"Em apoio à luta afro-americana contra a repressão violenta"

04/04/2018

 

Quando Martin Luther King foi assassinado em 1968, os negros se lançaram às ruas dos Estados Unidos, iluminando os céus com as chamas da rebelião e da dor. Então, Mao Tsé-tung, maior expoente da Revolução Chinesa, então vivendo a Grande Revolução Cultural Proletária, fez uma declaração em nome do Partido Comunista da China o que representava mais este crime dos imperialistas ianques e o sentido da luta dos negros afro-americanos como parte integrante da revolução mundial.

 

 

"EM APOIO À LUTA AFRO-AMERICANA CONTRA A REPRESSÃO VIOLENTA"


Há poucos dias, Martin Luther King, o pastor afro-americano, foi subitamente assassinado pelos imperialistas dos EUA. Martin Luther King foi um expoente da não-violência. No entanto, os imperialistas dos EUA não mostraram tolerância por esse motivo, mas usaram a violência contrarrevolucionária e o mataram a sangue frio. Isso ensinou uma lição profunda às grandes massas de negros nos EUA. Uma nova tempestade foi desencadeada em sua luta contra a repressão violenta que atinge mais de 100 cidades nos EUA, uma tempestade que nunca aconteceu antes na história daquele país. Isso mostra que uma força revolucionária extremamente poderosa está latente nos mais de 20 milhões de negros estadunidenses.

A tempestade da luta afro-americana que ocorre dentro dos EUA é uma notável manifestação da crise política e econômica global que afoga o imperialismo ianque. É um golpe marcante para o imperialismo dos EUA, que é atormentado com dificuldades em casa e no exterior.

A luta afro-americano não é apenas uma luta dos negros explorados e oprimidos pela liberdade e emancipação, mas também uma nova convocação para todos os explorados e oprimidos nos EUA para lutar contra a dominação bárbara da classe capitalista monopolista. É uma tremenda ajuda e inspiração para a luta dos povos do mundo contra o imperialismo dos EUA e para a luta do povo vietnamita contra o agressor ianque. Em nome do povo chinês, decidi, por esse meio, apoiar a luta justa dos negros nos Estados Unidos.

A discriminação racial nos Estados Unidos da América é um produto do sistema colonialista e imperialista. A contradição entre as massas negras nos Estados Unidos e nos círculos dirigentes é uma contradição de classe. Somente através da derrubada da regra reacionária da classe capitalista monopolista dos Estados Unidos e da destruição do sistema colonialista e imperialista poderão os negros nos Estados Unidos alcançar a emancipação completa. As massas negras e as massas de trabalhadores brancos nos Estados Unidos têm interesses comuns e objetivos comuns na luta. Portanto, a luta afro-americana está ganhando a simpatia e o apoio de um número crescente de pessoas brancas que trabalham com questões progressistas nos Estados Unidos. A luta dos negros nos Estados Unidos está fadada a se fundir com o movimento operário estadunidense, e isso terminará com a dominação criminosa da classe capitalista monopolista dos EUA.

Em 1963, a "Declaração de apoio aos afro-americanos na sua justa luta contra a discriminação racial pelo imperialismo norte-americano", eu disse que "o sistema mal do colonialismo e do imperialismo surgiu e floresceu com a escravidão e do comércio dos negros e, sem dúvida, seu fim virá com a completa emancipação dos negros”. Continuo mantendo essa opinião.

Atualmente, a revolução mundial entrou em uma nova grande era. A luta dos negros nos EUA pela emancipação é parte integrante da luta geral dos outros povos do mundo contra o imperialismo norte-americano, parte integrante da atual revolução mundial. Apelo aos trabalhadores, camponeses e intelectuais revolucionários de todos os países e todos aqueles que estão dispostos a lutar contra o imperialismo dos EUA para agir e dar um forte apoio à luta dos negros nos Estados Unidos! Pessoas de todo o mundo, unem-se ainda mais de perto e lançam uma ofensiva firme e sustentada contra o nosso inimigo comum, o imperialismo dos EUA e seus lacaios! Pode-se dizer com certeza que o colapso total do colonialismo, do imperialismo e de todos os sistemas de exploração e a completa emancipação de todos os povos e nações oprimidos do mundo não estão longe.

 

 

Declaração de Mao Tsé-Tung, Presidente do Comitê Central do Partido Comunista da China

16 de abril de 1968

 

Please reload

Leia também...

Stalin: "A Greve Geral Iminente"

14/11/2019

"O papel das mulheres na defesa de Stalingrado"

13/11/2019

Lenin: "Sobre os Sindicatos, o momento atual e os erros de Trotsky"

13/11/2019

URC: "Sobre o Golpe de Estado imperialista na Bolívia"

12/11/2019

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube