"Por fim à lei marcial! Derrubar o regime dos EUA/Duterte!"

10/06/2018

 

Rodrigo Duterte declarou a lei marcial em Mindanao para travar sua guerra de destruição em Marawi, intensificar e estender o Oplan Kapayapaan (Plano de Paz) e impor seu domínio tirânico e terrorista em todo o país.

Em nome da “luta contra o terrorismo”, Duterte bombardeou Marawi com total desrespeito pela vida, propriedade e sustento de maranaos e habitantes de outras cidades. Centenas de milhares de pessoas foram evacuadas, mais de 1200 foram mortas e nada menos que 800 ainda estão desaparecidas. Este é o maior crime de Duterte contra o povo sob a lei marcial. Mas este não é seu único crime.

Ao exercer poder militar, Duterte e seus capangas armados das Forças Armadas das Filipinas (AFP) cometeram numerosos crimes contra o povo filipino. Todos os dias, sob a lei marcial e Oplan Kapayapaan, centenas de barangays (bairros), especialmente no interior de Mindanao, estão sob a ocupação, vigilância, restrição e opressão da forças armadas; esmagado por bombas e artilharia e ameaçado de ser o próximo Marawi.

A lei marcial de Mindanao é uma guerra contra as massas trabalhadoras; uma opressão armada contra as pessoas desarmadas. Centenas são perseguidos e alvos ​​de falsas acusações. A cada três dias, uma nova vítima de assassinato extrajudicial pelas AFPs e seus capangas armados é adicionada à lista crescente. Todos os dias, a cidade sofre intimidação, ameaças e ataques das tropas fascistas da AFP.

A imposição da lei marcial de Mindanao é uma peça-chave na guerra de repressão do Kapayapaan Oplan, uma guerra projetada pelos EUA para todo o país. Os EUA desempenham um papel de liderança no seu apoio à lei marcial. Em Marawi, autoridades dos EUA, assessores e tropas militares intervieram abertamente, pilotando drones e lançando bombas.
Com o apoio dos Estados Unidos, as forças armadas fazem uso de seu poder ilimitado em Mindanao para travar sua guerra contra as pessoas em todo o país. Ao estender a lei marcial de Mindanao, o regime de Duterte visa “normalizar” o uso reacionário do terrorismo de estado e tornar sua crueldade aceitável.

Duterte emprega táticas de lei marcial em todo o país. Hoje, milhões estão vivendo sob liderança militar em todo o arquipélago. Graças à lei marcial de Mindanao, as tropas e oficiais das AFPs não têm medo de abusar de seu poder, de violar os direitos humanos ou de reprimir a luta democrática das massas.

Duterte usa a lei marcial de Mindanao para intimidar o povo filipino e mostrar que nada pode deter seu poder. É uma peça fundamental de seu governo tirânico e terrorista em todo o país.

Recentemente, Duterte demitiu o presidente da Suprema Corte, a quem ele declarou como um inimigo. Duterte usou uma duvidosa manobra legal (quo warranto em vez de destituição), embora a verdadeira força por trás disso fosse seu poder tirânico. Esta é também a força por trás do esforço para controlar totalmente o Senado, a fim de adaptá-lo ao seu plano de mudança constitucional para se perpetuar no poder sob a fórmula de uma transição para uma forma federal de governo.

O povo filipino deve avançar em sua luta para acabar com a lei marcial de Mindanao e pôr fim ao Oplan Kapayapaan e ao governo de Duterte.

A luta armada revolucionária deve ser realizada continuamente como a principal forma de resistência contra o governo fascista. Devido à repressão armada de Duterte, a necessidade de pegar em armas para defender-se contra o fascismo e promover a causa revolucionária do povo torna-se cada vez mais clara.

Com medidas tirânicas e terroristas, Duterte está atropelando e aborrecendo um número crescente de pessoas. A raiva do povo está sempre em efervescência. A resistência dos setores populares contra o fascismo de Duterte e as forças armadas está crescendo à medida que avançam em sua causa democrática. As fileiras de organizações, partidos, instituições e personalidades que pedem sua expulsão do poder estão em ascensão.

A frente única anti-Duterte deve ser expandida e fortalecida em nível nacional. Isto baseia-se principalmente na amplitude e força dos setores democráticos fundamentais. Portanto, deve ser dado apoio total à luta antifascista das massas trabalhadoras para exigir justiça contra todos os crimes fascistas da AFP, denunciar e se opor ao abuso dos direitos humanos e apoiar a revolta generalizada contra o terrorismo Duterte e a sua tirania .

 

Partido Comunista das Filipinas


publicado no Ang Bayan, de 23 de maio de 2018

 

Please reload

Leia também...

Dimitrov: "Sobre a luta contra o fascismo e os Sindicatos Amarelos"

24/01/2020

"A discriminação racial é uma doença crônica do capitalismo"

23/01/2020

"O 29º Aniversário da Morte de V. I. Lenin"

21/01/2020

As críticas de José Duarte à Direção Nacional do PCdoB em 1988

20/01/2020

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube