com que Hitler procure outros caminhos.

 

O nosso povo encontra-se perante o perigo iminente de verter o sangue de centenas de milhares dos seus filhos em proveito de intentos estrangeiros, os intentos do bando hitleriano que pilha e oprime o seu próprio país, assim como dezenas de outros que provisoriamente ocupou.

 

A existência da Bulgária como país independente está em jogo.

 

Existe apenas uma forma de salvar o nosso povo do perigo e o nosso país da catástrofe: é o movimento nacional, o movimento do exército e do povo contra a política de traição dos nossos governantes, que se venderam a Hitler.

 

É preciso impedir por todas as formas e com todas as nossas forças que os bandos hitlerianos disponham da Bulgária, do seu território, dos seus víveres e dos seus recursos, das suas forças armadas.

 

É preciso conseguir impor, custe o que custar, uma política búlgara realmente nacional, que tenda a libertar o país dos opressores alemães e dos seus lacaios búlgaros.

 

15 de dezembro de 1941

 

Publicado em Dimitrov - Obras Escolhidas, volume 4, p. 9-10

 

Por Georgi Dimitrov

 

Nota

[1] Em virtude de a Bulgária ter assinado o pacto tripartido sob pressão da Alemanha e da Itália, o governo búlgaro rompe relações com a Grã-Bretanha e com os Estados Unidos, declarando-lhes guerra. A 13 de dezembro de 1941, a Assembleia Nacional fascista adota a declaração de guerra do governo feita à Grã-Bretanha e aos Estados Unidos.

 

Please reload

Leia também...

"Conversa entre J.V. Stalin e Mao Tsé-tung"

29/11/2019

"Carta da Komintern ao Comitê Central do PCB em 1933"

28/11/2019

Gramsci: "Legalidade"

27/11/2019

140 anos do camarada J.V. Stalin é celebrado na USP

27/11/2019

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube