"ILPS condena o assassinato de Marcinho do MST"

10/02/2018

A Liga Internacional da Luta dos Povos (ILPS), uma coalizão internacional de organizações anti-imperialistas e democráticas das classes trabalhadoras e populares, condena fortemente o assassinato de Marcio "Marcinho" Matos, dirigente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra do Brasil (MST) no estado da Bahia em 24 de janeiro de 2018.

 

O assassinato de Marcinho fora de sua casa na região da Chapada Diamantina, aos 34 anos, em frente ao filho e com três feridas de bala em sua cabeça, é o mais revoltante. É o último aditamento à crescente lista de líderes e ativistas camponeses no Brasil, muitos pertencentes ao progressista MST, que estão sendo assassinados por lutar pela terra, vida e justiça para os sem-terra.

 

Apontamos os dedos para o regime de Michel Temer, um serviçal do imperialismo estadunidense, grandes capitalistas estrangeiros e locais, e latifundiários, pelo assassinato de Marcinho. Após o golpe de 2016, este regime procurou repelir as conquistas dos sem-terra e outros setores das massas trabalhadoras em sua luta. Assaltou, prendeu e assassinou líderes camponeses e ativistas e outros elementos progressistas e anti-imperialistas no Brasil. O governo de Temer está tentando cumprir os ditames do imperialismo estadunidense e das classes dominantes brasileiras e, ao mesmo tempo, manter-se no poder ao atacar seus críticos de maior destaque.

 

Expressamos nossas condolências à família de Marcinho, amigos e camaradas no MST e à luta dos sem-terra no Brasil. Nós expressamos nosso apoio de todo o coração ao MST e suas organizações aliadas lutando ao lado das classes exploradas e oprimidas. Ao matar Marcinho e outros líderes e ativistas camponeses, os Estados Unidos e as classes dominantes inadvertidamente empurram os camponeses e as pessoas para que continuem a lutar militantemente. Será provada que é errônea a ideia de que tais ataques irão parar os movimentos e as lutas no campo, e de outros setores oprimidos, especialmente a juventude, que continuarão na luta.

 

Chamamos todas as organizações membros da ILPS e organizações progressistas e anti-imperialistas do mundo a condenarem o assassinato de Marcinho e os agravantes ataques aos movimentos camponeses e operários no Brasil e na América Latina. Este e outros ataques contra uma das organizações camponesas mais fortes e militantes do mundo são um ataque a todos nós e aos camponeses e povos do mundo.

 

Também pedimos aos agricultores e as massas populares de todo o mundo que intensifiquem as lutas contra a grilagem de terras, por uma autêntica reforma agrária e para uma agricultura que realmente sirva o povo e não os grandes lucros capitalistas. Continuemos a expandir e fortalecer nossas organizações para que possamos substituir o status quo podre por um novo sistema social onde realmente reine a justiça, a igualdade e a liberdade.

 

6 de fevereiro de 2018

 

Emitido pelo Gabinete do Presidente da ILPS (Liga Internacional da Luta dos Povos)

 

Traduzido por I.G.D.

Please reload

Leia também...

Mao: "Reformemos Nosso Estudo"

07/08/2020

"A revolução de outubro na Rússia e o movimento operário na Itália"

07/08/2020

Stalin: "Lenin, organizador e chefe do Partido Comunista da Rússia"

06/08/2020

Avançam as lutas do proletariado e do povo do Uruguai contra a crise a repressão

05/08/2020

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube