"Forças vermelhas filipinas em luta contra a lei marcial de Duterte"

22/09/2017

A Frente Democrática Nacional das Filipinas (FDNF), no sul de Mindanao, junta-se às massas filipinas para relembrar o 45º aniversário da lei marcial do regime F. Marcos-EUA, com firme determinação de lutar e derrotar seu herdeiro fascista – o regime R. Duterte-EUA.

 

Quatro meses após a sua implementação, os males da lei marcial declarada por Rodrigo Duterte, estão levando as massas da região para lutar contra o aumento das violações dos direitos humanos perpetradas pelas Forças Armadas das Filipinas (FAF), Polícia Nacional das Filipinas (PNF) e pelas forças paramilitares. No sul de Mindanao, desde maio, as FAF, a PNF e suas tropas paramilitares cometeram pelo menos 68 casos de violações de direitos humanos contra camponeses, Lumads, Moros e outros. Dezesseis civis foram vítimas de assassinatos extrajudiciais por serem um Lumad, um camponês ou se oporem ativamente às políticas antipopulares do governo reacionário.

 

No alto da lista da maquinaria de guerra EUA-Duterte na região estão os camponeses, Lumad e os moros, que o próprio Duterte tem repetidamente castigado, intimidado e ameaçado de bombardeio e assassinato ferozes. A última vítima do regime, Obello L. Bay-ao, de 18 anos, era uma estudante Lumad em uma das escolas em que o regime de Duterte acusava falsamente de ser ilegal ou subversiva.

 

Em todo o país, o regime de Duterte resolve a solução imperialista dos EUA de matar os pobres e desamparados para resolver o problema do tráfico ilegal de drogas. Sua guerra atroz contra as drogas ceifou mais de 8 mil vidas de filipinos pobres, enquanto os ricos e poderosos sindicatos das drogas continuam a escapar da sua justiça seletiva, salvo alguns dos seus adversários políticos.

 

No meio desse fascismo remanescente do domínio “marcosiano”, as classes dominantes atualmente lideradas por Duterte são inflexíveis em lavar os crimes da lei marcial. Elas continuam zombando das milhões de vítimas desse passado sombrio – milhares que eram de Davao City e do redor do Sul de Mindanao – declarando com frequência que a lei marcial de Marcos era “muito boa” e conspirando para restabelecer o clã Marcos na posição e fortalecer as suas na política nacional.

 

Evidentemente, afastando-se da reação do povo contra a guerra contra as drogas, a guerra total e a lei marcial, o regime EUA-Duterte intermitentemente tem a intenção de reivindicar uma “facção Mindanao” dentro do movimento democrático nacional que supostamente apoia seu governo ditatorial. As reivindicações são formas inúteis, absurdas e claras para polarizar as forças revolucionárias. Duterte já está exposto como um tirano e um fantoche-chefe do imperialismo estadunidense no país.

 

As forças democráticas nacionais devem enfrentar o desafio de liderar as massas filipinas na resistência e na derrota do fascismo do regime dos EUA-Duterte. Já o regime de Duterte está criando cenários para usá-los como pretexto para a declaração da lei marcial em todo o país. À medida que a classe dominante ressuscita a brutalidade do domínio marcial, o povo filipino também deve se unir e se mobilizar aos milhões em todas as formas de resistência para derrotar o regime EUA-Duterte. Pedimos a todos os defensores dos direitos humanos, defensores da paz e outros indivíduos e organizações antifascistas que se unam como uma onda de resistência contra a tirania.

 

A luta democrática e a revolução armada floresceram durante os 14 anos do domínio marcial de Ferdinand Marcos. O regime ditatorial de Duterte irá desencadear o recrutamento maciço de jovens camponeses, operários e pequeno-burgueses para o Novo Exército Popular e o movimento revolucionário e assim, lutar contra o odiado regime.

 

21 de setembro de 2017

 

Por Rubi del Mundo, Porta-voz da FDNF do sul de Mindanao

 

Traduzido por João S. E.

Please reload

Leia também...

O XX Congresso do PCUS e a crise no Partido Comunista do Brasil (PCB)

11/11/2019

Marx: "Carta a Pavel V. Annenkov"

11/11/2019

"Claudia Jones, uma pan-africanista, feminista e comunista pouco conhecida"

06/11/2019

"Jornalista Anna Louise Strong sobre Stalin"

04/11/2019

1/3
Please reload

NOVACULTURA.info

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube