Nkrumah: "Mensagem ao povo negro da Grã-Bretanha"

16/04/2018

 

Membros do Black Panther Movement e todos meus Irmãos e Irmãs negros e negras, camaradas e amigos do Caribe, África e Ásia, A­mé­rica Latina e todos os cantos do mundo socialista.

 

Saudações!

 

A história raramente se move de maneira unilinear; seu curso é desigual. Hoje, como resultado das contradições do capitalismo, neocolonialismo e racismo, o Black Power vem surgindo nesta etapa da história. Os oprimidos do mundo buscam um novo caminho para resolver estas contradições e levar a cabo a emancipação total.

 

O que é o Black Power? Por Black Power, compreendemos o poder dos quatro quintos da população mundial que foi sistematicamente condenada a um estado de desumanização pelo colonialismo e neocolonialismo. Em outras palavras, Black Power é a sumarização total do poder político, cultural e econômico no qual o homem negro deve ter a fim de conquistar sua sobrevivência em uma sociedade com a técnica altamente desenvolvida, em um mundo assolado pelo imperialismo, colonialismo, neocolonialismo e fascismo.

 

O Black Power simboliza uma nova etapa da consciência revolucionária dos anseios e aspirações do homem negro. Como o homem negro é a mais oprimida das raças da humanidade, o Black Power, portanto, é a luta por deter o poder político, econômico, social e cultural, do qual este, conjuntamente com oprimidos e explorados do mundo, deve ter para debandar e derrubar o opressor. Se não estivermos preparados para isto, então temos que nos preparar para sermos escravizados.

 

A sua organização, então, é parte desta explosão revolucionária mundial de hoje.

Vocês estão na Inglaterra não por oportunidades ou escolha; estão na Inglaterra por razões históricas; vocês estão na Grã-Bretanha porque britânicos os colonizou e reduziu os vários países que vocês pertenciam ao nível de status colonial. Vocês estão na Grã-Bretanha porque o neocolonialismo britânico está os sufocando em seus países natais. Onde mais vocês podem buscar meios de sobreviver a não ser que seja na “pátria mãe” que os escravizou?

 

Mas não se esqueçam que suas terras natais, neste momento, estão sob o jugo do colonialismo ou neocolonialismo. Todos vocês sabem que mesmo que suas organizações sejam antirracistas, estas combatem o racismo na Inglaterra. Vocês foram vítimas de confusão durante tanto tempo, que se tornaram vítimas do racismo branco. Não existe nenhuma solução para a questão racial até que todas as formas de discriminação e segregação racial em todo o mundo sejam considerados um crime. Sob o socialismo real, o racismo desaparece.

 

Vocês que vivem na Grã-Bretanha tem um papel significativo no movimento negro revolucionário internacional. Vocês vivem no centro da própria citadela do Imperialismo e neocolonialismo britânico.

 

O dedo da história agora está apontando para a direção correta. Nos meus dias em Londres, organizamos a Coloured Men’s Association, e hoje, com o surgimento do Black Power, vocês têm organizações co­mo a RASS (Racial Adjustment Action Society) liderada por Michael X e o Black Panther Movement liderado por Obi Egbuna. Estas duas organizações defendem o Black Power, e devem mobilizar, educar e re-despertar o povo negro da Grã-Bretanha para a plena realização de seu potencial revolucionário.

 

Sabemos das dificuldades que vocês têm enfrentado: a discriminação, o preconceito e a hostilidade racial. Sabemos que o que acontece na Grã-Bretanha, acontece em várias partes do mundo onde o poder branco continua no poder; seja nos Estados Unidos, na África do Sul do apartheid, América Latina, Austrália, Rodésia, Angola, Moçambique ou a Guiné “Portuguesa”.

 

Suas terras natais estão sob regimes fantoches teleguiados pelo neocolonialismo. A verdadeira liberdade negra somente chegará quando a África estiver politicamente unida. Somente então homens negros serão livres para respirar o ar da liberdade, que é seu para respirar, em qualquer parte do mundo.

 

Àqueles de vocês que querem fazer da Inglaterra sua pátria eu digo, lembrem-se que o que é importante não é onde vocês estão, mas o que vocês fazem. E para aqueles que querem voltar para casa e lutar pela unidade, independência e emancipação total de África, e digo, venham para casa. Precisamos de vocês.

 

Quero que todos entendam que eu não estou exilado em Conakry. Todo país e cidade na África é minha casa, então estou em casa em Conakry na Guiné, assim como estaria em casa em qualquer parte do mundo negro. Estou em forma, vivo e alerta. A luta pela unificação política da África nunca foi mais clara e melhor traçada.

 

Vocês me pediram para ser seu protetor. Minha resposta é SIM, eu os apoiarei em todos seus esforços revolucionários Black Power, e espero que respondam meu chamado quando as trombetas soares.

 

Desejo-lhes boa sorte e sucesso.

 

Panfleto escrito por Kwame Nkrumah em 1968

  

Please reload

Leia também...

Fidel: "Roubo de cérebros"

17/01/2020

ILPS: 'Responder aos ataques fascistas na Índia!'

17/01/2020

"A construção do Estado norte-coreano"

13/01/2020

Mao: "Materialismo Dialético"

11/01/2020

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube